terça-feira, 14 de junho de 2016

GH, hormônio fundamental para a hipertrofia e definição

Que os hormônios são fundamentais para o crescimento muscular e a definição, isso todos já sabem. Porém, muitas pessoas têm dúvidas sobre a real ação do GH e como melhorar a secreção deste. Veja mais neste artigo.

 GH hormônio definição e massa muscular

 

Seja na questão dos anabólicos, seja para quem visa crescer naturalmente, a ação do GH é fundamental. Conhecido popularmente como o hormônio do crescimento, ou HGH (Human Growth Hormone), ele é produzido pela glândula hipófise. Ao contrário do que acontece com outros hormônios, que também são produzidos pela hipófise e que geralmente costumam atuar diretamente na regulação do funcionamento de glândulas, como por exemplo, as suprarrenais, os testículos ou os ovários, o GH age no organismo de uma maneira bem geral, atuando não apenas no crescimento de estatura (longitudinal), mas também no das células em geral. Infelizmente, quando atingimos a fase adulta, os níveis de GH começam a diminuir consideravelmente, porém, existem maneiras naturais e saudáveis de aumentar a secreção deste importante hormônio.

Como ocorre a regulação da liberação do GH
Já ouve um tempo em que a ciência acreditava que o GH era secretado apenas durante a infância, cessando quando chegássemos a idade adulta. Hoje já sabemos que o GH continua a ser secretado mesmo após o término da adolescência, porém em níveis bem menos acentuados. Não existem uma linearidade na secreção de GH e diversos fatores atuam diretamente sobre ela, como a alimentação, stress ou o exercício físico.

Outro fator importante para a liberação do GH é o sono, mas não aquele da soneca. A liberação do GH aumenta bastante durante as primeiras duas horas de sono. Esta liberação ocorre durante a fase que chamamos de MRO (movimento rápido dos olhos) do sono. Porém, qualquer coisa que interfira esta fase, como o álcool por exemplo, vai interferir na liberação do HGH. Desta maneira, este é mais um dos fatores fundamentais para você ter sempre boas noites de sono.

Indicações do uso de GH!

De um modo geral, o hormônio GH é fundamental para a manutenção do equilíbrio do corpo humano. Desta forma, pessoas que apresentam problemas de secreção e síntese deste hormônio, acabam tendo problemas de saúde bastante complexos.

Neste caso, pessoas que deliberadamente tem problemas com a secreção e síntese de GH, precisam de tratamento específico, com acompanhamento de um endocrinologista.

Existem determinadas doenças que podem causar este problema e elas precisam ser diagnosticadas e tratadas.

Porém, o que temos visto com grande frequência é o fato que muita gente usa as terapias com base no GH para fins estéticos. O GH, assim como qualquer hormônio esteroide, pode causar problemas de saúde gravíssimos, oriundos de um desequilíbrio hormonal, que pode causar entre outras coisas, doenças como o câncer.

Perigos da ingestão de GH na forma de esteroides

Faz bastante tempo que o GH vem sendo prescrito para tratamento de problemas endócrinos em crianças, quando estas tenham o seu crescimento cessado devido a secreções inadequadas do GH. Hoje em dia o GH pode ser produzido artificialmente através de uma complexa engenharia genética.

Isto faz muitas pessoas acreditarem que ao colocarem este hormônio sintético em seu corpo pode dar um grande “UP” em seu treino. Pois bem, saiba que brincar com algo como o GH pode ser bastante perigoso para alguém que não tenha a real necessidade médica ou pior ainda, desconheça a sua ação e maneira de usar.

O GH só pode ser adquirido através de prescrição médica, ou pelo menos deveria ser assim. O problema é que a oferta “obscura” de GH faz com que muito do que é ofertado por ai, não seja de fato seguro.

Caso mesmo assim, você ache que pode ingerir grandes quantidades de GH na fase adulta e sem a devida prescrição médica para determinado tratamento, saiba que está com grandes chances de desenvolver uma acromegalia. Esta doença provoca um alargamento acentuado dos pequenos ossos das mãos, pés, nariz, crânio, testa e mandíbula.

Além disso, pelo fato de o GH promover um aumento no tamanho e ação das células (o que tecnicamente auxilia na hipertrofia), há um risco. Isso por que ao utilizar terapias com base no GH, sem a real necessidade, não temos o controle sobre a ação deste hormônio. Desta forma, tanto podemos ter um aumento das células musculares, como também das demais células do corpo, o que pode dar início a um quadro de câncer.

Tratamento a base de GH

Como o GH é um hormônio e deve ser vendido apenas sob prescrição médica, ele é um tratamento. Segundo a sociedade brasileira de Endocrinologia e Metabologia, O tratamento com GH é feito através de injeções diárias, que devem ser aplicadas pouco antes de dormir, por via subcutânea (isto é, no tecido adiposo) nas coxas, braços, abdômen ou glúteos. Não existem preparações eficientes em formas de comprimidos, sprays ou adesivos.

Desta forma, este tratamento deve ser feito apenas para termos de reposição deste hormônio e este, é muito comum em crianças com déficit na produção do mesmo.

Para fins estéticos, não há estudos que comprovem doses seguras para sua utilização.

Exercícios físicos e a liberação de GH

Porém, caso você esteja pensando que não existe maneira segura de obter o GH, engana-se. Esta maneira existe e é o exercício físico intenso. Esta é a única maneira confiável de induzir-se a liberação do GH. Durante algum tempo a ciência se concentrou na ação dos exercícios aeróbicos sobre a liberação do GH, que mostraram que são necessários pelo menos 10 minutos de exercícios aeróbicos intensos para obtermos uma resposta significativa de GH. Hoje, uma grande parte dos estudos sobre a liberação de GH estão focados nos efeitos da musculação sobre os níveis de GH.

O estudo mais recente, feito por uma universidade americana, examinou homens e mulheres, de grupos de idades bastante variadas (adultos jovens com a idade média de 27 anos e adultos maduros com idade média de 72 anos). Todos estes indivíduos eram sadios, com peso e altura com médias iguais. Nenhum deles tinham experiência prévia na musculação, e com estilo de vida diária que variava do sedentarismo a moderadamente ativos.

Cada pessoas executou 13 exercícios resistidos os treinos trabalharam os maiores grupos musculares do peitoral, costas, braços, pernas e também do abdômen. Cada série foi executada oito vezes e a carga variou de 60% a 80% de 1 RM. Os indivíduos descansaram durante 30 segundos entre cada série e tiveram o período de uma semana de recuperação entre cada treino.

Através de amostras sanguíneas que foram colhidas após cada treino e também após cada terceira série completa e a cada 2 minutos, durante o período de 10 minutos após o fim do treino, que foram feitas para medir os níveis de liberação de GH.

Os níveis basais de GH não apresentaram diferenças entre homens e mulheres, e mostraram apenas uma pequena diferença entre os grupos mais jovem e mais velho (2,61 contra 1,74 ). Para o grupo das pessoas mais jovem não houve uma liberação significativa do GH, no período da primeira semana de exercícios feitos a 60% da carga máxima. Níveis intermediários de GH puderam ser observados na semana seguinte quando a intensidade do treinamento foi à 70% da carga máxima e níveis máximos de GH puderam ser observados com 85% da carga máxima, já na terceira semana.

O grupo mais velho mostrou um aumento significativo nos níveis de GH com 60% e 70% da carga máxima. No grupo das pessoas mais jovens, os níveis de GH começaram a aumentar apenas após 5 minutos de exercício, sendo que o nível de pico foi atingido aos 14 minutos e lentamente foi declinando até os níveis basais ao final do treino, sendo que isto não foi diferente entre homens e mulheres.


Efeitos fisiológicos do GH

Basicamente, o GH estimula o crescimento de todos os diversos tipos de tecidos orgânicos que tem a capacidade de aumentar de tamanho. Isto acontece com o estimulo das células para que estas aumentem tanto em tamanho quanto em número. Estudos recentes têm mostrado que estes efeitos parecem durar por toda a vida, excetuando apenas a questão óssea. Logo após o final da adolescência, os ossos já não aumentarão mais em comprimento como resposta ao GH, porém eles continuarão a se espessar. O GH causa diversas mudanças de origem fisiológica no corpo, que são muito benéficas aos praticantes constantes de musculação. Veja algumas das principais:

1. Síntese proteica: 
O GH causa um aumento na produção do RNA (ácido ribonucleico, responsável pela síntese proteica a nível celular), deste modo, a síntese proteica pode ser potencializada. Ele também aumenta e potencializa o transporte dos aminoácidos através da membrana celular, o que faz com que o suporte ao aumento da síntese proteica aconteça e o catabolismo destas proteínas seja reduzido ou evitado. Desta maneira, teremos um aumento da proteína orgânica, que é necessária para a reconstrução muscular depois de um treino.


2. Liberação dos ácidos graxos: 
O GH também pode ser um auxiliar nesta função, durante a sua secreção. Estes ácidos graxos são quebrados em unidades menores, para que eles possam prover energia para o crescimento. A síntese proteica requer bastante energia e o GH acaba “forçando” o organismo a metabolizar a gordura para ser utilizada como fonte de energia para a reconstrução muscular.


3. Síntese de glicogênio aumentada: 
Este é outro fator muito importante, já que devido ao metabolismo das gorduras como fonte de energia, as suas reservas de glicose serão poupadas e desta maneira a síntese de glicogênio pode aumentar. A reposição dos depósitos de glicogênio vai ser necessária para que a musculatura esteja pronta para um próximo treino.

Basicamente este é um dos fatores que fazem com que os fisiculturistas e pessoas que visem a hipertrofia em geral, queiram aumentar seus níveis de GH. Pois desta maneira eles tem um considerável aumento na síntese proteica, aliado a um aumento na eliminação de gordura, com a melhor conservação dos depósitos de carboidratos. Tudo isso junto, forma alguns dos fatores essenciais para quem quer um corpo grande e com boa definição muscular.
Efeitos colaterais na utilização de GH
Como nem tudo são flores, a utilização de GH para fins estéticos pode causar uma série de problemas. Um dos problemas mais comuns é a retenção hídrica, dores articulares e musculares.

Além dos riscos citados acima, como o desenvolvimento de câncer e outras doenças, ainda existem casos comuns de hipertensão intracraniana benigna, mais conhecida como “síndrome do pseudotumor cerebral”. Esta doença não chega a ser fatal, pelo fato de que o tumor é benigno. Porém, ela causa sintomas como fortes dores de cabeça, vômitos, alterações visuais, agitação e alteração no modo de andar (marcha).
Como aumentar a secreção de GH naturalmente
Se de um lado temos um hormônio altamente anabólico, que gera grandes ganhos em termos de hipertrofia, do outro temos os riscos das terapias sintéticas. Desta maneira, o mais indicado sempre será a busca pelo aumento natural da secreção deste hormônio, em contra partida de um processo adaptativo crônico.

Para isso, temos que ter alguns pontos fundamentais:
– Sono de qualidade:
Este é o principal ponto para o aumento da secreção de GH. Estima-se que seja durante o sono que nós atinjamos os picos de secreção máxima. Tanto é que como já citei, o tratamento médico a base de GH conta com aplicações poucos minutos antes do sono. Isso acontece justamente por que nesta fase, temos uma maior absorção e secreção deste hormônio.

Neste sentido, se você quer aumentar sua secreção de GH, duram corretamente e respeite seus horários!
– Treine em alta intensidade:
Assim como no caso da testosterona, outro hormônio anabólico de grande poder, o GH também tem sua secreção aumentada durante o treino de alta intensidade. Não apenas durante o treino, como também depois do mesmo!

-Evite carboidratos simples:
Os carboidratos simples, como o açúcar, podem trazer malefícios para sua secreção de GH. Um dos pontos principais é o fato de o excesso de insulina, causada por altos picos de açúcares no sangue, bloquear a secreção e a ação do GH.

– Estimule a produção de vitamina D:
A vitamina D, sintetizada através do sol, pode ser de grande valia para este objetivo. Isso por que ela estimula a produção de testosterona e GH no organismo, aumentando consideravelmente a síntese proteica!



Enfim, se for através do exercício físico que você promover o aumento do GH, pode ter certeza absoluta que você terá apenas benefícios, tanto para seu corpo como para a sua saúde. Este importante hormônio precisa de treinos intensos, sono adequado e boa alimentação para ter a sua secreção aumentada. Qualquer semelhança com todo o processo de hipertrofia não é mera coincidência. Pense nisso! Bons treinos!



Fonte: Treino de Mestre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog