quarta-feira, 14 de outubro de 2015

CONSTRUIR MASSA MUSCULAR?

CONSTRUIR MASSA MUSCULAR? 

Para analisar essa questão, vamos olhas cada um desses três fatores separadamente.

TREINO
O quão intenso, volumoso ou frequente o treinamento tem que ser vai depender de muitos fatores, como tempo de treino, individualidade biológica e outros.
 
O ponto central, no entanto, é que é preciso dar um estímulo progressivo ao seu corpo que ofereça algum tipo de desafio. Considere bem o progressivo.

Para quem é iniciante, só o fato de começar um programa de treinamento já provocará esse estímulo. E não precisa ser algo mega elaborado, sofisticado, com incontáveis técnicas avançadas. Ao contrário: quanto mais simples melhor. Principalmente se a pessoa verdadeiramente vivenciar os movimentos que realiza, e não fazer de forma automática.

Agora, para quem já é muito avançado será preciso um esforço muito grande no treinamento, pois o organismo precisa de muito estímulo para sair da zona de conforto.

É comum observar as pessoas querendo realizar o mesmo treino que um amigo que está em nível superior. Mas esse é um grande erro. É preciso progredir no treinamento, e não pular etapas, como já falei.
Nesses casos de grandes saltos de intensidade, o corpo acaba se recuperando (afinal, ele faz de tudo pela sobrevivência), mas não supercompensa – processo essencial para a hipertrofia. Então entra mês, sai mês e a pessoa continua com o mesmo corpo.

Moral da história: o treinamento tem que ser intenso. Mas essa intensidade será ditada pelo nível em que a pessoa se encontra.
hipertrofia-el-hombre

DESCANSO
Esse fator está diretamente correlacionado com o treinamento. Cada um possui uma capacidade de recuperação diferente. Ou seja, quando dizemos que uma pessoa leva de 48-72 horas para se recuperar e supercompensar de um treinamento, quer dizer que 90% da população se encaixa nisso. Então pode ser que você leve 50 horas, seu amigo 70 horas, e um outro cara que tem uma recuperação fantástica 36 horas.
Ou seja, apesar das referências, sempre é preciso levar em consideração a individualidade de cada um.

DIETA
A questão da dieta é influenciada tanto pelos fatores genéticos, quanto pelo seu nível de treinamento também. Isso fica claro quando comparamos homens e mulheres: por ter muito mais massa muscular, o homem pode comer mais, tanto para emagrecimento, quanto ganho de massa magra.
Outro fator interessante está relacionado ao quanto de gordura você tem em seu organismo: quanto menor sua porcentagem de gordura, mais sensível à insulina você é – ou seja, come mais e engorda menos.
Observo a obsessão por batata doce, frango e whey protein em quem faz academia. Mas esse pode ser um grande erro. Qualquer nutricionista vai te falar que comer somente isso não é saudável e não é necessário.
Mas hoje quero focar na questão da quantidade, pois é aí que está o equívoco de 90% das pessoas. E o raciocínio é simplres: se você está comendo e não ganha massa muscular, provavelmente tem que comer mais.

Moral da história: a dieta é algo um pouco complicado. Não se pode sair comendo o que quiser e quanto quiser, mas com certeza dentro de uma dieta equilibrada há espaço para tudo, basta consultar um nutricionista.

A verdade é que o grande fator diferencial entre um treino de perda de gordura e um treino de ganho de massa muscular é a nutrição. Para crescer em massa muscular é preciso consumir mais energia do que se gasta. Ou seja, é necessário ter o mínimo de noção do quanto se consome e o quanto se gasta diariamente.
Então se não há disciplina na alimentação, dificilmente se alcançará ótimos resultados na academia.


Fonte: Elhombre.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog