terça-feira, 30 de junho de 2015

Conheça 3 mitos clássicos da musculação


Conheça alguns mitos que estão impregnados na musculação a muitos anos e elimine-os de sua vida, te libertando para novos conhecimentos e mais resultados.

Você já parou para pensar na veracidade do que você escuta, lê ou assiste? Você já pensou o quanto as diversas áreas da vida, inclusive a musculação, podem sofrer influência de itens que são inverdades parciais ou absolutas? Talvez, as coisas que você mais tenha como verdade, podem não passar meramente de mitos populares. Pois bem, se você não parou, é interessante continuar adiante neste artigo que trará alguns pontos os quais você pode se surpreender…

mitos-da-musculacao

Entre as diferentes culturas existentes no mundo, cada qual possui uma característica diferente e leva algumas histórias e lendas que são decorrentes de todo seu processo histórico e algum dia foram contadas, acabando por se tornar inseridas e emergentes naquela população. Não é por acaso que, por exemplo, na cultura brasileira se fala sobre o consumo de leite com manga ser prejudicial, quando na verdade esse conceito surgiu para que escravos na época pós-colonial não roubassem leite de seus senhores. Mitos existem por todos os lugares.

Assim também acontece com a cultura da musculação, ou seja, em dados momentos são criados conceitos os quais acabam se tornando regras e passam a ser verdades absolutas, o que faz com que muitos indivíduos acabem ficando limitados em achar que aquela é a única forma de obter resultados. Portanto hoje, discutiremos um pouco a respeito de 3 mitos que estão “impregnados” no mundo da musculação, propondo o que há ou não de verdade nos mesmas.
 
1- Você sempre necessita de altas quantidades de cargas para construir músculos
Construir músculos não é algo que seja fácil, e quanto mais se passam os tempos de treinamento, mais então surgem as dificuldades, fazendo com que sejam necessários métodos inovadores para continuar a progressão muscular.

Certamente, muitas vezes os ganhos musculares são associados com o treinamento pesado e envolvendo cargas pesadas, pois parece óbvio que quanto mais exigirmos em força do músculo, mais resultados teremos… Entretanto, há alguns pontos que devem ser levados em consideração:

– O primeiro deles é o fato de que a hipertrofia e a hiperplasia requerem muito mais do que grandes cargas ao músculo. Elas também envolvem aspectos relacionados com o tempo de contração do músculo, o impacto hormonal durante e após o treinamento, a qualidade da nutrição e hidratação do indivíduo, o tempo de descanso adequado e mesmo o volume do treino, entre muitos outros pontos. Assim, um treinamento com menores cargas, mas que apresente maiores características vantajosas aquele indivíduo, será mais bem-vindo do que treinamentos com altas cargas.

agachamento-com-alta-carga

– O segundo ponto é que necessitamos de periodizações. Assim como o treino pesado com altas cargas deve fazer parte dessa, treinamentos com maior volume e menores cargas também devem advir nessa periodização para que o corpo não caia em estados de adaptação.

Ainda, admitindo que levantar cargas seja o único fator para ganho de massa muscular, podemos pensar que quanto mais carga levantamos, então, mais carga temos de levantar no próximo treino. O resultado? Quanto seria então necessário levantar de carga em níveis ótimos musculares? A disponibilidade de peso começaria a se limitar na maioria das academias, as chances de lesão triplicariam, o indivíduo ficaria suscetível a acidentes em exercícios livres, entre outros pontos importantes.

Mais do que carga, é necessário treinar com inteligência e técnica na musculação e é isso que trará os bons resultados e resultados contínuos.

2- Para a fase de cutting devo utilizar treinamentos volumosos
Assim como se imagina que seja necessário um treinamento breve e pouco volumoso para o ganho de massa muscular, também imagina-se que para obter um bom período de cutting, seja necessário o aumento do volume do treinamento, quando na verdade isso pode resultar em efeitos totalmente indesejados e inversos ao que propomos.

Em primeira instância, devemos considerar que os treinamentos volumosos estimulam primordialmente a hipertrofia sarcoplasmática em maior quantidade. Isso resulta em um aumento que não é duradouro no músculo, ou seja, não estamos aumentando efetivamente as suas fibras musculares, mas o conteúdo celular, assim como de líquidos no interstício das células. O treinamento volumoso ainda possui grandes chances da liberação de hormônios altamente catabólicos, como o cortisol e mesmo o glucagon. Esses hormônios são grandes causadores de perda de massa muscular e podem auxiliar em processos inflamatórios, prejudicando também a recuperação do músculo.

treino-de-alto-volume

Simplesmente a depleção de glicogênio maior em treinos volumosos não justifica sua utilização para o período de cutting, pelo menos para grande parte dos indivíduos. Em especial, para praticantes de musculação “drug free”, ou seja, que não utilizam anabolizantes, treinar brevemente seria muito mais vantajoso. Isso porque, consegue-se uma efetiva manutenção na própria fibra muscular, consegue-se poupar a liberação em grandes quantidades desses e de outros hormônios catabólicos, consegue-se estimular o hormônio do crescimento (GH), que tem grande ação em tecidos moles e consegue-se poupar energia, pois lembre-se que estaremos em uma fase dietética restrita.

É importante ainda salientar que a dieta por ser restrita, dependendo de como for restrita, deve ser grandemente considerada, pois ela por si só já pode representar chances de catabolismo. Por isso, sempre o treino deve estar devidamente ajustado.

3- Quanto mais eu treinar, mais irei desenvolver meus músculos

É comum que imaginemos que a persistência em algo aprimorará determinado (s) ponto (s) e teremos melhores resultados. Entretanto, se tratando da musculação, esse fato de persistência requer REALMENTE UM TEMPO LONGO, ou seja, não é persistindo em curtos períodos que iremos obter bons resultados, mas dentro de protocolos corretos é que conseguimos obter estes bons resultados.

Não somente o treinamento volumoso pode acabar com os resultados de um praticante de musculação. A frequência com que realiza a musculação está inversamente proporcional aos ganhos musculares. Isso se deve ao fato de que assim como o corpo NECESSITA de períodos de treino, também NECESSITA de períodos os quais possam ser de descanso, ou seja, sem a realização de quaisquer atividades físicas.

Se, por um lado, o treinamento com pesos é o estímulo para que haja o crescimento e/ou a manutenção muscular, é no período de descanso que o corpo promove as supercompensações e os resultados desejados na musculação. Esse descanso deve ser adequado ao estímulo que é dado ao músculo esquelético e a outras estruturas fundamentais para o funcionamento do sistema motor e neuromotor, incluindo desde ligamentos e tendões, aos próprios nervos.

descanso-na-musculacao

E é por isso que quando falamos que a persistência na musculação requer ainda mais persistência, muitas pessoas ficam confusas. Para que essas estruturas esteja muito bem recuperadas e possam realizar um trabalho mais pesado ainda, leva-se um considerável tempo, ou seja, dias. E se esses dias não forem respeitados, pouco adiantará o treinamento, fazendo com que o corpo caia em estados de adaptação.
Então, pensamos: Quanto tempo é o ideal para se descansar? E logo, a resposta para essa pergunta fica um tanto quanto aberta e imprecisa. Isso porque o bom tempo de descanso pode ser variável ao estímulo que é dado ao músculo, levando em consideração que cada pessoa possui intensidades diferentes de treinamento e cada característica fisiológica genética possui uma diferente resposta a determinado (s) estímulo (s). Logo, não há como saber o quanto se deva descansar. Esse conhecimento deve, através da experiência, pouco a pouco partir do próprio praticante de musculação ir percebendo com o tempo como seu corpo responde a diferentes tempo de descanso e a necessidade que haverá de dias. Logicamente, a percepção de descanso deve ser bem cuidadosa, pois não somente a sensação de dor tardia pós-treino é o único sinal de que o músculo ainda está fadigado, a motivação para o treino, a plenitude articular e a possibilidade de aumento de intensidade também devem fazer parte dessa plenitude do descanso.

Portanto, jamais negligencie o poder de descansar e recuperar o músculo. Sem sombra de dúvida, hoje, muitas pessoas deixam de ter bons resultados por não se atentarem a pontos fundamentais como esse.

Conclusão:

A musculação possui muitos mitos os quais perduram durante anos e ainda são bastante evidenciados com a cultura antiquada de muitos praticantes de musculação. Entretanto, a ciência pouco a pouco vem propondo protocolos cada vez mais eficazes os quais possibilitam que as pessoas passem a obter resultados melhores e de maneiras mais otimizadas. Esses resultados envolvem ainda prevenções necessárias ao corpo para que ele não seja acometido de malefícios por parte de treinamentos inadequados.

Pequenos detalhes podem fazer grandes diferenças, portanto é fundamental estar sempre bem atualizado, e atualizado com conceitos os quais possam ser verdadeiros e eficazes às suas necessidades fisiobiológicas individuais.



Fonte: Dicas de Musculação

RESULTADO DO I CAMPEONATO PIAUIENSE DE STRONGMAN



I CAMPEONATO PIAUIENSE DE STRONGMAN - Categoria Até 105Kg
1 Campeão: Michel Robert
2 Vice campeão: Samuel Costa
3 Terceiro lugar: Jardel Robert
TODOS ATLETAS ‪#‎NEOHARDCOREACADEMIA‬ 


O campeonato aconteceu no ultimo final de semana e no Parque Lagoas do Norte e foi organizado pela União Piauiense de Atletas de força. Representada no Facebook  por Neto Rocha.

Na ocasião a galera teve a oportunidade de conhecer este esporte que vem crescendo em todo o mundo inclusive no Brasil. E claro que o Piauí não poderia ficar de fora.

Há informação ainda não oficial, que o atleta Michel Robert, vencedor da categoria até 105 kg, poderá representar o Piauí em São Paulo. Ele que faz parte da família Team Astúcia da Neo Hardcore Academia.

VEJA ABAIXO FOTOS:

 

 

  

 

  

 
Fotos: Aprojuv

Edição e texto: N.H.A.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

I CAMPEONATO DE STROGMAN DO PIAUÍ


 
É isso, atletas de força da #neohardcoreacademia são campeões do primeiro campeonato de Strongman do Piauí.. Muito orgulhoso, satisfeito e realizado por esses caras.  
 
só nós sabemos das dificuldades, os esforços, as superações que nos fortalecem e nos tornam verdadeiros campeões. 
 
Agradecer também ao Treinador Costa, que há muito tempo corre atrás pra fortalecer nosso esporte, seja Strongman, powerlifting ou fisiculturismo, sempre na frente buscando representar bem nosso estado dentro do esporte. 
 
Depois postaremos as colocações de cada atleta e vídeos das provas. E parabéns aos demais atletas que participaram do campeonato, dando "a cara a tapa"e como o coronel disse: "não ficam de rebolo na academia" ou atrás do celular criticando no instagram sem acrescentar nada ao esporte.
 
Aguardem mais informações a qualquer momento e parabéns à familia NEO HARDCORE  pela conquista e vamos em frente que dia 5 próximo tem  o fisiculturismo no Teatro 4 de  Setembro. E nós estaremos lá.

 
Fonte: Oficial

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Volte à academia!

Treinador explica os cuidados necessários para retornar à malhação após algum tempo parado
 
volta-academia


Quando você era adolescente, não saia da academia. Vivia nas salas de musculação sempre em busca de um corpo esculpido. O tempo passou, o trabalho/estudo tomou conta da sua vida e você acabou entrando para o clube dos sedentários. Contudo, anos depois, percebeu que precisava voltar a praticar esportes por inúmeros motivos: excesso de peso, recomendação médica, entre outros. É hora de retornar à academia!
Neste recomeço, é fundamental ter calma. “A pessoa que está voltando aos treinos precisa ter consciência de que condicionamento físico é algo que se perde com certa facilidade e quando a pessoa volta a treinar, é necessário que ela se readapte de forma adequada ao tempo que ficou parada”, afirma Leandro Conte, professor da Fórmula Academia de São Caetano do Sul, na Grande São Paulo.



De acordo com o treinador, o erro mais comum é o “novo velho” aluno achar que pode retornar fazendo o mesmo treino que fazia quando parou, sem uma readaptação. “O instrutor é sempre que deve terminar o momento certo para trocar a intensidade do treino”, diz. “A programação será feita de acordo com as necessidades da pessoa, o objetivo, disponibilidade para treinar e individualidades biológicas de cada um.” Desrespeitar essas premissas pode causar lesões sérias no praticante.

Se você quer voltar a ter aquela disposição de antes, Conte tem a dica: disciplina. “É importante dentro de qualquer modalidade esportiva que formos praticar. O ideal é se comunicar constantemente com seu instrutor ou personal, sempre dizer a verdade, explicar o que o afastou dos treinos e como foi esse período parado. Essa comunicação fará com que o profissional tenha melhores condições de auxiliar o aluno”, encerra.


Fonte: Sua Corrida

Os benefícios do agachamento

Para muitos, o agachamento é um tipo de exercício que, ao mesmo tempo que promove bom crescimento muscular, também consegue afetar de maneira negativa as nossas articulações, principalmente os joelhos. Porém, isso é apenas um mito. Afinal de contas, não é porque você faz agachamento que terá problemas nas articulações. Uma coisa não implica necessariamente a outra.

Os benefícios do agachamento

Os vários benefícios do agachamento

O agachamento não ajuda apenas a fortalecer os membros inferiores como também o abdome. Fazendo o exercício da maneira correta você conseguirá atingir diversos músculos, ainda que de forma indireta. Ele também ajuda a evitar lesões na região do core, ou seja, na região próxima ao abdome e a lombar. O agachamento consegue reduzir a incidência de problemas na coluna, principalmente as dores na região torácica inferior.

Os benefícios do agachamento

Porque devo fazer agachamento?

A primeira coisa que você deve fazer é apagar da sua mente o fato de que o agachamento leva a lesões nos joelhos. Esse tipo de problema é bastante comum nas academias porque os “atletas” não fazem o movimento da maneira correta e, na maioria das vezes, não respeitam os limites do corpo colocando muito peso nos aparelhos.
Os benefícios do agachamento
O agachamento é um exercício excelente para aqueles que estão em quadra praticando esportes. Esse exercício consegue abarcar uma série de músculos além do quadríceps. As fibras musculares do glúteo, isquiotibiais e panturrilhas são recrutadas para executar o movimento de maneira satisfatória.

Agachamento frontal

Esse é o tipo de exercício que não lhe permite roubar ou compensar qualquer movimento. É muito comum no agachamento convencional que, no momento da subida, a pessoa tente compensar o esforço levando o quadril para traz. Se isso for feito no agachamento frontal você desequilibra e cai de cara no chão.
Ele é um excelente exercício para iniciantes e principalmente, para aqueles que sofrem com algum problema de coluna já que a barra não fica apoiada nas costas. O agachamento frontal é um excelente exercício para fortalecer os quadríceps, reto abdominal e os eretores da espinha.

Quem pode fazer?

Qualquer pessoa saudável pode fazer esse tipo de exercício desde que com a orientação correta. Porém, aqueles que sofrem com algum problema de coluna ou no joelho, tornozelos e quadril devem tomar mais cuidado. Por exemplo, se você tem escoliose, o agachamento livre não é o ideal. Fazer agachamento na barra fixa é sempre preferível.
Os benefícios do agachamento
Existe uma regra que sempre deve ser seguida: para evitar problemas no joelho fique sempre atento para que, durante os exercícios, ele não ultrapasse a ponta dos pés. Portanto, na hora da descida, é melhor jogar o quadril um pouco mais para trás, mas sempre alinhado com a coluna.


Fonte: Malhar Bem

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Como ganhar massa muscular nas pernas

Como ganhar massa muscular nas pernas 

Pernas, grupo muscular muito focado pelas mulheres e negligenciado por muitos homens. As pernas quando bem trabalhadas e desenvolvidas, podem proporcionar ganhos enormes, muito além dos estéticos.

Porém, a musculação é um esporte ingrato. Não é nada fácil se obter resultados notáveis e sólidos. Nas pernas então, o esforço por muitas vezes é ainda maior. Assim, muitas pessoas, por não notarem resultados condizentes com o nível de seu esforço, acabam optando por deixar de lado seu objetivo, perdendo uma grande oportunidade de se obter um corpo mais bonito e saudável.

Vou tentar neste artigo passar algumas dicas para se construir uma base forte. Falo de construir músculos de verdade nas pernas. Você vem comigo? Então vamos andar…

Acredite e foque nos exercícios básicos: Sem ladainhas, sem falsas magias ou esperanças de ”aparelhinhos de choque”, aulas de jump, e tantas baboseiras marketeiras. As maiores e melhores pernas já vistas no mundo foram construídas debaixo de ferro puro e suor no ginásio. Se você nunca fez agachamento livre até a falha, por exemplo, não sabe o tempo que perdeu. Acredito que exercícios base pra se hipertrofiar bem as pernas não falham e devem estar incluídos em qualquer rotina de treino. Falo de Agachamento, Leg Press, Avanço , Cadeira Extensora, Agachamento Hack;

Fadiga Real: Alguns me chamam de exagerado, mas a grande verdade é que, se você saiu do treino de pernas sem ânsias, tropeços, tonturas, dores inenarráveis, você deveria voltar e fazer tudo de novo. Se você acabou de treinar pernas e ainda tem energia pra treinar outro músculo ou jogar uma bola, alguma coisa está errada.  Pelo amor de Deus, não acredite nem foque no velho, famoso e errôneo 4 x 12. Acredito que músculos do tamanho dos quadríceps e femorais precisem de mais do que isso para responder ao estimulo. Foque na fadiga, não conte repetições “nenhum músculo sabe contar”;
 
Lombar: Ah, se todos soubessem a importância de ter uma lombar forte e resistentes com certeza estariam com seus resultados muito acima da média dentro do ginásio.. Não negligencie esta região, não deixe de treiná-la. Se você soubesse o quanto uma lombar resistente poderia te ajudar no agachamento ou Stiff, sairia correndo agora mesmo pra treinar este grupo muscular com unhas e dentes. 


Fonte: Treino Animal

quarta-feira, 24 de junho de 2015

ATLETAS DA NEO HARDCORE EM FASE FINAL DE TREINOS

CONHEÇA ALGUNS DOS PARTICIPANTES DO PIAUIENSE DE FISICULTURISMO QUE ACONTECE DIA 5 DE JULHO NO TEATRO 4 DE SETEMBRO EM TERESINA.

 ANDREIA COSTA
Últimos ajustes, foto após treino de dorsal e deltoides e treino de poses. Sem filtro. Essa vai dar trabalho aos árbitros dia 05 de julho no campeonato piauiense de fisiculturismo.

NETO SILVA
12 dias pro campeonato piauiense fisiculturismo.. categoria 65.  Ele diz: Vamos nos simbora .. finalizando a preparação .. zero carbo ...


 HENRIQUE SILVA 
"Pouco eu to ligando porque o dever me chama.
Meio tonto, bambeando, levanto da minha cama
Atrasado, atordoado e tenho que bater as metas. Sete marmita pra dentro da bolsa só pra manter a dieta. Mas começo a me lembrar, como eu cheguei aqui
Quanta estrada percorri, e eu nunca desisti
Então levanto a minha cabeça, e coloco pra...


É O QUE DIZ O ATLETA A POUCOS DIAS DA COMPETIÇÃO. A NEO HARDCORE ACADEMIA TEM MAIS  ATLETAS COMPETINDO E AOS POUCOS VAMOS DANDO INFORMAÇÕES SOBRE À GALERA. AGUARDEM MAIS INFORMAÇÕES AQUI. 


Fonte: Oficial

terça-feira, 23 de junho de 2015

5 benefícios do suco de limão



Quando falamos de nossas frutas favoritas, temos uma longa lista que inclui maçãs, laranjas, morangos, abacaxi, mamão, banana e outras. Nenhum de nós inclui limão nessa lista. O limão é um presente da natureza para os seres humanos.
Tem muitos benefícios extraordinários e é por isso que ele serve para ser chamado de ingrediente essencial para uma vida saudável. É uma fruta rica em vitamina C. Ele também contém vitamina B, cálcio, fósforo, carboidratos e proteínas. A seguir mencionaremos alguns de seus principais benefícios.

1. O suco de limão para cabelos
O suco de limão é um remédio natural para prevenir a perda de cabelo. Pode haver muitas maneiras em que você pode aplicar o suco de limão em seu cabelo. Em primeiro lugar, você pode aplicar 5-6 gotas de suco de limão diretamente no couro cabeludo. Você também pode misturá-lo com ovo e aplicá-lo no couro cabeludo. Em terceiro lugar, sumo de limão pode ser misturado com o óleo e aplicada sobre o couro cabeludo antes de lavar o cabelo. Você também pode misturar água de coco e suco de limão, a fim de controlar a queda de cabelo. O suco de limão também é útil na luta contra a caspa.

2. O suco de limão para a pele
Sumo de limão, juntamente com outros ingredientes, pode ser aplicado sobre o rosto. Isso fará com que sua pele fique clara e cheia de brilho. Por exemplo, você pode adicionar uma colher de suco de limão em glicerina ou clara de ovo para deixar sua pele mais brilhosa. O suco de limão, juntamente com o azeite pode ser eficaz no eczema. Beber suco de limão pela manhã, juntamente com mel purifica a pele.

3. O suco de limão para perda de peso
Beber suco de limão com água ajuda na redução de peso de duas maneiras. Em primeiro lugar, ele age como um enchimento para que você coma menos. Em segundo lugar, a vitamina C aumenta o metabolismo do corpo, que ajuda na digestão rápida de alimentos. Beber suco de limão com mel pela manhã ajuda a reduzir o excesso de gordura. É uma benção para as mulheres com excesso de peso.

4. Limão para um corpo saudável
o limão não é apenas uma maneira natural de reduzir o peso, aumentar o metabolismo do corpo, limpar os hidratos de carbono depositados, ele também ajuda na prevenção de diabetes e aterosclerose. Além disso, melhora o funcionamento do seu fígado através do reforço das enzimas hepáticas. Também pode fixar o oxigênio e cálcio no fígado que mais ajuda no bom funcionamento do fígado. Suco de limão, diluído com água, quando utilizado para gargarejo pode ajudar a curar a dor de garganta. É um fruto eficaz na cura do escorbuto, asma, frio, queimaduras de calor, etc

5. O suco de limão para as mulheres grávidas
O suco de limão diluído com água pode ser muito benéfica para as mulheres grávidas, ajudando no desenvolvimento saudável dos ossos do feto, cérebro e os nervos.


Fonte: Treino de Mestre

segunda-feira, 22 de junho de 2015

5 alimentos que você pode comer depois de malhar

2582-depois-de-malhar-e-muito-importante-685x0-1

Saber o que comer quando a fome aperta depois dos treinos é a chave para manter a dieta equilibrada e resultados satisfatórios. Já que aprática de exercícios te dá mais fome, é comum ficar com vontade de comer qualquer coisa que apareça pela frente. Mesmo sabendo que é difícil manter um cardápio leve e saudável, todos os esforços devem estar direcionados para sua alimentação. Uma dica é elaborar um cardápio padronizado para antes e depois dos treinos. Por isso, para não cair na tentação da fome exagerada depois de malhar, manter uma alimentação esportiva ajuda o organismo a ficar mais saciado, sem perder nutrientes.

A nutricionista Fernanda Oliveira explica a razão da vontade de comer aumentar a partir da prática esportiva: “Quanto mais você gasta energia, mais nutriente você precisará repor. A má alimentação para praticantes de atividades físicas pode ocasionar desgaste muscular e riscos de lesão, durante os treinos, assim como também a perda de massa magra”, ressalta a profissional, analisando a melhor maneira de balancear os exercícios com a alimentação.

5 alimentos para comer depois de malhar

– Amêndoas: 100 g de amêndoas têm cerca de 21, 1 g de proteínas. Estudos indicam que, quando aliadas a uma dieta, essas castanhas auxiliam na perda de peso, pois são ricas em gorduras monoinsaturadas, responsáveis por manter o nível de açúcar no sangue estável e ativar o metabolismo da queima de gorduras.

– Tofu: 100 g de tofu têm cerca de 8,1 g de proteínas. Rico em cálcio, o tofu é em alimento feito a partir dos grãos da soja e o seu processamento faz dele um alimento mais concentrado e nutritivo do que o grão original.

– Peito de frango (sem pele): 100 g de peito de frango têm cerca 30 g de proteínas. A alimentação rica em proteínas ajuda a ganhar massa muscular e a queimar gordura, quando aliada à prática de exercício físico. O frango tem uma quantidade de gorduras saturadas menor do que a carne bovina.

– Ovo: 02 ovos médios têm cerca de 16 g de proteínas. Uma das principais fontes de proteínas saudáveis. Eles ainda contêm uma grande quantidade de Ômega-3. O consumo de ômega-3 pode melhorar muito o sistema imunológico do atleta, o que por sua vez fará com que este se recupere mais rápido nos treinos.

– Iogurte sem gordura: 100 g de iogurte sem gordura têm cerca de 4,2 g de proteínas. O iogurte pode ser incluído também como parte do desjejum, em um lanche da tarde, pós-treino ou na ceia (lanche antes de dormir). Pode ser consumido puro ou batido com frutas, misturado a cereais ou como cobertura de frutas.



Fonte: Conquiste Sua Vida

9 erros que MAGRELOS cometem ao tentar ganhar massa muscular

magrelosss

Assim como alguém com excesso de gordura, um cara que não consegue ganhar peso quer resolver sua situação o mais rápido possível, em outras palavras, todo magrelo quer ficar GIGANTE no menor tempo possível. Só que nesta jornada, na maioria das vezes motivada pela pressa e expectativas irreais, a maioria dos magrelos costumam errar sempre nas mesmas coisas. E acredite, na esmagadora maioria das vezes, não é por conta de genética ruim ou treino mirabolante, são coisas relativamente estúpidas que prejudicam muito os resultados, mas que muitas vezes passam despercebidas porque, a primeira vista, não parecem importantes. Então, se você é um magrelo inveterado que tem falhado consistentemente em ganhar massa muscular, é bem provável que você está cometendo algum (ou vários) desses erros:

1 – Você pensa que come igual um monstro, mas nunca colocou na ponta do lápis quantos nutrientes estão realmente sendo ingeridos diariamente. A esmagadora maioria das pessoas poderia ignorar o resto do artigo se levasse este item realmente a sério.

2 – E quando realmente segue uma dieta detalhada, não consegue mantê-la por muito tempo. Parou a dieta, de volta a estaca zero.

3 – Você pensa que fim de semana significa férias da dieta. Você está ganhando e perdendo massa muscular 24 horas por dia, 7 dias por semana – dieta nunca para.
 
4 – Você tem a ilusão de crescer definido. Você não conseguir crescer e ainda manter as três veias que aparecem no seu bíceps.

5 – Você espera uma mudança drástica no físico em questão de meses. Espere resultados concretos dentro de um ou dois anos de treino pesado e seguindo dieta sem desistir.

6 – Você faz atividades aeróbicas em excesso. Você nunca vai ganhar massa muscular sendo aquele cara que corre X quilômetros por dia, faz muay thai, jiu jitsu e ainda joga futebol três vezes por semana – você continua sendo o rei do aeróbico ou ganha massa muscular, naturalmente não dá pra ter os dois.

7 – Você está realizando treinos longos e com muito volume. Magrelos que comem pouco + ficar duas horas na academia fazendo um treino volumoso = morte a massa muscular.

8 – Você se preocupa com detalhes e continua ignorando o básico que funciona. Não importa se você já faz dropsets, giantsets, séries negativas, tem um treino montado por um profissional renomado, tem acesso aos melhores suplementos e cronometra com precisão a ingestão deles, se você continua empurrando uma dieta lixo pra debaixo do tapete, achando que os detalhes compensarão. Se for o seu caso, volte para o item 1 da lista.

9 – Você não está dando a devida prioridade ao seu objetivo. Você quer ficar grande, mas não quer que a academia atrapalhe absolutamente nada na sua vida- não é possível progredir em nada com esse tipo de mentalidade.



Fonte: Hipertrofia

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Treinamento de Volume Alemão

Para fazer o German Volume Training (GVT) não é preciso saber alemão, mas sim até que ponto o seu corpo aguenta a dor. É um método de treinamento bastante intenso de choque muscular, forçando os músculos a criar hipertrofia. Esse treino é muito utilizado para aquelas pessoas que estacionaram nos treinos e não conseguem ver mais ganhos de massa muscular.

Quais são os princípios do GVT?

Treinamento de Volume Alemão

Princípios são como pequenas regras para que o treino seja feito de maneira efetiva. São os pontos que caracterizam o tipo de treino que está sendo feito. Se os princípios não foram seguidos de maneira disciplinada, os resultados não serão tão satisfatórios. Veja a seguir quais são esses princípios.
Um exercício
Para aqueles que estão habituados a estimular vários músculos em um único treino, achará estranho esse método. Aqui, apenas um grupo muscular será trabalhado no treino. Com o GVT ao atleta fará uma quantidade limitada de exercícios por semana. Portanto, procure escolher os exercícios certos. Isso vai depender para quais músculos você prefere dar maior atenção.
Treinamento de Volume Alemão
100 Repetições

Como assim? É isso mesmo que você acabou de ler. São 10 séries com 10 repetições para cada uma. Bem diferente das 4 séries de 8 que você costuma fazer na academia. Não inicie o exercício com a quantidade de peso normal que você costuma erguer. Apenas 50% dessa carga já é o bastante. Você não precisa se exercitar até a falha muscular e sim, treinar próximo da falha. O importante é conseguir realizar o máximo de séries até que chegue a 10 com o mesmo peso que você está habituado a treinar.

Treinamento de Volume Alemão


Maior descanso entre as séries

Em vez de fazer um descanso curto entre 30 e 40 segundos, no treino GVT, o ideal é um descanso entre 60 e 90 segundos. O mínimo é aguardar 60 segundos para iniciar uma nova série. Você pode aumentar esse tempo para 90 segundos nos casos de exercícios que demandam mais energia como o agachamento ou avanço. No GVT, nunca descanse menos que 60 segundos.

O início do treino

Treinamento de Volume Alemão

Logo quando uma pessoa inicia o treino GVT, ela se sente com menos força e resistência para realizar os exercícios. Não precisa ligar o alarme de incêndio por conta disso e nem se desesperar. Esses dois sinais são completamente normais para esse tipo de treinamento e rapidamente você sentirá o aumento da força e resistência muito mais do que antes. A única coisa que você deve fazer é procurar sempre finalizar com uma série a mais que o treino anterior.

É muito comum que nos primeiros dias de treino você comece a pensar que cometeu um erro em ter escolhido esse método e que será uma grande perda de tempo. Parecerá muito fácil nas primeiras séries, mas não se deixe enganar. Lembre-se que no início a sua carga é menor e quando você chegar na sétima série de exercícios começará a sentir os efeitos. Uma semana depois não vai mais querer fazer porque a dor muscular é muito maior do que os treinos convencionais.

Como fazer os treinos

Treinamento de Volume Alemão

Se você não tem um profissional para montar a série para você, não é problema. O GVT é um treino bem simples e só deve ser realizado 3 vezes por semana. Não adianta ir todos os dias porque na segunda semana você não vai aguentar ir para a academia nem um dia sequer. O importante é que haja um dia de descanso entre os intervalos dos treinos. Por exemplo, você pode malhar segunda, quarta e sexta, descansando nos outros dias.

Fuja dos exercícios isolados

Treinamento de Volume Alemão

Malhar apenas tríceps, sem envolver outros músculos durante o movimento foge aos princípios do GVT. O treinamento deve ser feito por 4 a 6 semanas, então procure fazer da maneira correta. Por exemplo, para tríceps o melhor são exercícios como rosta alternada, supino fechado. Para treino de pernas, movimentos de agachamento e avanço são boas escolhas.
 
