terça-feira, 24 de maio de 2016

O que acelera mais o metabolismo: cardio ou musculação?

Um metabolismo acelerado promove maior gasto calórico. Mas o que é mais eficaz? O personal trainer Sérgio Filipe responde a esta dúvida de muita gente.
musculação exercicios 
O metabolismo tem um papel muito importante para que se consigam atingir determinados objetivos físicos. Isto acontece porque o metabolismo é aquilo que nos faz gastar mais ou menos calorias. Mais concretamente, é a reação química que faz com que o nosso organismo transforme aquilo que comemos em combustível. Este combustível é o que faz com que as células, os músculos e os órgãos — que precisam de energia — funcionem corretamente. Se for acelerado, queima mais facilmente as calorias que consumimos, permitindo o uso (gasto) dessa energia, mas se for lento o efeito é o contrário e a energia é armazenada em forma de gordura.

Por norma, uma mulher gasta entre 1200 a 2000 calorias por dia, sem precisar se mexer muito, e um homem, gasta entre 1800 a 2500 (é o chamado metabolismo basal). Contudo, estes valores não passam de estimativas.

A verdade é que todos temos metabolismos diferentes, sendo que cada organismo funciona à sua maneira. Mas, com mais facilidade ou dificuldade, todos o podemos moldar àquilo que queremos. Tudo depende da forma como nos comportamos no nosso dia-a-dia: se consumirmos muitas bebidas alcoólicas, muitos produtos processados, se dormirmos pouco e comermos pouco vamos torna-los mais lento. Por outro lado, se fizermos o inverso, apostarmos em bebidas como café, chá verde, consumirmos proteína e se soubermos escolher os hidrato de carbono vamos acelerar o processo.

Somando a isto tudo está o exercício físico, uma das ferramentas mais importantes e eficazes para acelerar o metabolismo. Mas será que qualquer tipo de treino acelera o metabolismo? Ou será que há modelos melhores do que outros? Foi para conseguir responder a estas perguntas que falamos com o personal trailer Sérgio Filipe, do Holmes Place.

“O aumento do volume do músculo vai exigir mais energia ao corpo”, contrariamente ao que acontece com a nossa massa gorda”

O personal trainer começou por nos explicar que há alguns principais fatores naturais que “afetam o nosso gasto energético”: a “composição corporal, a idade, sexo e o estado hormonal”. Vamos por partes.

Quanto à composição corporal, “quanto maior a massa corporal magra, isto é, músculo, maior a taxa metabólica”, ou seja, mais calorias o nosso corpo consome. Por outro lado, quanto mais velhos somos, mais diminui este “ritmo metabólico”, sendo que, a regra é que os homens tenham um metabolismo mais acelerado do que as mulheres — como já vimos no valores apresentados acima.

Feita a explicação, vamos ao que interessa. Vamos então saber que tipo de exercício tem impacto no nosso metabolismo. De acordo com o personal trainer, “qualquer tipo de exercício tem impacto no metabolismo pois há uma maior solicitação das células e órgãos que, por consequência, irão produzir mais energia”, diz. Mas há um fator que vai ajudar muito a acelerar o metabolismo — a quantidade de músculo que temos no nosso corpo: “O aumento do volume do músculo vai exigir mais energia ao corpo, contrariamente ao que acontece com a nossa massa gorda”, diz. Por isso, o aumento da massa muscular é essencial para acelerar a “taxa metabólica”. Seguindo esta lógica, será então muito importante fortalecer e, por isso, treinar os músculos.

O personal trainer sugere dois modelos de treino, que apesar de misturarem as componentes cardio e musculação, vão trabalhar sempre mais uma do que a outra: um treino de musculação em circuito, que “é excelente para aumentar a resistência muscular e a ajudar na queima de gordura”. Um treino em circuito é bastante simples: só tem de fazer os exercícios do seu plano de forma seguida, durante um determinado período de tempo, ou repetições. Depois, é repetir o circuito mais uma ou duas vezes, conforme aquilo que lhe for recomendado por um especialista.

No treino cardio, Sérgio recomenda o treino intervalado, ao qual também se dá o nome de treino metabólico, que, em simultâneo, também favorece o aumento da massa muscular, utilizando sobretudo movimentos mais funcionais — “este tipo de treino alterna entre períodos de alta intensidade e períodos curtos de repouso, excelentes para criar alterações fisiológicas ao nível das células.” 




Fonte: Jornal de Caruaru

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog