quinta-feira, 29 de maio de 2014

Dez Erros Comuns que Podem Comprometer seu Ganho de Massa Muscular


Dez Erros Comuns que Podem Comprometer seu Ganho de Massa Muscular
Quando se objetiva o ganho de massa muscular, além de um treinamento apropriado, faz-se necessária uma nutrição específica. No dia a dia, atendendo inúmeras pessoas com esse objetivo em comum, observamos alguns erros clássicos, que acabam comprometendo toda a busca pelo resultado esperado. A ideia desse artigo é apresentar alguns desses equívocos com uma breve discussão.

1. Aumentar desesperadamente a ingestão calórica, sem se preocupar com a qualidade das calorias ingeridas

O princípio básico para se aumentar a massa muscular realmente seria ingerir mais calorias do que se gasta. No entanto, a qualidade dessas calorias é igualmente importante, visando principalmente a obtenção de massa muscular sem o indesejado acúmulo de gordura corporal.

2. Pular/omitir refeições

A distribuição das calorias e dos nutrientes deve ser fracionada ao longo do dia. Fazer uma refeição a cada 3 horas é regra básica tanto para aumentar a massa muscular quanto para eliminar gordura corporal.

3. Não dedicar atenção especial para as refeições pré, durante e pós treino

Antes do treinamento, a nutrição deve garantir um adequado fornecimento de energia para a execução do treinamento. Em alguns momentos, uma nutrição durante o treino (na forma de suplementos) também apresenta grande validade visando retardar a fadiga. Após o treinamento, deve-se aproveitar a “janela de oportunidades” que se abre, proporcionando ao organismo o fornecimento adequado de nutrientes que garanta um ótimo processo recuperativo e otimize a síntese protéica.

4. Evitar todo e qualquer tipo de ingestão de gordura

Dentre inúmeras funções, a ingestão de gordura é fundamental para uma adequada síntese do hormônio testosterona. Recomenda-se cerca de 25 a 30% da ingestão calórica total proveniente de gorduras, sendo que destas, 2/3 deveriam provir de fontes insaturadas e apenas 1/3 de fontes saturadas.

5. Confiar em propagandas “milagrosas” de suplementos alimentares

Com o avanço da indústria da suplementação alimentar, podemos arriscar a dizer que praticamente todos os dias alguma empresa em alguma parte do planeta lança um novo produto. As propagandas, muitas vezes tentadoras, levam algumas pessoas a acreditarem que naquela pílula está a solução dos seus problemas estéticos. Pode parecer óbvio, mas é sempre bom relembrar: o suplemento alimentar apenas irá auxiliar na obtenção de resultados. É impossível alguém atingir seus objetivos confiando apenas no suplemento e negligenciando a alimentação e o treinamento. A suplementação deve complementar sua dieta de acordo com suas reais necessidades. Suplemente sim, mas com inteligência!

6. Restringir totalmente a ingestão de sódio

Realmente uma ingestão descomedida de sódio promove, entre outros malefícios, uma retenção hídrica indesejada. No entanto, algumas pessoas com receio desse nutriente, acabam o eliminando totalmente da dieta, o que é um grande erro. Necessitamos de sódio para diversas funções vitais, dentre elas a contração muscular. O bom senso em se utilizar quantidades adequadas fará a diferença.

7. Não comer alimentos fonte de fibras, vitaminas e sais minerais

Observamos pessoas se preocuparem excessivamente com a qualidade da proteína ingerida ou com a quantidade exata de carboidrato na dieta, mas acabam se esquecendo dos cofatores do metabolismo – vitaminas e sais minerais. Sem uma ingestão adequada desses micronutrientes, o metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas acaba sendo prejudicado. Não preciso nem dizer que a referida ausência atrapalharia todo o processo de ganho de massa muscular. Já as fibras, quando presentes na dieta entre 20 e 30 gramas ao dia, exercem vários benefícios, sendo importantes para a manutenção de uma boa saúde.

8. Acreditar que apenas o peito de frango é uma ótima fonte protéica

O peito de frango é uma ótima fonte protéica com baixo teor de gordura. Isso faz com que algumas pessoas o utilizem praticamente como única fonte de proteínas da dieta. Alguns cortes bovinos como patinho, coxão mole, alcatra, lagarto, dentre outros, também possuem uma ótima relação de proteína/gordura, podendo ser igualmente utilizados. Peixes e ovos também possuem proteínas de grande qualidade, proporcionando maior variedade para o cardápio e facilitando a adesão a longo prazo.

9. Não manter uma ingestão protéica adequada

Grande parte dos indivíduos engajados em um programa de ganho de massa muscular, já tem consciência da importância da ingestão de proteínas para obtenção de grandes resultados. Mas uma minoria se preocupa em garantir uma boa ingestão protéica em todas as refeições. De nada adianta utilizar um ótimo tipo de proteína no momento pós-treino com a melhor whey protein do mercado, e esquecer dos demais horários. Lembrando que todas as refeições do dia deverão conter quantidades adequadas de proteína de qualidade.

10. Negligenciar a hidratação

Já me deparei com pessoas que investem verdadeiras fortunas nos maiores lançamentos de suplementos alimentares ao redor do mundo e que acabam fracassando na busca por seus objetivos pela ausência de uma substância gratuita em sua dieta: água. Tanto para obter aumento de massa muscular quanto para reduzir a gordura corporal, necessitamos estar bem hidratados. Ingira entre 100 e 200 ml de água por hora do seu dia, aumentando essa quantidade para cerca de 500 a 1000 ml de água/hora durante o treinamento.

Esses são apenas 10 erros comuns observados em pessoas que desejam aumentar a massa muscular. Qualquer um desses erros pode impedir a obtenção dos resultados pretendidos. Para evitar equívocos como esses, procure sempre buscar informações sobre o assunto e, claro, a orientação individualizada de um nutricionista. 
 Fonte: Fisiculturismo 

A HISTÓRIA DO MISTER OLYMPIA DE 1965 A 2013




 


Tudo começou no dia 18 de setembro de 1965. Na Academia Música do Brooklin, uma multidão aguardava, vibrando antecipadamente. As pessoas aplaudiam, batiam os pés no chão e gritavam chamando pelo astro loiro da Califórnia que tinha os braços de um tamanho incrível! O homem que esperavam era o legendário Larry Scott e o motivo da espera, que naquela noite Joe Weider apresentaria sua maior criação: a primeira competição do Mr. Olympia. Larry era o superastro do Bodybuilding naqueles dias, mas já em 1963 não havia mais nada a conquistar. Scott conquistara os títulos de Mr. América, Mr. Mundo e o Mr. Universo e tinha a casa cheia de troféus e medalhas, mas sentia que era tempo de deixar o bodybuiding e ganhar algum dinheiro.


Joe Weider reconheceu que era preciso manter Larry Scott no bodybuiding e forçar o esporte a crescer. Ele criou a competição Mr. Olympia para manter ativos no esporte todos os grandes campeões do Mr. Universo e percebeu que, para que o esporte crescesse no futuro, os campeões deveriam obter remuneração para competir, igual aos outros atletas profissionais.


Larry Scott venceu o primeiro Mr. Olympia nesta noite quente de setembro de 1965 e repetiu o título em 1966, quando anunciou sua retirada, deixando a coroa para seu sucessor.


Em 1967, Sergio Oliva (conhecido como "O Mito") venceu o terceiro Mr. Olympia em magnífica forma. As pessoas admiravam-se como Sergio conseguia ser tão bom, mas ele era, e ficou ainda melhor em 1968, quando venceu o Mr. Olympia pela segunda vez e parecia que não teria oponentes à sua altura.


Entretanto, o maior desafiante de Sérgio aguardava o momento certo e, em 1969, começou uma grande rivalidade na história do bodybuiding. Olivia foi desafiado por um jovem austríaco chamado Arnold Schwarzenegger. Travada a batalha, Sérgio venceu e foi o Mr. Olympia por três anos consecutivos, Mas Arnold prometeu que Sergio não o venceria nunca mais.


Ambos treinaram duro para o ano seguinte e em setembro de 1970, Arnold deixou Oliva em 2º, tornando-se o terceiro detentor do título e prometendo que o manteria e que nunca mais seria derrotado.


Arnold obteve o título em 1971, sem dificuldades. Pela primeira vez o espetáculo foi realizado fora de Nova York. O Mr. Olympia foi em Paris, no mesmo dia em que o Mr. Universo, da NABBA, acontecia em Londres.


Em 1972, o Olympia foi para Essen, na Alemanha, onde aconteceu outra batalha memorável entre Sergio e Arnold. Ainda hoje, quase 30 anos depois, permanece a dúvida sobre quem deveria vencer. A decisão foi tomada por sete árbitros e, por 4 votos a 3, Arnold manteve o título.


Em 1973, a competição voltou para Nova York, que viu Arnold receber o troféu do Mr. Olympia pelo 4º ano consecutivo, com uma vitória sobre Franco Columbu e Serge Nubret. A maioria dos presentes achou que foi uma vitória fácil. Em 1974, o espetáculo teve lugar em Nova York, no Madison Square Garden. Arnold mais uma vez dominou e levou o título pela quinta vez, mas havia rumores de que pensava em retirar-se.


O Mr. Olympia realizou-se na África do Sul em 1975 e foi o primeiro a ser filmado. Pessoas próximas sentiam que a única razão para Arnold competir naquele ano era que o evento seria filmado e isto possivelmente o ajudaria em sua nova carreira no cinema. Arnold venceu pela sexta vez e imediatamente anunciou sua retirada.


Em 1976 o Mr. Olympia realizou-se em Columbus, Ohio e foi promovido por Arnold e Jim Lorimer. Franco Columbu finalmente conquistou o título que vinha tentando conseguir por mais de 5 anos. Não foi uma vitória fácil, pois ele ganhou de Frank Zane por um mínimo. Após a competição, Columbu anunciou sua retirada, enquanto Zane começava a treinar para o ano seguinte. Em 1977 parecia ser o ano de Zane. Frank preparou-se (e promoveu-se) durante os 12 meses que antecederam a competição e chegou a Columbus, Ohio definido e pronto, acreditando que ninguém mais apresentaria uma densidade muscular como a sua, e tinha razão.


Como uma reprise, o Mr. Olympia de 1978 foi em Columbus e Frank Zane manteve o título. Ele provou que o vencedor do Mr. Olympia não tem que ser necessariamente grande, pois o que vence é a qualidade.


Em 1979 Zane ganhou pela terceira vez. Seguiria ele o record de Arnold, vencendo 6 vezes consecutivas ? Zanen parecia imbatível, mas 1980 provaria ser o Olympia mais controverso da história.


Em 1980 a competição foi na Austrália. O número de competidores foi o maior até então registrado, mas também marcou o retorno de alguém que fez a história. Muitos viram Arnold treinando várias semanas antes do Mr. Olympia, mas a maioria pensou que era para uma filmagem. Quando ele embarcou no mesmo vôo dos outros competidores para a Austrália, pensaram que faria os comentários para a TV. Até mesmo no encontro dos participantes, imaginaram que ele estava lá integrando o time de dirigentes da IFBB. Só quando seu nome foi anunciado e ele escolheu seu número, é que ficou claro que ele iria competir. Arnold venceu o título de Mr. Olympia pela sétima vez em 1980, mas muitos ainda não entenderam porque ele voltou.


Em 1981, Arnold promoveu o evento com Jim Lorimes mais uma vez, em Columbus. Para não ser ofuscado por seu famoso amigo, o próprio Franco Columbu retornou à cena e venceu o título numa competição apertada.


Em 1982, Londres hospedou o show pela primeira vez. Chris Dickerson venceu, depois de ter sido vice nos dois anos anteriores. Depois da vitória, Dickerson anunciou sua retirada.

O evento retornou à Alemanha em 1983, sendo vencedor o "Leão do Lìbano", Samir Bannot. Ele superou oponentes como Mohammed Makkaway, do Egito, e o recém chegado Lee Haney, dos Estados Unidos. Samir tinha qualidades para ser um campeão dominante, mas ninguém previu a determinação de Haney.


Em 1984 o espetáculo foi mais uma vez em Nova York, onde aconteceu o recorde de público nas finais (5000), nas prévias (4000) e o maior prêmio em dinheiro (US$ 100.000) de todos os Olympia até então, que também premiou o maior vencedor do Olympia, Lee Haney. Ele era grande, compacto e cortado, portanto, ele era imbatível.


Em 1985, o Olympia foi na Bélgica. Haney dominou de novo, vencendo seus oponentes Albert Beckles e Rich Gaspari. Agora era dois desafiando Lee.


Muita gente acha que a apresentação de Lee Haney em 1986, em Columbus, tenha sido talvez a maior de suas participações em qualquer tempo. Lee recebeu seu prêmio pela terceira vez e começou a sinalizar que alcançaria o record de Arnold.


Em 1987, o evento do Olympia foi realizado na Suécia, mas o campeão foi o mesmo. Haney apresentava-se muito superior aos demais e venceu pela quarta vez. O recorde de Arnold estava definitivamente ao seu alcance.


Já em 1988, Los Angeles é a sede do Olympia. O anfiteatro Universal estava tomado por 6000 espectadores vindos para ver se Haney continuaria em seu propósito de ser o maior Mr. Olympia de todos os tempos. haney mais uma vez venceu fácil, completando cinco vitórias consecutivas. Pela terceira vez, Rich Gaspari ficou em segundo.


O ano seguinte, 1989, levou o Olympia a Rimini, Itália, na bela costa Adriática. Esta provou ser a competição mais dura que Haney teve que enfrentar, contra oponentes como Lee Labrada e Vince Taylor. Pela primeira vez, o público duvidou do domínio de Haney e muitos disseram que ele ficou muito feliz por ter conseguido vencer. Mas venceu, conseguido assim igualar o recorde de Arnold, com 6 títulos consecutivos.


Em 1990, 4.400 pessoas lotavam o Teatro Arie Crown, em Chicago. O prêmio de US$ 200.000 era o maior já oferecido pelo Mr.Olympia e Lee Haney tentaria sua sétima conquista. Se 1989 foi difícil para Haney, 1990 foi o ano em que ele quase perdeu. Depois de dois rounds ele perdia por 2 pontos, mas recobrou a diferença nas poses e no posedown, onde superou Lee Labrada e Shawn Ray. Agora Lee Haney tinha 7 títulos Olympia !


Orlando, na Flórida, foi a Sede o Mr. Olympia em 1991. Haney tentaria o oitavo título, mas pela primeira vez enfrentaria um homem com a mesma altura (1,79 m) e o mesmo peso (111,12 kg) que ele: Dorian Yates, a Fera Britânica. Quatro pontos os separavam depois do segundo, mas Haney ficou na frente nas etapas 3 e 4, conquistando seu oitavo Mr. Olympia - consecutivo !

Em 1992 o Mr. Olympia deslocou-se para Helsinki; na Finlândia. Um novo Mr. Olympia seria consagrado naquele ano, porque Lee Haney decidira retirar-se após o recorde de 8 vitórias consecutivas. A disputa no primeiro round foi entre o Campeão/91 dos Estados Unidos, kevin Levrone, e o concorrente ao Olympia, Dorian Yates, mas logo Yates se firmou como o melhor e venceu sem deixar dúvidas. Uma nova força despontou neste ano: Ronnie Coleman, que alcançaria o título seis anos depois.


Um novo Mr. Olympia foi consagrado, mas estaria começando uma nova era?


Nada podia deter o estupendo Yates em 1993, em Atlanta, quando ele evoluíra para 116,57 quilos. Até seu concorrente Flex Wheeler o chamou de "intocável" e certamente Yates parecia visar um longo reinado, a exemplo dos outros grandes Mr. Olympia.


No entanto, o atleta britânico teve um ano terrível em 1994. No mês de março, ele acidentou-se seriamente durante os treinos. Ele foi se recuperando mas quando o Olympia estava a menos de 9 semanas, ele lesou gravemente o bíceps do braço esquerdo. Mas nem este sofrimento afastou Yates do sonho do Olympia e ele chegou em Atlanta para levar seu terceiro troféu Sandow, mas dúvidas surgiram quanto à sua invencibilidade.


Se dúvidas surgiram, Yates as ignorou e retornou a Atlanta em 1995 para obter uma vitória justa, em plena forma. Kevin Levrone ficou em segundo e um novo oponente poderoso despontou no horizonte do Olympia: Nasser El Sonbaty, pesando 122,46 quilos. Nesta noite, os nove detentores do título estavam lá para homenagear o criador do evento, Joe Weider.


Em 1996, após 3 anos, o Olympia deixou Atlanta e foi realizado em Chicago. Yates, mais definido do que nunca, chegou à vitória, seguindo por Shawn Ray e Kevin Levrone. Foi a quinta vitória dele e, como em 94, alguns achavam que ele não repetiria no ano seguinte.


Saiba quem foi o campeão do Mr. Olympia 2013
Em uma disputa entre os melhores fisiculturistas do mundo, Phil Heath ficou acima do resto e ganhou a honra de ser nomeado o 2013 Mr. Olympia.

Este é o terceiro título do Heath, que tem se superado fisicamente ao longo dos últimos anos para colocar-se no topo do esporte.


Ele superou Kai Greene, que terminou em segundo lugar no campeonato pelo segundo ano consecutivo.

timthumb
- See more at: http://sportvc.com/news/saiba-quem-foi-o-campeao-do-mr-olympia-2013#.U4eMtnbXSt8
1997, em Long Beach, com prêmios no total de US$ 285.000, 110.000 só para o vencedor, Dorian Yates recebe seu sexto título e sai das competições, enquanto um grande número de jovens feras progride na disputa do Mr. Olympia.


Em 1998 um novo Mr.Olympia se impõe: Ronnie Coleman, o atleta que apresenta a região lombar mais surpreendente do Body-building. Ele repete a vitória em 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004 e 2005, se igualando a Lee Haney com 8 vitorias.
Em 2006, Jay Cultler vence o Mr. Olympia e mantém o titulo em 2007.  Em uma disputa entre os melhores fisiculturistas do mundo, Phil Heath ficou acima do resto e ganhou a honra de ser nomeado o 2013 Mr. Olympia.  Este é o terceiro título do Heath, que tem se superado fisicamente ao longo dos últimos anos para colocar-se no topo do esporte.   Ele superou Kai Greene, que terminou em segundo lugar no campeonato pelo segundo ano consecutivo.   Fonte de informações: Sol Brilhante / Spot tvc


Arquivo do blog