 
Fonte: Malhar Bem

5 sinais que você não está levando seu treino a sério

Ter responsabilidade e comprometimento com seus treinos é um 

fator fundamental para quem quer ter bons resultados! Veja neste 

artigo 5 sinais de que você não está levando seu treino a sério!

Não tem jeito, se você quer de fato ter resultados, em qualquer campo de sua vida, precisa se dedicar. Esta dedicação é baseada em outros comportamentos, mais precisamente a disciplina, o foco e a força de vontade. Neste sentido, você precisa estar constantemente verificando se não está se autossabotando e se está de fato levando seu treino a sério. Não falo de uma pessoa que respira musculação o dia todo, que não sabe falar de outra coisa. Meu foco aqui são pessoas normais, que precisam manter o foco de uma maneira saudável.

É muito importante entender que isso aqui não é um artigo que quer dizer que você precisa ter uma rotina de atleta, mas sim que quero mostrar alguns pontos que podem estar comprometendo seus resultados.

Veja agora 5 sinais de que você não está levando seu treino a sério!

Está levando seu treino a sério? Veja se não está cometendo estes erros!

1. Qualquer coisa é mais importante que seu treino:
Quando não levamos algo a sério mesmo, qualquer coisa nos leva a deixá-lo de lado. Um jogo na TV, o frio, a chuva, o calor, o cachorro do vizinho. Tudo vira motivo para burlar o treino. Este é sem sombra de dúvidas o primeiro sinal de que você não está levando seu treino de fato a sério. E sabe do pior, com toda a certeza isso está refletido em seu corpo, que não mostra que está sendo treinado. Como lidar com isso? Coloque seu treino como sendo uma prioridade. Ficou sem tempo? Treine mais rápido, mas treine! Está frio? Coloque um casaco e vá treinar! Somos seres de hábitos e se você busca desculpas, seu corpo irá entender isso e sempre tentará sabotar seu treino! Manter a rotina é fundamental para obter bons resultados!


2. Você não se interessa pelos métodos usados em seu treino:
Este talvez seja um problema geral, mas que acredito não ser tão grande aqui entre os leitores do Treino Mestre. Muitas pessoas treinam sem saber o porquê de fazer determinadas coisas. Não que você precise ser um especialista em musculação, mas compreender o mínimo faz com que você consiga manter-se mais motivado e também te fará acompanhar com outros olhos seu treino e consequentemente ter resultados satisfatórios. Acompanhar o Treino Mestre é fundamental para isso!


3. Você treina apenas o que gosta:
Todos nós temos preferências em relação a exercícios. Da mesma maneira, não gostamos de determinados exercícios. Treinar apenas o que você gosta é um problema bastante complicado, já que você precisa que seu corpo se desenvolva como um todo. Treinando apenas o que gosta, você estará comprometendo seus resultados ao máximo. Este talvez seja o problema mais comum em quem não leva seu treino de fato a sério.


4. você não quer “sofrer”:
Não tem jeito, se você quer resultados, se quer mudar seu corpo, precisa “sofrer” um pouco. Treinar até a falha concêntrica, por exemplo causa uma dor momentânea e um cansaço. A dor muscular tardia é uma constante em quem leva seu treino a sério. Nosso corpo passa por modificações que demandam certo “sofrimento”. Se você não suporta nenhum nível de dor ou de sofrimento momentâneo,  provavelmente não está levando seu treino a sério!


5. Sua dieta não é regrada:
Treinar e não fazer dieta é a mais pura mostra de falta de tempo e comprometimento! Se você treina e não leva sua dieta a sério, é um dos mais fortes sinais de que você não está levando seu treino a sério e com isso, seu corpo não apresenta resultados. Para muitas pessoas, este é o ponto mais difícil de seguir, afinal dieta não tem hora e nem dia, você precisa seguí-la sempre! Mas sem ela, jamais você alcançará resultados satisfatórios. Pense nisso toda vez que bater a vontade de burlar a dieta!


Se você se identificou com um ou mais itens desta pequena lista, talvez seja a hora de repensar suas atitudes e sair da atitude conformista. Mudar seu estilo de vida demanda tempo, esforço e dedicação, mas os resultados são fantásticos! Bons treinos! 


Fonte: Treino de Mestre

quarta-feira, 17 de junho de 2015

O abuso de esteróides anabolizantes no esporte

Esteroides anabolizantes são substâncias consideradas “construtoras” de músculos que apresentam efeitos semelhantes aos da testosterona, principal hormônio sexual masculino. São consumidas por atletas que, com isso, esperam aumentar a massa corporal pouco desenvolvida, a força muscular, o vigor e a resistência. 

39b-610x610
 
Embora não ocorra com todos, muitos atletas que aliam o uso de esteroides anabolizantes ao treinamento com pesos têm maior aumento da massa corporal e força muscular que o obtido somente através do treinamento. Não há provas sistemáticas de que os esteroides anabolizantes aumentem a velocidade em corridas, ou a resistência em competições esportivas prolongadas.
 
Os efeitos colaterais, físicos e mentais do uso abusivo de esteroides anabolizantes em crianças e adultos são raros, mas constituem risco de vida. Basicamente, todos os atletas que utilizam esteroides em excesso sofrerão pelo menos um dos efeitos adversos menos graves dessas substâncias, incluindo distúrbios na produção de espermatozoides ou na menstruação, acne, queda de cabelo e perturbações psicológicas leves.
 
ABUSO DE ESTERÓIDES ANABOLIZANTES
 
O uso adequado dos esteroides anabolizantes está restrito a poucas moléstias e condições médicas. A utilização dessas substâncias fora desse âmbito já é uma forma de abuso. A determinação da extensão do uso abusivo de esteroides anabolizantes entre vários tipos de atletas e entre não-atletas baseia-se principalmente no que se ouve dizer e em resultados de pesquisas relativamente pouco elaboradas, com alguns grupos escolhidos.
 
Em pesquisa realizada entre praticantes de atletismo dos Jogos Olímpicos de 1972, 68% dos participantes em provas de campo, corridas de velocidade e corridas de meia distância afirmaram ter utilizado esteroides anabolizantes. Diz-se que os esteroides anabolizantes e outras substâncias são utilizados praticamente em todo o mundo por fisiculturistas e pela maioria dos participantes em competições nacionais e internacionais de provas de levantamento de peso e sustentação e de provas de campo, como arremesso de peso e disco. Parece, também, que um número considerável de atletas do sexo feminino estão abusando do uso de esteroides anabolizantes, principalmente aquelas que se dedicam à fisicultura e ao levantamento de peso.
 
Pesquisas conduzidas entre atletas que participam de competições menos importantes demonstram que a extensão do abuso dessas substâncias é menor entre esses grupos. Em dois estudos realizados com alunos de universidades americanas, 17 a 20% dos atletas que forneceram respostas e que competiam em provas interuniversitárias afirmaram utilizar esteroides anabolizantes. De 361 atletas do segundo grau entrevistados, 2,5% admitiram usar esteroides. As pesquisas indicam, ainda, outro perigo: que muitos jovens estão utilizando essas substâncias para melhorar a aparência física e não necessariamente para melhor o desempenho esportivo.
 
 
Fonte: Vida e Equilibrio

terça-feira, 16 de junho de 2015

O que é mais eficaz para ingerir na refeição pós-treino?


Entenda o que devemos ingerir em nossa refeição pós-treino de musculação, alimentos sólidos ou suplementos? Quais os tipos de nutrientes? Descubra já!

A refeição pós-treino constitui não só um importante momento dietético do dia, mas corresponde também a uma variável de opiniões as quais envolvem desde estudos científicos com diferentes resultados a opiniões vagas e que tanto geram o que chamamos de mitos da musculação. Apesar desses pontos distintos, é inquestionável que a refeição pós-treino faz-se essencial para quem deseja obter bons resultados, seja na musculação ou em quaisquer outros esportes. É através dela que o corpo receberá substratos (micro e macronutrientes) de maneira adequada para exercer suas devidas funções metabólicas dentro de inúmeros processos fisiológicos.

alimentacao-refeicao-pre-treino
 
Porém, diante de tamanha importância, a refeição pós-treino envolve uma gama de variáveis para se tornar realmente tão eficaz quanto se espera. É necessário avaliar, em primeiro lugar, as necessidades individuais de cada pessoa, em segundo lugar, sua modalidade, seus objetivos e a conveniência para a mesma. Através disso, define-se o (ou os) melhor (es) protocolo (s) para que ele possa se alimentar nesse momento.

Mas diante de tantos questionamentos que a ciência vem (ou não) esclarecendo, resta-nos a pergunta: Qual seria a combinação mais eficaz para nós praticantes de musculação? Quais nutrientes deveriam ser devidamente ingeridos e quais deles apresentam melhores resultados nos processos que ocorrerão durante e após a digestão? É sobre isso que conversaremos adiante, vamos aprender a fazer uma alimentação pós-treino mais eficaz e funcional!

Quais os objetivos da refeição pós-treino?

Obviamente, a refeição pós-treino tem a função de suprir déficits que ocorreram na atividade física, mas de maneira um pouco mais detalhada, seus principais objetivos são:
  • Ressíntese de glicogênio muscular e hepático (principalmente muscular);
  • Reposição hídrica e de eletrólitos;
  • Fornecimento de proteínas, peptídeos e aminoácidos ao corpo para ressíntese e/ou supercompensação de tecidos e células;
  • Liberação de importantes hormônios anabólicos, como a insulina e supressão de hormônios catabólicos como o cortisol e o glucagon;
  • Aumento da disponibilidade de importantes vitaminas no corpo, como as do complexo B, entre outros.
Assim, visando tais objetivos, diferentes situações podem ocorrer e diferentes protocolos podem ser utilizados, o que gera uma inconstância de opiniões na ciência, visto que cada qual abrange uma teoria e um parecer diferente do outro. E o que podemos dizer sobre isso? Existiriam alimentos, nutrientes e formas de se alimentar que apresentariam maior eficácia nesse momento, ou o fato de alimentar-se já bastaria nesse contexto?

O que consumir no momento pós-treino: Alimento ou suplemento?

Com o desenvolvimento tecnológico dos alimentos e aplicação de estudos, percebeu-se que algumas práticas poderiam auxiliar muito os atletas, e a utilização de suplementos alimentares foi uma das melhores soluções para quem precisa de alimentar de maneira fácil e rápida, pois percebeu-se certa conveniência com sua utilização desde sua descoberta. Seja inicialmente com o uso de uma simples maltodextrina ou outro carboidrato de fácil digestão, seja mais tarde com o uso de suplementos proteicos em pó ou até mesmo com a utilização da creatina, para aumento de força e etc.

No que tange esse assunto, é inquestionável que a maioria dos assuntos acerca desse tema demonstra uma grande eficácia. E verdade seja dita, os suplementos são muito interessantes em momentos específicos como é o caso do pós-treino.

O fato é que, se pararmos para pensar, o que são os suplementos? Nada mais são do que compostos em pó, líquidos, cápsulas ou outro tipo de apresentação derivados de COMIDA, ALIMENTOS, ou seja, é como se ingeríssemos “arroz e frango em pó”, em outras palavras. Obviamente, os valores de aminoacidemia, a digestibilidade, entre outros pontos muda um pouco, mas a grosso modo pode ser comparado assim.

alimentos-dentro-da-capsula-de-suplementos


E se suplementos são comida em pó, por que desconsiderar o uso dos alimentos sólidos no pós-treino, desde que apresentem um bom valor biológico e apresentem-se capazes de suprir as necessidades do indivíduo naquele momento? Mais do que isso, por que não considerar o uso de alimentos durante todo o dia? Muita gente deixa de comer comida de verdade para usar suplementos alimentares, o que nem sempre é válido.

Alguns citarão que em valores biológicos teremos maior tendência aos suplementos, e dependendo de qual deles estivermos falando, isso é verdade. É real que o whey protein tenha maior valor biológico do que o peito de frango. Mas, será que na prática isso faria diferença? Outros questionariam a digestibilidade e o whey protein levaria vantagem. Porém, volto a questionar se essa aplicação seria realmente tão prática?

Se realmente fossem, em primeiro lugar, não teríamos bons corpos antes da existência do whey protein hidrolisado ou mesmo isolado. Não teríamos corpos extravagantes como o de Ronnie Coleman ou mesmo Jay Cutler, que tradicionalmente NÃO foram criados com “shakes pós-treino”. Ronnie Coleman costumava frequentar o Outbak Steakhouse após os seus intensos treinamentos. Jay Cutler, muitas vezes optava pela comida chinesa ou ia para sua casa comer algumas jujubas, pasme! Outro atleta exemplo disso é Dexter Jackson, que não abria mão de uma boa Baked Potato acompanhada de carne ou frango ou mesmo optava por Sushi, como fazia também Nasser El Sonbaty, além dos hambúrgueres, claro!

A real situação que temos é que o corpo NECESSITA de uma nutrição adequada após o treino, advinda do alimento ou do suplemento. A ressíntese de glciogênio muscular, a síntese proteica e a melhora na recuperação imediata após o treino, não costumam diferenciar significativamente entre o uso de bons alimentos ou bons suplementos, principalmente levando em consideração uma ingestão hipercalórica, onde o saldo energético positivo e as concentrações e nitrogênio no músculo costumam estar mais elevadas. Na verdade pouco importa se você vai consumir alimentos ou suplementos, o que é importante é se são de qualidade e se estão suprindo a sua necessidade.

Devo ingerir quais tipos de nutrientes após o treinamento?

Sabe-se que o consumo de carboidratos hoje no pós-treino, voltado para a musculação, é dispensável por N motivos, os quais não convém discutir nesse momento. Porém, para alguns indivíduos, ele pode se fazer necessário. Assim, optar por suplementos como Waxy Maize ou a Maltodextrina não são ideias ruins. Porém, se sua opção forem os alimentos, podemos escolher carboidratos com mais fácil assimilação pelo corpo, para melhorar a digestão e possibilitar novamente uma próxima refeição em não muito tempo, já com um parcial esvaziamento gástrico. Assim, opções como o arroz branco, o purê de batatas, alguns bagels, ou mesmo cereais que não sejam extremamente ricos em fibras, podem ser opções interessantes.

As proteínas, quando advindas de suplementos podem ser de vários tipos como o whey protein isolado, concentrado, hidrolisado, ou as proteínas hidrolisadas da carne vermelha. Já o mesmo vale para os alimentos, optando por alguns de mais fácil digestão como peixes brancos (tilápia, bacalhau, halibut, pintado sem pele), claras de ovos, o próprio leite desnatado (que hoje é considerada a melhor bebida pós-treino para o atleta), entre outras opções. É importante não dificultar demais a digestão para que o corpo não comece a entrar em possíveis carências nutricionais ou deixar estimulá-lo com aminoácidos essenciais, como a L-Leucina.

praticidade-alimentacao-bodybuilder

Claro que ainda será necessário um complemento de aminoácidos e alguns peptídeos como a creatina e os BCAAs, além de uma boa hidratação (que não necessariamente requer reposição de eletrólitos) e atenção para a perda de algumas vitaminas também, em especial hidrossolúveis que são facilmente eliminadas durante e após a atividade física e que o corpo normalmente não possui estoques.

Esses aminoácidos podem ter funções relacionadas à performance, relacionadas a nutrição como um todo ou a busca pelo aumento na capacidade de resposta do corpo a algum estímulo específico, como o insulínico. Respectivamente, podemos citar como exemplos a creatina, a L-Glutamina e a L-Leucina. Esses aminoácidos dificilmente são encontrados nas quantidades que precisamos nos alimentos, por isso para os aminoácidos é essencial que se suplemente.

Não há necessidade de nenhum tipo de lipídio neste momento.

Porém, de nada adianta falarmos sejam nos alimentos ou nos suplementos se não frisarmos que o mais importante é suprir adequadamente as demandas do corpo. Do contrário, tanto faz ingerirmos alimentos ou suplementos se eles estiverem em quantidades inferiores as quais precisamos ou mesmo muito superiores. Ambos apresentarão resultados ruins e indesejados.

Conclusão

Falar em momento pós-treino é também falar de um assunto extremamente polêmico o qual gera muitas dúvidas na grande parte das pessoas.

Entretanto, quando tratamos desse momento, devemos ter importantes pontos estabelecidos em nossa mente a fim de não nos iludirmos com protocolos inadequados ou que não são corretos para nós. Mais importante do que dizer que existe uma fórmula mágica no pós treino, é dizer que você deve estar devidamente nutrido. Para tanto, a depender de cada caso e situação, devemos considerar ou não o uso desse ou daquele suplemento, desse ou daquele alimento ou mesmo um conjunto deles.

Lembre-se que quanto mais individualizado e mais atendível às suas necessidades forem os protocolos, melhores serão os resultados obtidos. Boa alimentação! 




Fonte: Dicas de Musculação

segunda-feira, 15 de junho de 2015

8 alimentos que definem os músculos

 
 
Abusca por um corpo definido e uma “saúde de ferro” é o sonho de consumo de muitas pessoas. A Universidade de Connecticut, EUA, divulgou novas descobertas sobre a área da nutrição e listou oito alimentos que atuam no desenvolvimento muscular de forma mais rápida e saudável. Saiba quais são eles e quais os seus benefícios:
 
Ovo com gema – rico em proteína: esse é o alimento com o mais alto valor biológico. Sabe-se que a proteína da carne é mais eficiente para a construção muscular, mas a gema, além da proteína, contém vitamina B12, que é necessária para diminuir os níveis de gordura e ajudar na contração muscular. Atenção: consuma ovos com gema, mas descarte os fritos, pois cada um possui 120 calorias.


Iogurte: possui aminoácidos essenciais em altas porcentagens e é decisivo no crescimento muscular, pois combina proteína e carboidrato em doses ideais. Um copo fornece 10% da nossa necessidade diária de proteína. A versão com frutas é ainda melhor, porque aumenta os níveis de insulina, sendo essencial para reduzir a perda protéica que costuma acontecer após os exercícios. Atenção: opte pelas versões sem açúcar ou adoçante, pois esses ingredientes diminuem a ação dos lactobacilos e também o teor de vitaminas do complexo B.


Salmão: altamente protéico, possui grandes quantidades de ômega-3 – uma gordura que ajuda na recuperação da massa muscular. É indicado o consumo três vezes na semana e para aproveitar melhor os nutrientes prepare o peixe em baixa temperatura e evite cozinhar demais.


Carne vermelha: é o alimento número 1 em quantidade de creatina – nutriente essencial para a construção muscular. Além da creatina, ainda conta com ferro, zinco, niacina e vitamina B12, que também são indispensáveis para obter ótimos resultados.


Azeite de oliva: a gordura monoinsaturada ômega-9, presente no azeite, tem ação anticatabólica, ou seja, age contra inflamações que provocam o desgaste e a fraqueza muscular. Consuma uma a duas colheres de sopa por dia e pode ser em saladas e também para cozinhar. Atenção: Cada colher de sopa conta 110 calorias. Cuidado!


Amêndoas: ricas em vitamina E é a forma melhor absorvida pelo corpo e um potente antioxidante, que pode ajudar a prevenir os danos provocados pelos radicais livres após o treino.


Água: 80% da massa muscular é composta por água. Uma diminuição de 2%, por transpiração ou falta de ingestão, já é capaz de prejudicar o desempenho. Um estudo realizado na Alemanha mostra que quanto mais desidratado o corpo estiver, mais lentamente ele vai utilizar a proteína para construir músculos. Atenção: o ideal é beber pequenos goles a cada 10 minutos.


Café: é uma excelente opção para dar mais energia durante a atividade anaeróbica (que não utiliza oxigênio), como no caso da musculação. A cafeína melhora o desempenho, a concentração e a disposição, além de aumentar o uso de gordura corporal para gerar mais energia. É aconselhável tomar até dois cafés expressos por dia, ou então pedir ao médico que receite uma fórmula em cápsulas. Atenção: quem sofre de úlcera ou algum tipo de doença cardíaca, a bebida é desaconselhada. E o excesso pode também causar insônia, portanto evite tomar a noite.

 

Fonte: Treino Animal

Aumento do uso de anabolizantes: uma responsabilidade de quem?


O uso de anabolizantes vem crescendo ano a ano, e quem é o culpado por isso? Descubra em nosso artigo!

Quando o assunto são os recursos fármacos (anabolizantes) utilizados hoje e desde quase sempre no esporte, é abrir uma polêmica sobre o uso ou o desuso, as proibições, as constatações, o uso correto e o incorreto e até mesmo na concordância ou não do uso em si. Mais do que isso, é abrir possibilidades também de discussões sobre o uso dentro e fora do esporte, que tem se tornado alvo não só de críticas, mas também de apoio por pessoas que defendem que essa seja uma verdade inegável e que deva ser trabalhada.
uso-de-anabolizantes
 
Desta forma, diante de tanta complexidade no assunto, cabe a nós observar que há uma grande divulgação do tema e da prática em si, dentro e fora do mundo profissional, visando diferentes finalidades, desde performance à estética. Assim, obviamente, são muitos os erros que passam a acontecer em diferentes pessoas e que acabam atrapalhando negativamente o nome do fisiculturismo e acabam denegrindo o fisiculturista em si, tornando-o um marginal no mundo esportivo.

Porém quando passamos a divulgar algo que é restrito a pouco, algo esse que pode ser prejudicial a saúde, muitas responsabilidades passam a ser adquiridas. Falar abertamente sobre anabolizantes é algo que pode ser perigoso, pois não sabemos quem está lendo e o que ele irá fazer com tais informações. O fisiculturista (amador ou profissional) teria algum papel fundamental na diminuição ou no aumento do uso destas substâncias? Como deveria ser a posição do fisiculturista diante disso? Essas e outras questões que iremos tentar responder com o artigo. Vamos lá!

Uso de anabolizantes dentro e fora do meio profissional

No que tange o uso de anabolizantes, certamente é incontestável que a principal aplicação desses talvez não tenha sido intencionalmente criada para o esporte, mas para uso clínico e meios de elevação de performance em outras áreas (como a militar). Porém, com o passar dos anos e as descobertas, a aceitação e o uso desse tipo de substância no mundo competitivo tornou-se evidente, fazendo com que esses crescessem grandemente e fossem também modificados, a fim de trazer possíveis melhorias. Verdade seja dita: tanto dentro quanto fora do mundo esportivo, essas são substâncias efetivas, mas que infelizmente não são livres de efeitos colaterais. Assim, um indivíduo usando clinicamente essas drogas para um tratamento de alguma patogenia, corre riscos muito menores do desenvolvimento de efeitos colaterais, quando um indivíduo que usa no meio esportivo está muito mais propenso pela sobrecarga, quantidades, frequências e combinações serem consideravelmente maiores. Além disso, temos de considerar que o indivíduo que usa clinicamente essas substâncias, o faz por meio de acompanhamento profissional, já indivíduos que estão no esporte se quer consultaram um especialista (tanto porque, por questões éticas, poucos são os que fariam esse tipo de acompanhamento).

Esse meio ainda obscuro que cerca o uso desse tipo de substância no esporte, com diferentes finalidades (performance, estética) tem aumentado ano a ano e cada vez mais indivíduos jovens estão se submetendo a esse uso. Iludidos não mais somente por resultados rápidos, mas pela falsa ideia de que isso é algo normal e livre de causar efeitos colaterais consideráveis, pelas falsas ideias difundidas de que “se estudar e souber fazer, nada o acontecerá”, ou ainda pelo fato de que “ninguém está limpo”, essas pessoas acabam entrando em lugares desconhecidos e pouco a pouco cometendo um lento suicídio. E, pode ser exagero, pois alguns serão os que não sofrerão grandes danos (LEIA-SE NÃO SOFRERÃO GRANDES DANOS, MAS AINDA SIM SOFRERÃO EFEITOS COLATERAIS), mas quem garantirá que você será um deles? E quem garantirá que você não pagará até mesmo com sua vida por cometer esses atos inconsequentes?

praticante-musculacao-amador-injetando-anabolizante

O mais absurdo que me parece dentro de tudo isso é que essa difusão não é feita por atletas profissionais e experientes, propriamente ditos. Desconheço um atleta com longa carreira e renomado que fale detalhadamente sobre como, quando e o que usou, assim como sugere que esse ou aquele indivíduo faça isso ou aquilo. Que o uso de anabolizantes existe dentro do meio profissional, eu não serei hipócrita em dizer que não existe, mas lá eles realmente sabem o que estão fazendo. Profissionais da área utilizam com suporte de toda uma equipe de médicos, nutricionistas, fisioterapeutas, treinadores, massagistas e etc. Eles não leram na internet algo sobre uso de anabolizantes e por isso começaram a usar.

Por isso é importante saber diferenciar o uso de anabolizantes por profissionais do esporte, que doam a sua vida por aquilo e quem tem suporte de inúmeros outros profissionais de saúde, e pessoas que leram na internet e querem resultados rápidos, por isso usam anabolizantes.

A responsabilidade é do fisiculturista?

Seria muito simples criticar a mídia, seria muito simples condenar aqueles que tanto denigrem esse tão lindo esporte… Porém, e se parássemos para pensar que se o fisiculturismo tem como foco principal o fisiculturista, diretamente remetemos a organização e a imagem do esporte à ele. Por exemplo, por mais que tenhamos um time de futebol ou basquete que seja criticado, se ele for lá por si só, fizer por merecer e difundir seus aspectos positivos, então, muito provavelmente não será foco de chacotas. – Aliás, você já percebeu que os alvos de chacotas são sempre os times que se deixam abalar por questões mínimas ou que se envolvem em grandes escândalos?

Cada vez mais vemos crianças de idades mais jovens usando essas substâncias, acreditando em irrealidades transmitidas por esses pseudo-atletas. Pois bem, é claro que no fisiculturismo acontece muito disso… Além dos não verdadeiros fisiculturistas estarem muitas vezes passando uma ideia errada do esporte, fazendo apologia ao uso de substancias não convenientes, entre outros métodos, ainda contamos com “babacas” regados a óleos localizados e todas aquelas bizarrices que conhecemos bem. É nessa hora que o verdadeiro fisiculturista tem de se posicionar. Não criticando por criticar, mas ignorando e fazendo por onde, ou seja, mostrando seu trabalho, seu esforço, para que isso sim seja valorizado.

De nada adianta criticar, de nada adianta dizer que a culpa é dessa ou daquela pessoa, se não estamos fazendo nossa parte. Se não estamos, de maneira ética, levando a informação do que é o nosso esporte às demais pessoas. Se a propaganda é a alma do negócio, então, aparentemente não temos que questionar a importância que ela se faz para passar uma boa imagem do produto.

palestra-sobre-fisiculturismo

É responsabilidade do fisiculturista valorizar seu esporte, fazer com que ele seja visto com bons olhos. Para isso, dedicação, honestidade, ética e trabalho sério são necessários e fundamentais. Mais do que isso, a responsabilidade e o respeito para com o receptor da informação, que pode ser desde uma pessoa bem esclarecida a um leigo por completo. Se o uso de anabolizantes chegou ao nível que está hoje, muito é parte dos profissionais que não tentaram driblar isso no passado e sempre deixaram no ar o uso.
Portanto, pensem nisso! Vocês são os responsáveis pelo que o fisiculturismo demonstrará às outras pessoas.

Conclusão:
Conclusivamente, podemos dizer que os anabolizantes foram inseridos no esporte, mas esse não era seu objetivo principal. De qualquer forma, estando ali presente, o ergogênico demonstra inúmeros aspectos interligados com a moral, ética, com a sociedade e com a imagem do fisiculturista. Dessa forma, a busca por causar uma boa imagem, de maneira ética e transparente também é a melhor coisa que um fisiculturista pode fazer para que pessoas de fora do esporte não passem a entender esses aspectos errados e tampouco considerar coisas ruins do esporte.
Boa reflexão!


Artigo escrito por Marcelo Sendon (@marcelosendon)

4 erros de treino que pessoas que já estão treinando há algum tempo cometem


 Até mesmo um exercício composto bem feito, às vezes vale pelo treino inteiro.

Você não é mais um iniciante, sabe que precisa treinar pesado, comer proteína e que a hipertrofia ocorre durante o descanso.

Bacana, mas isso é o mínimo que você deve saber. E novamente, você não é mais um iniciante. Mesmo assim, ainda existem fatores que você deve prestar atenção para não comprometer seus ganhos. Aqui vão os erros mais comuns cometidos por pessoas que já deixaram a fase de iniciantes para trás, e como contorná-los para melhorar sua evolução na academia.

Erro 1: Seguir o treino 100% ao pé da letra

É importante escolher um treino e segui-lo à risca todo santo dia. Mas é importante também aprender a se adaptar de acordo com o que você está sentindo no dia e as circunstâncias do momento.

Digamos que o seu treino dita que você precisa fazer levantamento terra usando uma repetição máxima ou fazer uma série brutal de 20 repetições no agachamento, mas você está sentindo que uma gripe está quase te pegando ou sua lombar não está legal nesse dia. A melhor estratégia aqui é simplesmente pegar leve e fazer isso apenas quando você estiver melhor.
 
Esta estratégia com certeza não vai de acordo com a mentalidade “no pain, no gain”, porém, tentar ultrapassar os seus limites dessa forma, quando você está com algum problema, pode fazer você perder vários outros treinos e atrapalhar o seu progresso.

Agora, digamos que o seu treino dita que você precisa treinar leve (fazer um de-load) por uma semana depois de um tempo, mas você está longe de estar precisando desse descanso. Aqui, em vez de ser um escravo do que está escrito no papel, continue treinando insanamente. Nunca perca a oportunidade de treinar pesado quando você está se sentindo bem.

Erro 2: O treino é sempre 8 ou 80

Muitos caras sequer vão se dar o trabalhar de pensar em ir treinar se acontecer algo que vai atrapalhar o dia e não vai permitir que eles treinem do jeito que gostariam.

Todos nós, em algum momento, não poderemos dedicar o tempo merecido ao treino, mesmo assim, é melhor fazer pouco do que não fazer nada.

Digamos que aconteceu tudo de errado no dia e você ficou apenas com 30 minutos para chegar na academia e treinar. É muito melhor ir para a academia mesmo assim e fazer apenas dois exercícios importantes do que faltar para “compensar” outro dia.

Não caia nessa armadilha de que o treino precisa ser “perfeito” para que valha a pena. A longo prazo o que vai contar é a sua consistência.

Erro 3: Dar mais importância ao treino do que a dieta

Não importa qual é o seu objetivo no treino, a sua dieta vai ser o fator determinante para você chegar lá (ou não).
Treino pesado e boas intenções não importam, se você empurra a dieta com a barriga. E o pior é que você já deve estar cansado de ler isso. Mesmo assim, imagine que alguém que saiba tudo o que você sabe sobre dieta vai analisar a sua alimentação detalhadamente, sem segredos. Ela não vai encontrar absolutamente nada de errado ? Pense nisso com bastante honestidade.

Independente de você ser honesto ou não consigo mesmo, apenas considere que treinar pesado sem estar seguindo uma dieta de acordo com o seu objetivo, é desperdício de tempo e trabalho duro.

Erro 4: Treinar machucado

Se você machucou algo, está sentindo dores quando faz certos movimentos e continua treinando mesmo assim, sinto lhe dizer que as coisas só vão piorar.
A maioria das lesões graves nascem de lesões menores que foram completamente ignoradas por causa da insistência burra das pessoas. Quando algo dói durante o treino, isto é um forte sinal de que algo está errado, se você ignora e espera que vai desaparecer, pode ter certeza que isso vai te atormentar.
Lembre-se, perder treino para poder se recuperar de uma lesão é o menor dos seus problemas. Ter que abandonar a academia por causa de uma cirurgia pode, às vezes, te afastar da academia para sempre.



Fonte: Hipertrofia

Arquivo do blog