terça-feira, 2 de maio de 2017

Pimenta – Conheça todos os seus benefícios e os tipos mais populares

Rica em antioxidantes e com ação anti-inflamatória, a pimenta possui vários benefícios para saúde mas seu consumo exige cautela, pois pode causar alguns inconvenientes. Veja também se ela emagrece!

 

Pimenta - Tipos e benefícios 

A pimenta é um alimento nativo da Índia, muito cultivado nas áreas tropicais da Ásia. É um condimento muito utilizado no Brasil e no mundo, para dar um sabor e toque especial nas receitas. Pode ser utilizada de diversas formas, nas mais diversas receitas.

Possui uma infinidade de espécies, que em geral, variam com a localização. Também, é caracterizada por possuir baixa ou alta ardência, e pelas flores que nascem juntamente com seus frutos.

Comumente, pode ser encontrada em sua forma fresca, em conserva, desidratada, moída, em pó, e muito mais. Cada uma dessas formas oferece vantagens medicinais incríveis, que serão listadas a seguir.

 

12 Tipos de pimenta para você conhecer e provar


1. Pimenta malagueta: é uma pimenta muito utilizada na culinária brasileira, principalmente na Bahia. É rica em vitamina A.

2. Pimenta dedo-de-moça: também é muito utilizada na culinária brasileira, e um pouco mais suave que a anterior.
Geralmente utilizada para pratos italianos, ela pode ser encontrada em conserva, fresca ou até mesmo desidratada.

3. Pimenta do reino: é uma especiaria de importância histórica, que foi motivo das grandes navegações nos séculos XV e XVI. É muito saborosa e muito utilizada na culinária.
Pode ser encontrada nos tipos verde, branca ou preta, e possui um sabor levemente picante, o qual realça o sabor dos pratos.

4. Pimenta caiena: é um pouco mais forte e picante que as anteriores, e típica em pratos mexicanos e tailandeses.

5. Pimenta biquinho: recebe este nome exatamente pela sua forma – arredondada e estreita na ponta. Tem um sabor suave, e responsável por realçar o sabor de muitas receitas mineiras.
Tem importante função no corpo humano, visto que é rica em betacaroteno, um composto que ajuda a melhorar a absorção das vitaminas A e C.

6. Pimenta tabasco: tem o formato mais conhecido de pimenta, sendo alongada e fina. É caracterizada por seu sabor forte e picante, e por ser utilizada no tempero de peixes e saladas.

7. Pimenta doce: diferente da maioria das pimentas, ela não provoca ardências, e tem um sabor um pouco mais leve. É super comum na culinária nordestina, e tem forma semelhante a um tomate.

8. Pimenta Bode Amarela: também conhecida como pimenta arari bode, tem uma aparência bonita que pode enganar. Ela tem um sabor extremamente picante, e tem origem brasileira.

9. Pimenta Cabeça Roxa: tem belos frutos e flores. Se trata de uma pimenta extremamente saborosa e aromática, porém de muita ardência.
 
Apesar de ter uma difícil manipulação (pela ardência dos olhos), pode dar um sabor especial e picante para as suas receitas.

10. Pimenta doce Italiana: como o nome sugere, a planta tem origem na Itália, e suas mudas podem chegar a até um metro de altura.
Tem um sabor de baixa ardência e é muito deliciosa. Está inserida nas receitas e massas italianas.

11. Jalapeno Purple: é uma pimenta de origem Mexicana, que tem seus frutos roxos, e quando maduros ficam vermelhos.
A planta pode ser utilizada para ornamentação, e os frutos também são muito saborosos e podem ser empregados em diversas receitas.

12. Pimenta banana Doce: tem origem americana, e é conhecida pela sua baixa ardência e pelo fato de ser muito saborosa.
É consumida quando madura, indicada pelos frutos amarelos e floridos.


Benefícios da pimenta


Existem diversos benefícios mostrados e conhecidos do fruto de origem Indiana. Ela pode ser uma importante aliada na manutenção da saúde e homeostasia (equilíbrio) corporal, bem como auxiliar no tratamento e prevenção de algumas doenças. Confira a seguir!

1. Importante vasoconstritora:
A vasoconstrição é um processo em que veias e artérias diminuem o seu diâmetro, e pode ser necessária para o tratamento de algumas doenças, como varizes e varicoses, hemorroidas, e até para problemas e doenças no fígado.

2. Poderes antioxidantes:
Aí entra a questão de que a pimenta pode ser útil no combate e prevenção do câncer, graças a sua atividade antioxidante.

Ela pode combater, principalmente o câncer de próstata, graças a presença da capsaicina, um composto responsável por destruir as células cancerosas e reduzir os níveis de PSA (um dos principais compostos envolvido e elevado durante a doença).

3. Ajuda a melhorar a saúde do coração:
A pimenta possui agentes responsáveis pela redução do colesterol “ruim” do corpo (LDL), o mesmo que se acumula nas veias e artérias e aumenta o risco de infartos.


4. Tem ação anti-inflamatória:
Este mecanismo ocorre pela ação de um neuropéptido presente na pimenta. Sendo assim, ela pode se tornar aliada na melhora de muitas doenças inflamatórias, como a artrite, por exemplo.


5. Agente na imunidade:
A pimenta também pode auxiliar na melhora do seu sistema imune. Isso ocorre pela presença de diversas vitaminas no alimento, principalmente a vitamina A, responsável por manter mucosas saudáveis.

Também, age matando diretamente organismos estranhos do organismo, como bactérias.

6. Facilita o processo da digestão:
O consumo de pimenta estimula a salivação e estimula a secreção gástrica.

Estes fatores incentivam o corpo a produzir ainda mais enzimas, que facilitarão e acelerarão o processo e progresso da digestão. Por isso, ela pode ser útil e aliada no processo de emagrecimento.

7. Combate e controle da diabetes:
Uma das ações da pimenta sobre o organismo, é a redução dos níveis de açúcares (glicose) sanguíneos, e concomitantemente, aumento da produção de insulina pelo pâncreas.


8. Aliada no controle da dor e da depressão:
A pimenta contém adrenalina e noradrenalina. Estes compostos são responsáveis por aumentar o estado de alerta, ânimo e disposição. Da mesma forma, pode ajudar a aliviar e melhorar dores, como enxaquecas.

 

A pimenta pode ser um agente emagrecedor?


Existem diversas polêmicas e mitos acerca de a pimenta ser um alimento capaz de provocar o emagrecimento. Estudos e pesquisas concluíram que sim, a pimenta pode atuar como aliada na perda de peso graças a alguns de seus mecanismos:

O fato de ser baixa em calorias: pode ser inserida moderadamente na dieta, auxiliando a dar um sabor e toque especial nas receitas.

Aumento da taxa da digestão: este também é uma das ações da pimenta sobre o corpo. Aumentando a taxa de digestão, mais produtos serão excretados pelo seu corpo.
Estimula a produção de saliva: o aumento de saliva ajuda a iniciar a digestão já na boca, desintegrando mais os alimentos e facilitando a sua eliminação.


Como utilizar a pimenta?


Visto que existe uma infinidade e variedade de tipos de pimentas, é essencial que se saiba escolher qual a melhor combinação para aquela receita.

Também, recomenda-se que ela seja consumida fresca, para melhor apreciação do seu sabor. Existem diversas formas no mercado: conservas, geleia, desidratada, em pó, e muito mais.
Você só precisa escolher a melhor forma e a que mais combinará com a sua receita!

 

Contraindicações da Pimenta


Apesar de não existirem estudos científicos que comprovem os danos causados pela pimenta, existem alguns sintomas e doenças que podem piorar após o consumo excessivo do alimento:

Gastrite e úlcera: existem relatos de piora e dor após o consumo de pimenta.

Hemorroida: apesar de a doença ser causa do sedentarismo e infecções anais, é importante que pessoas que possuam este problema evitem o consumo de pimenta.

Também, após o consumo excessivo ou de alguma espécie muito forte de pimenta, podem ser notados alguns sintomas e alterações: queimaduras ou bolhas na língua e mucosa oral, náusea, alteração respiratória e vômitos. 




Fonte: Treino Mstre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog