quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Voltei aos treinos de musculação: E agora, como agir?

 marmitas-para-semana

1- Você NÃO é mais o mesmo

As pessoas mudam com o passar do tempo, seja psicologicamente, pois ficam mais maduras (ou espera-se que fiquem), socialmente, pois aprendem a usar uma máscara social, financeiramente, pois perdem ou ganham mais dinheiro, entre outros. Porém, nenhuma dessas mudanças é tão acentuada como as mudanças físicas, tanto porque, com as condições de vida de uma pessoa a qual não se importa com sua saúde (incluindo a alimentação e a prática regular de exercícios físicos), a tendência para modificações negativas de seu corpo é muito grande.

A maioria delas volta com excesso de gordura corpórea, baixa capacidade cardiovascular, menor quantidade de massa muscular e assim por diante. Isso faz com que necessariamente observemos que possa ter ocorrido perdas de padrões de movimento, perca de aptidões físicas e etc. Ainda, as mulheres podem ter passado por processos complicados de gravidez e pós-parto e assim por diante.

Todos esses itens físicos necessariamente modificam as suas possibilidades dentro da prática da musculação. Se você está com menores condições corpóreas do que antes e contribuindo com a idade que também avançou, mesmo que pouca, certamente terá de adaptar seus treinamentos aos moldes atuais e que atendam suas necessidades atuais. Dessa forma, praticamente tudo o que você fazia antes, até pode ser feito, mas por questões de prudência, é necessário começar com um pouco mais de calma.

Neste momento você se torna um iniciante, porém lembre-se que sua experiência o auxiliará a sair disso rapidamente, sempre respeitando o seu próprio corpo.

2- Lembre-se que a volta aos treinos requer DIETA

Quando as pessoas param seus treinamentos, muitas vezes deixam a alimentação de lado. Não tem mais hora pra comer, comem qualquer coisa e não se importam com o quanto isso refletirá em sua vida. Quando entram novamente na prática esportiva de musculação, acabam sentindo na pele que a recuperação não é a mesma, que a fadiga está grande ou até mesmo que elas não estão obtendo resultados satisfatórios.

Pois bem, as atividades físicas são um dos pilares para bons resultados físicos e de saúde também. Mas, outro sustento disso é a dieta, a alimentação! Sem ela, você não tem substratos suficientes e adequados para fornecer ao seu corpo para que ele desempenhe bem suas funções antes, durante e depois do treinamento.

Não adianta você voltar a treinar com o máximo de importância sem se importar com o restante do seu dia. Portanto, se você está voltando a treinar, o próximo passo é buscar auxílio nutricional

3- Não queira pegar os mesmos pesos, principalmente no início da volta aos treinos

Esse é um ponto mais comum entre a maioria das pessoas que voltam aos treinos de musculação… Eles acham que mesmo depois de tempo sem treinar irão voltar pegando a mesma quantidade de pesos e fazendo os mesmos exercícios…

Como citado anteriormente, suas aptidões físicas foram alteradas, e com elas, a força é incluída. Sendo assim, você provavelmente está mais fraco, com menor capacidade neuromuscular e até mesmo menor capacidade de coordenação motora.

É notável que você tenha que pegar menos peso em praticamente todos os exercícios. Aliás, isso é questão de segurança, pois necessitamos adaptar novamente ao sistema musculoesquelético e o próprio sistema neuromotor.

Então, não há porque ter vergonha de levantar menos peso. Isso não te faz inferior a ninguém e não te trará menos resultados. Menos resultados serão sinônimo de exercícios mal executados, lesões adquiridas pela prática incorreta dos exercícios ou até mesmo por você deixar seu ego falar mas alto do que suas possibilidades.

4- Conceitos podem ter mudado e você deve conhecer essas mudanças
No passado, acreditava-se que treinamentos volumosos, que chegavam a durar duas ou três horas eram convenientes para o ganho de massa muscular. Hoje, sabe-se que essa não é uma prática muito vantajosa para essa finalidade. Da mesma forma, antigamente existiam muitas formas de execuções de exercícios as quais foram aprimoradas nos dias de hoje, entre outras inúmeras modificações.

Uma coisa é certa: Conceitos sempre mudam, se você está a um bom tempo fora da academia de musculação, é importantíssimo que se atualize com conceitos básicos os quais possam ter mudado a fim de aprimorar seus treinamentos obter melhores resultados.

Muitas vezes e até com certa frequência, indivíduos entram nas academias com conceitos muito ultrapassado e com princípios os quais não são mais usados e na maioria das vezes e não se dão ao luxo de aprender coisas novas. Nesse caso, há de se falar a necessidade da humildade em reconhecer que você não é ignorante, mas não permaneceu no meio o qual sofreu mudanças e provavelmente terá de se adaptar a elas.

Então, busque sempre novos conhecimentos e com pessoas sérias e devidamente qualificadas (além de capacitadas), o que será fundamental para que você obtenha um bom desenvolvimento.

5- Faça um Check up!

Pode ser interessante que você faça um bom check up em seu médico de confiança. Claro, ele não poderá atestar que você nunca vá infartar ou ter um AVC, por exemplo. Porém, você pode conhecer doenças ou necessidades específicas as quais estão com você e você nem sabia que elas estavam.
Sem sombra de dúvidas, quando algo assim é descoberto (como uma resistência à insulina, algum problema ortopédico, alguma dislipidemia e etc), fica muito mais seguro traçar protocolos na musculação e manipulá-los como forma de tratamento auxiliar desses problemas ou até mesmo sua prevenção.
Assim, não custa nada ir ao seu médico, fazer uma bateria de exames só para se certificar. É importante manter esses exames periodicamente também.

check-up

6- Não queira acompanhar alguém que já treina há um bom tempo

Outro grande problema de pessoas as quais estão retornando aos seus treinamentos é querer seguir aquele amigo, ou aquela amiga, que já está treinando há um bom tempo. Na maioria das vezes, isso resultará em um desfecho ruim para quem está voltando.

Primeiro, porque as necessidades individuais são diferentes, e segundo por que os treinamentos devem ser individualizados. Terceiro, porque a intensidade não será igual para ambos: você atrapalhará o treinamento de seu amigo, ou de sua amiga, se tentar acompanha-lo, certamente terá uma lesão ou algo do tipo, pois você ainda está fisicamente despreparado e sem as adaptações necessárias para tal.

Não tem mal algum em voltar e trocar umas palavras ou esse ou aquela amigo (a), entretanto, não queira seguir o mesmo sistema de treino dele ou dela. E claro, deixe a conversa sempre para ofinal do treino!!

7- Seja verdadeiro consigo mesmo e veja os resultados os quais você necessita ter

Uma coisa é querer ser algo e outra completamente diferente é achar que se tem algo quando, na verdade, ainda não se tem. E quantas vezes nós não passamos por isso até “cair na real”?

Muitas pessoas gostam de enganar a si mesmos: Acreditam estar em forma, quando estão redondos e com alto percentual de gordura corpórea. Acreditam estar fortes, quando na verdade ainda tem 32cm de circunferência de braços. Acreditam ser atléticos, quando não conseguem correr 500m sem colocar os pulmões para fora!

O primeiro passo para saber onde se quer chegar é SABER ONDE ESTÁ, e se você iludir a si mesmo, não poderá reconhecer sua situação atual, o que é fundamental e deve ser utilizado como fonte de partida.

Não é incomum protocolos de treinamento darem errado ou não trazerem mudanças convenientes para os indivíduos justamente pelo fato de que eles os utilizam de forma incorreta: Pessoas comBF alto querendo entrar em off season, pessoas sem musculatura suficiente querendo definir e assim por diante.

É fundamental que você tenha conceitos bem-estabelecidos em sua mente e que acima disso, saiba reconhecer o REAL PONTO QUE SE ESTÁ.

Muitas vezes, os olhos podem enganar você mesmo, neste caso, para ter uma boa certificação do que se está vendo, você pode consultar uma pessoa mais experiente e que possa orientá-lo adequadamente. Não tem nada mal nisso, certamente poderá te ajudar muito! 





Fonte: Dicas de Musculação 


 NEO HARDCORE ACADEMIA


quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Testosterona – Aumente sua produção natural e tenha excelentes ganhos de massa muscular

Saiba como aumentar sua testosterona de forma natural através da alimentação, exercícios e bons hábitos, para ter excelentes ganhos de massa muscular.

Como aumentar a testosterona e ganhar massa muscular

 

Se nossa massa muscular fosse um filho, poderíamos dizer que a Testosterona seria o pai, a relação pode ser até um pouco bizonha, mas a importância de uma para outra é comparável. A Testosterona é o hormônio mais importante para o ganho de massa muscular, porque ele aumenta a síntese proteica, além de diminuir o “mau” colesterol e reduzir a gordura corpórea.

Além disso, a Testosterona é ligada a diversas funções úteis no organismo, como:
  • A retenção de cálcio prevenindo a osteoporose;
  • Aumento da libido (apetite sexual);
  • Melhora nas funções mentais de memorização e concentração;
  • Mantém o bom humor e a sensação de bem estar;

Testosterona sintéticas

Com tantos benefícios que a Testosterona tem a oferecer, principalmente nos resultados de hipertrofia, nada melhor que manter seus níveis altos em nosso organismo, e principalmente de forma natural, e chego a esse ponto, porque a grande maioria dos frequentadores de academia, já sabem as formas perigosas que existem de elevar a testosterona no organismo através dos Esteróides Anabolizantes, como Durateston, Deca Durabolin, Dianabol, Propionato…e por ai vai.

Quando você faz uso desses fármacos, a produção endógena de Testosterona diminui chegando até a zerar, pois o corpo não vê necessidade de produzir mais, já que durante o uso os níveis desse hormônio estão altos. Quando você para de usar, se não houver um tratamento com medicamentos específicos (anti-aromatizantes) que contribuem para restabelecer a produção natural ao final de cada ciclo dessas drogas, com o tempo à produção ficará cada vez mais comprometida. E ai me diga quais serão os níveis seguros para o uso desses esteróides sem afetar sua saúde?

Bom, isso ninguém sabe até hoje. Então se você quiser correr o risco, Livre Arbítrio!
Só para constar aqui, os níveis normais de Testosterona em um homem adulto deve estar em pelo menos 800ng/dL. Se tiver dúvidas ou sintomas como baixa libido, falta de energia, perda de massa muscular, acúmulo de gordura, vá ao médico e solicite um exame de sangue para checar seus níveis desse hormônio em seu organismo.

Agora algumas dicas para elevar sua Testosterona de forma natural:

Exercícios de solicitação global ou compostos:  
São os exercícios básicos que são passados quando você entra em uma academia, e não é por acaso, eles trabalham mais que um grupo muscular, exigindo mais do seu corpo, pois você utiliza maiores cargas e menos repetições, são eles: Supino, Agachamento, Levantamento Terra, desenvolvimento militar, Remada, Rosca direta e os puxadores.

Não deixe de fora os exercícios para as pernas, além de não ficar legal esteticamente depois de um tempo, seu corpo não vai ser exigido 100%, e como podem notar, elevar sua Testosterona é fazer seu corpo trabalhar duro e com muita intensidade, mas claro sem passar dos seus limites, porque ai os resultados serão inversos, é overtraining, catabolismo e cortisol comendo solto.

Aliás, vou falar mais um pouco do cortisol, vamos para o item abaixo, pois é muito importante esse tema.

Situações de stress, cansaço, falta de apetite e exagerar nos exercícios, fazem liberal um hormônio que tem um efeito oposto da Testosterona, o Cortisol, ele além de ser catabólico, também provoca a redução de Testosterona e hGH no organismo.

Então a dica aqui é, durma bem, para poder ter um descanso físico e mental e aproveitar para liberar durante o sono, importantes hormônios anabólicos como a Testosterona e hGH citadas aqui.

Reduzir a ingestão de bebidas alcoólicas, além de não combinar em nada com atletas, estudos recentes já provaram que o álcool reduz drasticamente os níveis de Testosterona no homem em até 25%, pois o metabolismo do álcool no organismo afetam o balanço reprodutivo tanto do homem quanto da mulher. No homem o álcool contribui para lesões testiculares, o que prejudica a produção de testosterona e a síntese de esperma.
Não estou falando para você nunca mais beber, mas tente diminuir bastante, aproveite o domingo que já é o dia do lixo na dieta, e tire esse dia, por exemplo, para tomar uma cervejinha com os amigos. Mas beba com moderação.

Importante lerem esse artigo que abordamos o porquê o álcool atrapalha tanto os resultados na musculação.
A dieta é muito importante na produção de testosterona
Mais uma vez estou aqui falando que um dos principais fatores para se ter bons resultados na musculação, é a sua alimentação, e alimentos ricos em gorduras boas são essenciais na produção dos hormônios, principalmente o hormônio do crescimento (hGH) e a Testosterona. Então não deixe de incluir em sua dieta os ácidos graxos essenciais: Pollinsaturados (ômega-3 e ômega-6) e os Monoinsaturados. Qualquer dúvida leia esse artigo 

Consuma proteínas de alto valor biológico.

Essa nem precisava falar, tem que estar sempre presente em nossa dieta. Os aminoácidos da proteína também contribuem para a produção de Testosterona.

Alguns vegetais crucíferos demonstraram reduzir drasticamente o estrogênio, aumentando assim os níveis de Testosterona. Alguns exemplos dessas hortaliças: Agrião, brócolis, couve, rabanete, nabos e repolho.

Frutas como o abacate (ótima fonte de gordura mono) e a banana são ricas em potássio, que auxiliam na regulação da glândula tireoide, o que pode ajudar no aumento da libido masculina.

Essas frutas também são ricas em vitamina B como a riboflavina, necessária na produção de Testosterona.

A Ostra é uma ótima fonte de zinco, esse mineral inibe a enzima aromatizante de converter a testosterona em estrogênio.
Algumas doenças interferem diretamente na produção de Testosterona.
Hipertensão e altos níveis de colesterol fazem com que haja uma diminuição de fluidez na circulação do sangue até os órgãos de produção hormonal.

Estudos mostraram que a diabetes tipo 2 está ligada também a diminuição de níveis de Testosterona.

Conclusão que chegamos aqui:
Mantenha sempre hábitos saudáveis e disciplina em seus treinamentos, alimentação e descanso. São fatores primordiais para manter sua Testosterona sempre em níveis que vão auxiliar nos resultados satisfatórios da hipertrofia.
Abraços e bons Treinos.


Fonte: Treino Mestre 




segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Lesão do joelho na academia, o que é perigoso?

lesão do joelho na academia

Os exercícios dentro da academia, quando bem orientados, trazem muitos benefícios. Isso todo mundo já sabe, e cada vez mais, a busca por profissionais habilitados para a prescrição do treino, vem prevenindo as lesões. Por outro lado, a busca pelo corpo perfeito pode trazer conseqüências graves e irreversíveis ao organismo.
Gostaria de abordar alguns exercícios na musculação, que no meu ponto de vista, são os exercícios mais “perigosos”, para os nossos joelhos. Utilizei o termo entre aspas, pois, o que vou abordar, serve para pessoas que possuem um nível de treinamento de iniciante ou intermediário, e, principalmente, pessoas que já possuem alguma lesão no joelho (principalmente a condromalácea) ou queixa de dor. Obs: Em atletas profissionais de alto rendimento e praticantes de atividade com um nível avançado, as orientações mudam.


Más, qual a melhor forma de executarmos os exercícios?

Todas as orientações abaixo foram baseadas na biomecânica do movimento do joelho, levando-se em conta principalmente as angulações que podem aumentar as chances de lesão e a especificidade de cada exercício. Por exemplo: o exercício de agachamento trabalha primariamente os músculos anteriores da coxa e secundariamente os músculos glúteos e abdome. Como comentei anteriormente, pessoas que possuam queixa de dor no joelho e/ou alguma lesão no joelho, devem evitar ultrapassar esses limites da biomecânica, para tentar ter um pequeno ganho para os músculos secundários. E isto, serve para outros exercícios dos membros inferiores.

Como recomendação básica:

Para evitar uma lesão do joelho na academia acompanhe estas 3 dicas:
Agachamento:  evite agachamentos com amplitudes de flexão do joelho maiores do que 90 graus. Entre 70 e 90 graus de flexão é quando o músculo anterior da coxa atinge o seu torque máximo ( força máxima). Acima dessa angulação, que acaba sofrendo é a articulação da patela, que tende a aumentar a pressão e causar lesão da cartilagem.

lesão-oelho-academia-agachamento

Cadeira extensora: : neste aparelho, a maior pressão atingida na patela ocorre entre 45 – 50 graus de flexão. Recomendo, que o exercício seja feito entre 90 – 60 graus ( curto em baixo) e de 30 -0 graus ( curto em cima) obs: para as cargas, quanto mais próximo do joelho estendido, menos força conseguimos suportar, por isso, importante diminuir as cargas.

lesão-joeelho-academia-estensora

Leg press 45 graus: para trabalho primário do quadríceps, vejo esse exercício como o mais perigoso e negligenciado. O grau máximo de flexão do joelho não deve ultrapassar os 60 graus, por dois motivos: sobrecarga na patela e principalmente na coluna lombar. Muito cuidado também com as cargas neste aparelho, como alguns de vocês já devem ter presenciado algumas situações inusitadas na academia, como quando você precisa de anilhas e elas estão todas neste aparelho.

lesão-joelho-academia-musculação 

Lembre-se: NÃO EXISTE EXERCÍO CONTRAINDICADO, EXISTEM PESSOAS CONTRAINDICADAS PARA DETERMINADOS EXERCÍCIOS.




Fonte: Ortopedia do Esporte 



 NEO HARDCORE ACADEMIA

Corrida na esteira ou na rua? Qual a a melhor opção?

Corrida na esteira ou na rua? Qual a a melhor opção?

Corrida na esteira ou corrida na rua?

A corrida na esteira é mais fácil, uma vez que, existe um amortecimento do impacto em torno de 10%, prevenindo lesões. É indicada para corredores iniciantes, alternando ou não, com os treinos de rua, indivíduos com sobrepeso ou aquelas pessoas que estão realizando algum tratamento por uma lesão. Neste último caso, é altamente recomendado o retorno ao esporte através da esteira, uma vez que, é muito mais fácil corrigir erros de postura e movimentos errados. A corrida na esteira pode ser monótona e, ao longo do tempo, pode desestimular o praticante. Em contra partida, é uma opção excelente para cidades chuvosas ou com aquele inverno mais rigoroso.

Já a corrida na rua é mais estimulante e menos monótona. Além disso, existe a variação de subidas e descidas, bem como, possibilidade de novos percursos a cada treino. Para o iniciante, a corrida na rua parece ser mais difícil, já que é mais difícil controlar a velocidade e cadência, fazendo com que geralmente se ultrapasse a zona de cansaço precocemente., comprometendo a corrida. Por este fato, tem-se a impressão de que a corrida na rua seja mais difícil, mas à medida que você melhora o seu condicionamento específico para rua, este desequilíbrio fisiológico vai se equilibrando. 

Corrida na esteira ou corrida na rua
É melhor correr esteira o correr na rua?

Diferenças entre corrida na esteira e correr na rua

Apesar de o movimento ser muito parecido na rua ou esteira, não é completamente igual. Na esteira o corredor tende a dar passos mais curtos, aumentar a cadência (número de passos por minuto) e aterrissar mais com a parte central do pé em detrimento da aterrissagem com o calcanhar, observada mais na corrida em solo. A extensão do quadril (movimento da perna para trás) é maior na esteira e a amplitude de movimento do joelho também. Esses pontos fazem parte da descrição de uma corrida mais eficiente.

Dicas para correr melhor

– Se o seu foco é correr na rua, treine mais na rua do que na esteira, lembrando sempre do princípio da especificidade fisiológica
– Na rua, existem muitos fatores externos para interagirmos e para serem treinados. Por exemplo, as irregularidades do terreno, temperatura e controle da velocidade, fatores inexistentes na esteira.




Fonte: Ortopedia do Esporte 

Acima é Andreia Costa (Atleta Neo Hardcore)

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

A Dieta do limão funciona? – Saiba como fazer, seus benefícios e se emagrece mesmo


 



A dieta do limão seja consumindo com água gelada ou morna, tem apresentado ótimos resultados e muitos adeptos. Veja agora um passo a passo de como fazer.


Dieta do limão com água gelada

A dieta do limão é um tipo de dieta realizada para que o corpo emagreça de forma saudável. Além desse benefício, é uma dieta que ajuda na desintoxicação do organismo e oferece outros benefícios à saúde.

Essa dieta tem sido bastante procurada pelo fato de ser prática, fácil de ser seguida e financeiramente em conta, comparada a outros tipos de dieta que existem.

Propriedades nutricionais do limão
O limão é uma fruta rica em nutrientes como:
  • Vitaminas: vitamina A, K e ácido fólico
  • Minerais: ferro e cálcio
  • Antioxidantes: clorofila
  • Fibras

Como funciona a dieta do limão

Existem algumas vertentes da dieta do limão. Uma delas é que o suco de limão deve ser ingerido de manhã em jejum. Outra é que ele deve ser ingerido antes de todas as refeições principais, ou seja, antes do café da manhã, do almoço e do jantar. E a última é que essa dieta deve ser realizada todos os dias aumentando gradativamente a quantidade de limões consumidos. Porém essa última não é muito bem aceita.

O que pode ser afirmado é que essa dieta deve estar aliada ao consumo de uma alimentação completamente saudável, caso contrário ela não surtirá os efeitos desejados. Nenhuma dieta funciona de forma isolada sem haver uma mudança dos hábitos alimentares e de vida.

O mais recomendado é que o consumo do suco de limão seja feito antes das principais refeições. Quando o suco de limão é ingerido antes das principais refeições, ajuda não só no emagrecimento, mas ajuda também na digestão, principalmente das gorduras, além de auxiliar na limpeza do organismo.

Como fazer

Para fazer o suco de limão, basta espremer um limão em um copo de água, de preferência gelada, pois além de ajudar a limpar o organismo, o metabolismo já começa a trabalhar e mais calorias vão sendo perdidas. Beba esse suco meia hora antes do café da manhã, do almoço e do jantar. O ideal é que o suco não seja adoçado e não seja coado, assim, você estará garantindo uma maior quantidade de nutrientes, inclusive as fibras, que ajudam na perda de peso.

Qualquer variedade do limão pode ser utilizada para fazer o suco, pois todas garantem as propriedades nutricionais encontradas nessa fruta. Se você utilizar um limão muito grande para fazer o suco, basta utilizar apenas a metade do limão.


Benefícios da dieta do limão

1. Dieta do limão emagrece mesmo?

Sim! Uma das propriedades do limão que ajuda no emagrecimento é a vitamina C. Alguns estudos têm descoberto que quem consome mais essa vitamina tem mais facilidade de perder gordura corporal, ao contrário de quem não consome.

Além disso, as fibras presentes no limão garantem ao organismo maior saciedade. Isso por que quando ingeridas, as fibras permanecem por mais tempo no estômago fazendo com que ele seja esvaziado mais tardiamente. Essa estratégia controla a ingestão alimentar reduzindo o consumo de alimentos que contribuem para o aumento de peso.

A água gelada utilizada para o suco de limão também ajuda o corpo a perder peso. Quando a água gelada é ingerida, o corpo precisará trabalhar mais para regularizar a temperatura dessa água e, assim, o seu metabolismo ficará mais acelerado e gastará mais calorias para realizar essa função. Dessa forma, o suco de limão com água gelada funcionará como um alimento termogênico, gerando um gasto de energia para que seja absorvido.

A perda de peso através da dieta do limão só é mais eficaz quando é realizada aliada a uma alimentação saudável. Por isso, o ideal é consumir alimentos considerados mais saudáveis como frutas, verduras, legumes, alimentos integrais, carnes magras, laticínios desnatados e evitar alimentos ricos em açúcar refinado, sal e gorduras saturadas, frituras e alimentos industrializados.

2. Dieta do limão é detox?

Sim! Outro benefício oferecido pela dieta do limão é a auxiliar na eliminação de toxinas do organismo. Essas toxinas são substâncias que surgem através de uma alimentação errada rica em alimentos industrializados e alimentos fontes de açúcar, sal e gorduras, além de outras fontes como agrotóxicos, fumo, álcool, poluição e várias outras.

Em relação à alimentação, evite ao máximo consumir esses alimentos anteriormente citados, principalmente os alimentos industrializados. Esses produtos alimentícios são ricos em aditivos químicos como corantes e aromatizantes que têm como finalidade conferir aos alimentos cor, aroma e sabor para que se pareçam o máximo possível com os alimentos naturais e se tornem mais atrativos ao consumidor para que sejam comprados.

Além disso, esses aditivos, especificamente os conservantes, garantem aos produtos industrializados maior prazo de validade. Os aditivos químicos ao passo que garantem maior lucratividade para a indústria alimentícia, garantem, também, prejuízos para a saúde e, um deles, é a intoxicação do organismo levando o corpo a adoecer até de forma grave como, por exemplo, através de um câncer.

3. Outros benefícios para a saúde
Além de desintoxicar e ajudar a emagrecer, a dieta do limão oferta outros benefícios à saúde. Entre eles:
  • regula o ph do sangue;
  • é diurético;
  • combate o envelhecimento precoce;
  • ajuda a prevenir a anemia;
  • ajuda a limpar os vasos sanguíneos;
  • é antisséptico natural;
  • é cicatrizante;
  • ajuda a limpar o intestino;
  • pode ser usado como um cosmético natural no lugar de shampoo e desodorante por causa do seu poder de limpeza e antissepsia;
  • pode ser usado na pele para controlar a oleosidade e clarear manchas (mas cuidado! Ao passar limão na pele não se exponha ao sol, pois, nesse caso, o limão pode fazer o efeito contrário, ou seja, pode manchar a pele);
  • ajuda a prevenir doenças como escorbuto e hemorragias;
  • é protetor do sistema imune aumentando as defesas do organismo e protegendo-o contra inflamações, infecções e resfriados;
  • ajuda a controlar a glicemia;
  • auxilia a digestão, entre outros. Os benefícios do limão são inúmeros!
Para quem é recomendado
A dieta do limão é recomendada para quem deseja “perder barriga”e emagrecer, ou fazer uma desintoxicação do organismo. Qualquer pessoa pode fazer, desde não apresente problemas graves no sistema digestivo como gastrite ou úlceras, por exemplo, pois a acidez do limão pode agravar ainda mais o quadro. O recomendado é procurar um médico para avaliar sua situação.

Precauções

A vitamina C é um nutriente que se oxida rapidamente quando entra em contato com o oxigênio presente no ar. Por isso, é recomendado que o suco de limão, assim como outros sucos de frutas que contêm vitamina C, seja ingerido logo após o preparo para que não haja perda dessa vitamina. Se for preparado e guardado para ser consumido horas depois, o teor de vitamina C será praticamente zero.

O limão sozinho não faz milagres e, por isso, se a dieta do limão não for realizada aliada a uma mudança nos hábitos alimentares não haverá bons resultados.

O consumo excessivo dessa fruta não é indicado. Existe uma ramificação dessa dieta de aumentar gradativamente a quantidade de limão diariamente, mas isso não é recomendado, pois alguns problemas de saúde podem surgir, principalmente os estomacais como gastrite e úlceras. O máximo que se pode consumir são até três limões pequenos por dia.

Pessoas que possuem problemas no aparelho digestivo como azia, gastrite ou outros devem procurar primeiro um médico para avaliar a situação para saberem se podem ou não fazer uso dessa fruta.

Não faça a dieta do limão de forma isolada. Isso pode acarretar problemas de saúde como deficiência de nutrientes, fraqueza e desmaios por falta do consumo de alimentos fontes de energia, baixa do sistema imune deixando o organismo mais propenso a infecções e alterações nas funções dos órgãos e do funcionamento do organismo em geral.

Antes de iniciar a dieta do limão ou qualquer tipo de dieta é recomendado que você procure um profissional nutricionista para receber todas as orientações, a fim de que a dieta tenha sucesso.

Sugestão de cardápio

  •  Siga todas as refeições em horários fixos sem pular nenhuma.
  • A quantidade dos alimentos é personalizada. Consulte um nutricionista para você seguir uma dieta adequada às suas necessidades nutricionais.
Café da manhã
Suco de 1 limão com 200 ml de água gelada (em jejum, meia hora antes de iniciar o desjejum)
Pão integral + queijo ricota + café com ou sem leite + 1 fatia de mamão
Lanche da manhã
1 copo de 200 ml de suco verde sem coar (couve + espinafre + maracujá +adoçante)
Almoço
Suco de 1 limão com 200 ml de água gelada (meia hora antes de iniciar o almoço)
Arroz integral + feijão + filé de peixe grelhado + salda crua regada com 1 colher de sopa de azeite de oliva extra virgem + 1 laranja de sobremesa
Lanche da tarde
Vitamina de banana e abacate com farelo de aveia e leite desnatado
Jantar
Suco de 1 limão com 200 ml de água gelada (meia hora antes de iniciar o jantar)
Sopa de frango com legumes + 1 maçã de sobremesa
Ceia
1 copo de 200 ml de leite desnatado 



Fonte:Treino Mestre 





10 dicas para detonar a gordura de uma vez

10 dicas para detonar a gordura de uma vez

Alguns cuidados podem te ajudar a queimar ainda mais gordura. Confira as dicas e detone os quilos indesejados!

Se atentar a alguns cuidados no dia a dia podem te ajudar – e muito – a detonar de vez as gordurinhas não desejadas. Confira a seguir 10 dicas para queimar mais gordura!


1- Não pule o café da manhã. Evidências científicas mostraram que a turma que não faz a primeira refeição do dia tem 4,5 vezes mais chance de sofrer com o excesso de peso. Em uma pesquisa publicada no jornal científico American Journal of Epidemiology, os indivíduos que ingeriram 22 a 55% do seu total de calorias diários ao acordar ganharam cerca de 0,77 quilo em média em quatro anos, enquanto aqueles que ignoraram essa refeição ganharam cerca de 1,5 quilo em um ano.

2- Coloque mais termogênicos no prato. Canela, gengibre, cravo e pimenta são capazes de aumentar a temperatura corporal e acelerar o metabolismo quando consumidos regularmente. De acordo com um estudo publicado no periódico Journal of Nutritional Science and Vitaminology, comer uma colher (de chá) de pimenta vermelha  contribui para elevar em  até 23% o gasto calórico  em repouso.

3- Coma melancia. Além de ter pouquíssimas calorias, a fruta auxilia no combate à retenção de líquidos e é rica em arginina, aminoácido que, segundo um trabalho publicado no periódico Journal of Nutrition, favorece a degradação e a eliminação da gordura.

4- Consuma itens ricos em vitamina D, sempre. Ela é essencial para preservar o tecido muscular, o que ajuda a elevar o metabolismo. Comer 100 gramas de salmão já é o suficiente para garantir 90% da recomendação diária dessa substância. Atum, cereais e ovos são outras boas fontes.

5- Dormir bem é uma arma e tanto contra os pneuzinhos. A falta de sono acaba com a disposição para
malhar, provoca queda nos níveis de leptina (o hormônio da saciedade) e elevação da grelina, que aumenta o apetite. Em um estudo realizado pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, os voluntários que dormiram uma hora a mais por noite tiveram redução de até 6 quilos por ano e apresentaram um acúmulo menor de gordura entre os órgãos, a chamada gordura visceral.

6- Descubra qual é a intensidade adequada para o seu treino e se mantenha nela. Mais de 60% das pessoas se exercitam abaixo desse limiar e, por isso, não atingem seus objetivos de queima de gordura. Procure um professor de educação física para orientá-la e, assim, fazer valer seu esforço na malhação.

7- As fibras são ótimas aliadas na luta contra a massa gorda, uma vez que sua ingestão pode elevar a queima do tecido adiposo e reduzir o ganho de peso. Frutas, legumes e grãos integrais favorecem o funcionamento do intestino e o equilíbrio nos níveis de insulina e promovem a redução da absorção da gordura dos alimentos. O ideal é consumir cerca de 25 gramas por dia, dividindo-as em três porções.

8- Quem coloca vinagre no preparo dos pratos tem menos risco de acabar ganhando a temida pochete. Motivo? O ácido acético presente no condimento influencia a velocidade do metabolismo e ajuda a estabilizar o açúcar no sangue, o que resulta em menos acúmulo de gordura.

9- Encha a cara… de água! Todas as reações químicas do organismo, incluindo o metabolismo, dependem desse líquido. Se você estiver desidratada, pode queimar 2% menos calorias, de acordo com um trabalho feito na Universidade de Utah, nos Estados Unidos. Isso sem falar que, muitas vezes, as pessoas acabam confundindo sede com fome e comem muito mais do que deveriam.

10- O café e os chás, especialmente aqueles que têm cafeína, como o mate, o preto e o verde, são estimulantes do sistema nervoso. Quem os bebe diariamente tem o metabolismo acelerado, capaz de queimar entre 98 e 174 calorias a mais por dia. Um estudo japonês publicado no American Journal of Clinical Nutrition mostrou que uma xícara diária de chá verde é suficiente para elevar em até 12% o gasto calórico em repouso. Esse efeito se dá graças à presença de catequinas, substâncias com propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes.





 Fonte: Corpo a Corpo / Uol 

5 dicas para conquistar aquele bumbum durinho

5 dicas para conquistar aquele bumbum durinho 

Além de suar a camisa para perder os quilinhos extra e definir o abdômen, garantir um bumbum empinado normalmente está incluído nos planos de quase todas as mulheres que frequentam a academia. Para acelerar o processo, conheça 5 dicas que ajudam a conquistar aquele bumbum durinho, que vão muito além do tradicional agachamento:


Dicas para definir o bumbum

Chute para trás: simples de realizar, o movimento trabalhar glúteos e pernas. Fique de quatro e alinhe os joelhos aos quadris. Com a perna dobrada em um ângulo reto, levante uma perna com o calcanhar apontando o teto o mais alto que conseguir, sem dores. Em seguida, faça o movimento com a outra. Repita 15 vezes cada perna.

Pesos: procure usar pesos sempre que puder em exercícios para o bumbum, como o explicado anteriormente. O peso corporal já garante resultados, mas o esforço extra fortalece ainda mais os músculos em menos tempo.

Corrida ou caminhada: andar rápido e correr trabalha bastante os glúteos e é ideal para quem não gosta muito do ambiente da academia. Passos largos e pés bem apoiados no solo pode fazer com que você contraia ainda mais os músculos do bumbum.

Exercícios sem pressa: realizar as atividades lentamente garante melhores resultado, pois facilita um maior número de repetições, sem que ocorra esgotamento físico

Afundo elevado: além do agachamento, os exercícios de afundo é boa opção para definir os músculos do bumbum. Para a versão elevada, coloque um pé sobre um banco e deixe o outro firme no solo. Começa com as duas pernas totalmente esticadas, dobre os dois joelhos ao mesmo tempo e agache. Faça 10 repetições com cada perna e, se possível, com halteres nas mãos.
 
 
 
 
Fonte: vix.com
 

terça-feira, 20 de setembro de 2016

É possível conciliar musculação com exercícios aeróbicos?

Musculação X Aeróbicos
Sim, é possível. Desde que seja feita com moderação para um não atrapalhar o outro, a combinação de treinos de força e fôlego pode trazer ótimos resultados.
Um erro comum entre os praticantes de musculação, principalmente os adeptos da hipertrofia – treino que busca aumentar a massa muscular – é pensar que atividades aeróbicas, como a corrida, prejudicam o treino de força.
Apesar de ser cientificamente comprovado que as proteínas musculares são quebradas e utilizadas para produzir energia durantes os exercícios aeróbicos, ninguém permanece constantemente quebrando e reconstruindo tecido muscular. É provável que o praticante de musculação perca um pouco de músculo ao fazer treino cardiorrespiratório em excesso, pois este exagero acelera o lado catabólico. Mas é seguro também informar que se pode realizar até 45 minutos de aeróbico, dependendo do indivíduo, sem perder nenhum percentual de massa magra, basta que seja dado o aporte nutricional adequado.
Perder músculos ou ganhar menos do que queria, normalmente pode ser sinal de erro no treinamento ou má alimentação. Os treinos aeróbicos, muitas vezes, complementam a musculação.

Benefícios dos exercícios aeróbicos

A prática de atividades aeróbicas, como corridas na esteira, atividades na bicicleta ergométrica e até mesmo no transport, trazem muitos benefícios à saúde, entre eles a queima de gordura,importante para uma boa saúde e para a construção muscular.

Aeróbicos antes ou depois da musculação?

Realizar a atividade aeróbica antes ou depois do treino de musculação vai depender do objetivo de cada individuo. Veja alguns exemplos:
Emagrecimento: quem está procurando perder peso, deve primeiro fazer o treino de musculação, pois assim, o organismo utilizará os carboidratos como principal fonte de energia, diminuindo as reservas de carboidratos. Quando iniciar a parte aeróbica, queimará gordura mais rapidamente.
Ganho de massa muscular: para quem procura aumentar a massa muscular, a indicação é realizar, três vezes por semana, em torno de 20 minutos de treino aeróbico, não excedendo 30 minutos de atividade, imediatamente após a musculação.
Pessoas com problemas cardíacas ou hipertensas: nestes casos, o ideal é fazer primeiro a atividade aeróbica, para ajustar o ritmo cardíaco e manter a pressão arterial sob controle. Como existem fatores de risco, a intensidade do exercício deve ser baixa, em torno de 65 a 70% da frequência cardíaca máxima, e a duração é de 40 a 45 minutos.
Reduzir medidas dos membros inferiores: este é outro caso que requer a atividade aeróbica primeiro, de preferência numa intensidade alta, com a frequência cardíaca em torno de 85%, intercalando com um ou dois minutos de recuperação numa frequência mais baixa (70%).
Lembrando que a pratica esportiva é excelente não só para parte física, como mental também. Mas antes de iniciar qualquer atividade física, é imprescindível a visita a um profissional especializado para analisar de perto o paciente e indicar com precisão o que deve ser feito. Esse texto tem apenas caráter meramente informativo e não dispensa a visita a um médico ou nutricionista esportivo. 



Por Stéphanie Mulder Perrone jornalista MTB 15.577 / produtora audiovisual




domingo, 18 de setembro de 2016

Resultados do Mr. Olympia 2016

mr-olympia-2016-resultados 
 

Categoria: Open Bodybuilding

mr-olympia-2016-open-bodybuilding-top-6
mr-olympia-2016-open-bodybuilding-phil-heath2
mr-olympia-2016-open-bodybuilding-phil-heath
# Atleta País
Phil Heath – 6x Mr. Olympia USA
Shawn Rhoden Kuwait
Dexter Jackson USA
Mamdouh Elssbiay (Big Ramy) Egito
William Bonac Netherlands

Categoria: 212 Bodybuilding

mr-olympia-2016-212-top-5
mr-olympia-2016-212-flex-lewis
# Atleta País
Flex Lewis Swansea, Wales
Ahmad Ashkanani Kuwait
Jose Raymond USA
Eduardo Correa Brasil
David Henry USA

Categoria: Figure

mr-olympia-2016-figure-top-5
mr-olympia-2016-figure-latorya-watts

# Atleta País
Latorya Watts USA
Candice Lewis-Carter USA
Cydney Gillon USA
Nicole Wilkins USA
Swann Delarosa USA

Categoria: Men’s Physique

mr-olympia-2016-mens-physique-top5
mr-olympia-2016-mens-physique-jeremy-buendia
# Atleta País
Jeremy Buendia USA
Ryan Terry United Kingdom
Jeremy Potvin USA
Brandon Hendrickson USA
Andre Ferguson USA

Categoria: Classic Physique

mr-olympia-2016-classic-physique-top5
mr-olympia-2016-classic-physique-danny-hester
# Atleta País
Danny Hester USA
Arash Rahbar USA
Sadik Hadzovic USA
Breon Ansley USA
Darrem Charles Trinidad

Categoria: Women’s Physique

mr-olympia-2016-womens-top-5
mr-olympia-2016-womens-juliana-malacarne
# Atleta País
Juliana Malacarne Brasil
Danielle Reardon USA
Heather Grace USA
Kira Neuman USA
Jamie Nicole Pinder USA

Categoria: Bikini

Categoria: Bikini - Top 5
Courtney King
# Atleta País
Courtney King USA
Angelica Teixeira USA
India Paulino USA
Ashley Kaltwasser USA
Jennifer Ronzitti USA

Categoria: Fitness

mr-olympia-2016-fitness-top-5
mr-olympia-2016-fitness-top-oksana
# Atleta País
Oksana Grishina Russia
Tanji Johnson USA
Regiane Da Silva Alemanha
Whitney Jones USA
Bethany Wagner USA

 

 

 

Fonte: Nutrição e Musculação


Arquivo do blog