terça-feira, 1 de março de 2016

Grávida pode fazer musculação?


Grávida pode fazer musculação?

As grávidas só podem fazer musculação quando elas já praticavam este tipo de atividade física antes de engravidar porque assim seus músculos já estão devidamente fortalecidos, havendo menor risco de lesões.

No entanto, mesmo a grávida que já estava habituada à musculação antes de engravidar precisa ter algum cuidado, não realizando treinos muito intensos, nem treinar mais de 3 vezes por semana. Cada treino deve ser de 30 minutos a 1 hora, com séries de 8 a 10 repetições por exercício. Outro cuidado importante é optar por exercícios de baixo impacto, sem forçar a região pélvica, o abdômen e as costas, que devem ser orientados por um profissional de educação física.

Gestante pode fazer musculação

Quem não pode fazer

Mulheres que não praticavam exercícios devem repousar durante o primeiro trimestre e começar a atividade apenas no segundo trimestre, quando diminui o risco de aborto espontâneo.
Além de ser contraindicada para mulheres que não praticavam musculação antes de engravidar, esse tipo de atividade é especialmente contraindicada para as gestantes que tem:
  • Doença cardíaca;
  • Risco aumentado de trombose;
  • Embolia pulmonar recente;
  • Doença infecciosa aguda;
  • Risco de parto prematuro;
  • Sangramento uterino;
  • Isoimunização grave;
  • Obesidade mórbida;
  • Anemia;
  • Diabetes;
  • Hipertensão;
  • ​Suspeita de estresse fetal;
  • Paciente sem acompanhamento pré-natal.
O ideal é sempre ir ao médico antes de iniciar qualquer exercício físico, para avaliar a saúde da gestação e pedir autorização para se exercitar, além de ser acompanhada por um educador físico para fazer tudo com segurança.

Riscos de fazer musculação durante a gravidez

As mulheres que nunca praticaram musculação e decidem começar esses exercícios durante a gravidez podem prejudicar o bebê porque nestes casos há risco de lesões e impactos fortes na barriga da mãe, diminuição da quantidade de oxigênio para o bebê, diminuição do crescimento do feto, baixo peso ao nascer e parto prematuro.

A melhor forma de saber se os exercícios são seguros na gravidez é conversar com o médico e com o professor da academia antes de iniciar os exercícios e se a mulher não praticava nenhum exercício antes da gravidez, deve optar por exercícios mais leves, com menos impacto.

Exercícios recomendados

Para as mulheres que não praticavam musculação antes da gravidez, o ideal é que façam atividade física de baixo impacto para a coluna e articulação, como Pilates, natação, hidroginástica, Yoga, ginástica aeróbica, caminhar e pedalar na bicicleta ergométrica.

Além disso, fazer pequenos exercícios ao longo dia também trazem vantagens para o organismo desde que juntos completem pelo menos 30 minutos de atividade física. Assim, a mulher pode fazer 3 vezes por dia 10 minutos de caminhada, por exemplo, que já terá resultados positivos para a gravidez.

Exercícios não recomendados

Dentre os exercícios que não são recomendados estão os abdominais, as flexões, os saltos e os exercícios que necessitem de equilíbrio, pois causam impacto na barriga ou aumentam o risco de quedas, o que pode prejudicar o bebê.

Assim, exercícios ou esportes como voleibol, basquetebol, hipismo, ginástica de alto impacto e mergulho devem ser totalmente evitados durante a gravidez, mesmo por mulheres que já praticavam essas atividades antes de engravidar.

Benefícios da atividade física na gravidez

Benefícios da Atividade Física 
Benefícios da Atividade Física
A atividade física leve ou moderada na gravidez traz os seguintes benefícios:
  • Menor ganho de peso da mãe;
  • Prevenir diabetes gestacional;
  • Menor risco de parto prematuro;
  • Menor duração do trabalho de parto;
  • Menor risco de complicações no parto para a mãe e o bebê;
  • Diminuir o risco de fazer cesárea;
  • Aumentar a capacidade física e disposição da grávida;
  • Prevenir varizes;
  • Diminuir a dor nas costas;
  • Ajudar no controle da pressão arterial;
  • Aumentar a flexibilidade;
  • Facilitar a recuperação após o parto.
Além dos benefícios pro corpo e pro bebê, o exercício também ajuda a aumentar a autoestima da mulher e reduzir o estresse, a ansiedade e o risco de depressão pós parto.


Fonte: B.J

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog