quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Como queimar calorias todos os dias

 
Como queimar calorias todos os dias

As atividades físicas são responsáveis pelo gasto de até 40% das energias disponíveis do nosso organismo. Por isso, algumas dicas são importantes
Deixe o sedentarismo de lado.

O exercício ajuda todo o organismo a funcionar melhor. Mesmo depois de terminada a atividade física, o metabolismo continua estimulado por várias horas, o que ajuda a queimar calorias no resto do dia, até em repouso.

Aumente os músculos esqueléticos

Os músculos esqueléticos são aqueles responsáveis pelos movimentos voluntários, como o bíceps de nossos braços e os músculos das coxas. Eles aumentam de tamanho ao serem exercitados e são grandes consumidores de energia – gastam calorias mesmo quando dormimos. Em regra, pratique todos os dias exercícios de intensidade moderada e pelo menos três vezes por semana faça musculação ou exercícios de resistência, como musculação ou pedalada com esforço. Esse tipo de atividade física é a que mais queima calorias e ainda por cima aumenta o volume dos músculos.
E depois de tudo, durma bem

As horas de sono também contribuem para ativar o metabolismo. Se a pessoa dorme menos de oito horas por noite, seu metabolismo passa a funcionar em marcha lenta e as calorias se acumulam. Um estudo do Centro para Saúde, Comportamento e Desenvolvimento das Crianças, setor de Pesquisas sobre Crianças de Seattle, nos EUA, comprovou a relação entre privação de horas de sono e o aumento da incidência de obesidade. Por isso, quem segue um planejamento para emagrecer não deve deixar de levar em conta a necessidade de uma boa noite de sono.
O que não depende só de você

Além da alimentação e das atividades físicas, fatores que podemos controlar, existem também outros, que poderíamos chamar de internos, relacionados com o nosso metabolismo. É o caso da predisposição genética ou do mal funcionamento das glândulas endócrinas, como a tireoide. Mas esses fatores podem ser melhorados se forem corretamente diagnosticados por médicos e enfrentados com tratamentos adequados.
 
 
 
Fonte: Revista Saúde/Uol  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog