sábado, 18 de julho de 2015

Corrida e musculação: é possível conseguir hipertrofia sendo corredor?


A relação entre musculação e corrida, para fins estéticos, é bastante sensível. Veja neste artigo mais sobre a questão da hipertrofia e sua relação com a corrida!

musculação e corrida como ganhar massa muscular
 
A corrida de rua vem ganhando cada vez mais espaço e com isso, o número de praticantes cresce exponencialmente. Com isso, este público se torna cada vez mais homogêneo, tal como seus objetivos. Neste contexto, muita gente que corre, também busca resultados estéticos, em termos de hipertrofia. Como são atividades totalmente diferentes, a corrida e a musculação visando hipertrofia, muitas vezes não trazem os resultados esperados.

Para que ocorram bons resultados, na relação entre corrida e hipertrofia, é necessário que o treino seja muito bem montado, bem como a alimentação respeite tal objetivo. Mas neste contexto, com toda a certeza é no descanso que precisa estar grande parte de seu cuidado. Isso porque as duas atividades, para que tenham efeito, precisam de um descanso correto.

Para ter uma noção exata disso, vamos avaliar o contexto geral!

Corredor pode conseguir hipertrofia? Depende do treino!

De uma maneira geral, o corredor é aquele que busca cobrir distancias longas. Com isso, seu treino é focado na melhora da força de resistência e na resistência muscular localizada, além das questões ligadas ao Vo2 máximo. Desta maneira, as fibras de contração lenta são as mais estimuladas com este tipo de treino. Como já mencionamos neste artigo (Diferentes tipos de força e sua influência no treino), as fibras de contração lenta tem menos potencial contrátil.

Mas é lógico que nem sempre isso acontece. Existem corredores que não percorrem distancias consideradas tão elevadas, como as de 5 e 10 quilômetros. Com isso, o estimulo sobre as fibras é variado.
Além disso, de acordo com as teorias mais recentes do treinamento concorrente, o corpo tende a dar mais “importância” a um dado estímulo, se este concorrer com o outro. Desta forma, a montagem de treino de alguém que corre e faz musculação visando a hipertrofia é altamente complexa.

Hipertrofia correndo
 
Para facilitar seu entendimento, vou dar um exemplo prático. Imagine que você corra para completar provas de 10 km, em um pace de 5 min por km (considerado um pace mediano para grande parte das pessoas).

Desta maneira, você faz o longão no sábado e treina mais duas vezes durante a semana. Com isso, sobram 3 dias para a musculação (não estou levando os fatores ligados a rotina em conta).

Dessa forma, um treino que vise a hipertrofia, que será feito apenas 3 vezes por semana, precisa de uma elevada intensidade de treinamento. Como isso pode atrapalhar a corrida (por fatores como a recuperação muscular e bioenergética).

Neste contexto, muito provavelmente o rendimento na corrida seria muito menor.
Da mesma forma, se você treinar 4 vezes na semana corrida e somente 2 musculação, muito provavelmente não terá bons resultados em termos de hipertrofia.

Neste artigo já demos a razão para isso (Princípios do treinamento – A especificidade). Quando pensamos em um treinamento físico, temos de ter em mente que ele precisa sempre ter um objetivo. Neste contexto, o principio da especificidade é muito importante!

Hipertrofia (com ganhos consideráveis) e corrida (exercício predominantemente aeróbico), são atividades que concorrem entre si. Com isso, o corpo tende a ter um desempenho menor em uma delas. A solução para isso?

Igualar ao máximo as intensidades

Se ao invés de você correr de maneira constante, optar por um treino mais intervalado (que é comprovadamente eficiente para a melhora do Vo2 máximo), terá mais chances de ter sucesso em termos de hipertrofia.

musculação e corrida como conciliar o treino

Mas quem corre, sabe que os treinos de rodagem também são importantes, por isso, eles precisam estar contidos em suas planilhas. Treinar ambos no mesmo dia pode ser uma boa saída para alguns casos, mas lembre-se que isso é muito individual. Além disso, na mesma sessão podemos entrar novamente na questão da concorrência entre os treinos!

Se formos avaliar de uma maneira geral, é bastante complexo conseguir integrar a corrida  e um treino de hipertrofia, mantendo a qualidade em ambos.

Isso vai exigir o acompanhamento de um profissional de qualidade, que vai saber verificar não apenas as cargas de trabalho, mas sua rotina, alimentação e vida pessoal. Sem levar isso em conta, hora ou outra você acabará ficando desgastado (a).

Além disso, o cuidado para não entrar em overtraining é muito importante, pois com tantos treinos, é muito fácil entrar neste estado. Além disso, a dieta precisa estar muito bem adaptada a tal solicitação.
De uma maneira geral, não é muito provável que você consiga grandes resultados na corrida e na musculação, com objetivos tão distintos. Já se você quiser apenas resultados em termos recreacionais, é totalmente possível integrar ambas as atividades!



Fonte: Treino de Mestre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog