quarta-feira, 30 de abril de 2014

SELETIVA PARA O PIAUIENSE DE MUSCULAÇÃO

: 
PARTICIPE

Tenha curvas mais definidas e emagreça com musculação

Musculação tenha curvas mais definidas 
A musculação feminina é a atividade física que mais cresce nos últimos anos e as mulheres estão incluindo essa atividade no condicionamento físico quase na mesma freqüência que os homens.
Cada vez mais as mulheres estão ganhando consciência de que a musculação não as torna uma montanha de músculos como muitos ainda pensam, mas fortalece os músculos e é uma atividade física essencial em qualquer fase de nossas vidas.

Na maioria das vezes existem medos e conceitos equivocados sobre a prática da musculação como, por exemplo:
  • Engordar:
  • O músculo é mais denso então ocupa menos espaço, mas há mulheres que acreditam que adquirindo músculos estarão acrescentando centímetros ao seu contorno corporal, aparentando mais peso. Músculo e gordura são tecidos bem diferentes. O primeiro é firme e bem definido e não mole e sem forma como a gordura. Conforme o tecido mais magro se desenvolve aumenta o potencial de queimar gordura levando a eliminação da mesma. Aumentando a massa magra (músculos) aumentamos a capacidade do corpo de queimar calorias em repouso (ou seja, quando não estamos praticando essa atividade). Sendo assim a musculação melhora e modifica a forma de seu corpo.
  • Ficar musculosa:
  • Não é verdade que a prática da musculação torna a mulher muito musculosa, com um corpo masculinizado porque as mulheres em geral não produzem quantidade significativa de testosterona.
    Mulheres halterofilistas como vemos na televisão, para chegarem naquele tamanho podem apresentar, segundo pesquisas realizadas, menor relação estrógeno/testosterona ou níveis de testosterona acima do normal ou uma predisposição genética para o desenvolvimento de músculos, sendo somente de 6 a 8% da população que se encaixa neste quadro. Além disso, estas mulheres não ficam assim por acidente, elas treinam muito, sendo que para muitas é um trabalho integral e árduo.
  • Ficar mais forte que os homens:
  • Se falarmos em força absoluta sim, pois os homens apresentam maior volume de músculos e mais testosterona que as mulheres, agora se falarmos de força relativa (leva em consideração o tamanho do corpo), as mulheres são tão ou mais fortes que os homens. Estudos mostram que a mulher está à frente dos homens em relação a força na parte inferior do corpo, ficando atrás somente na força da parte superior do corpo.
  • Diminuir ou perder flexibilidade:
  • Estudos mostram que quando feito adequadamente, o levantamento de peso pode melhorar a flexibilidade corporal. As mulheres precisam apenas optar por níveis de resistência menores que seus colegas homens.
    Mas não só os medos e conceitos errados são conhecidos, temos os benefícios que serão sempre lembrados e mais do que nunca ressaltados como:
    1- Osteoporose: a musculação produz estímulos que desencadeiam reações químicas sobre os ossos, fazendo com que esta ossatura absorva melhor o cálcio contribuindo para a boa formação da massa óssea e evitando fraturas;
    2- Aumento da massa magra: com a prática da musculação a massa magra aumenta e à medida que isso ocorre, a gordura diminui, uma vez que esta é a fonte de energia para a realização dos exercícios;
    3- Melhora a postura: a pessoa que pratica musculação consegue ficar com a postura correta, pois tonifica a musculatura dorsal;
    4- Combate a flacidez: com a prática dos exercícios os músculos recebem mais nutrientes, a musculatura vai se tonificando e as fibras musculares vão ficando mais espessas, pois a musculação trabalha os grupos musculares separadamente por meio de contrações e estiramento das fibras musculares;
    5- Ajuda a emagrecer: ela ajuda a queimar as gordurinhas que tem pelo corpo, pois em um treino leve de musculação pode-se eliminar cerca de 300 kcal/hora.
    6- Modela o corpo: como a musculação causa micro lesões na fibras musculares, o tecido muscular dá estímulos para que pequenas reações bioquímicas aconteçam para a reparação da mesma, e assim os músculos vão ganhando novas formas, mais definidas.
    7- Diminui o colesterol: a musculação ajuda a diminuir o colesterol devido ao gasto de energia, já que aumenta o calibre das artérias, ficando o fluxo sanguíneo mais forte e assim levando das artérias os resíduos de gordura.
    Problemas como lordose, cifose e escoliose podem ser amenizados lembrando que a musculação não trata problemas graves de coluna, mas corrige vícios de postura. Portanto, se você nunca praticou ou acreditava que musculação era somente para a ala masculina, a partir de agora mude seus conceitos e inicie já sua malhação! Mas sempre procure a orientação de um profissional capacitado e habilitado para tal orientação, evitando assim a ocorrência de lesões.

     Fonte: Mais Equilibrio

    terça-feira, 29 de abril de 2014

    De magrinha a sarada: a transformação da fit girl Raquel Uzai

     
    Apesar de ser adepta dos esportes desde menina, a empresária carioca Raquel Uzai, de 30 anos, nunca fidelizava suas atividades por muito tempo. “Sempre tive um biótipo magro e, consequentemente, não me importava em malhar regularmente”, confessa.

    Em janeiro de 2012, Raquel teve que interromper suas aulas de muay thai porque descobriu que tinha condromalacia, uma doença crônica que causa dor nos joelhos. Foi então que a musculação se tornou essencial para fortalecer as pernas e melhorar as dores na região. Em setembro do mesmo ano, a blogueira tirou férias de 20 dias para os Estados Unidos e ganhou 5 quilos depois de comer tudo o que tinha direito. De volta ao Brasil, a garota ainda engordou mais 3 quilos. Mas a ficha só caiu quando foi experimentar uma roupa para a festa de aniversário do marido. “A decepção da peça não servir foi tão grande que fiquei um mês sem sair de casa”, lembra. Foi nesse momento que resolveu pegar pesado na musculação, mas a alimentação continuava igual -- com direito a todas as guloseimas. Foi só no ano seguinte, quando Raquel conheceu Bella Falconi e se encantou com a determinação da musa fitness sucesso nas redes sociais, que resolveu montar um plano de alimentação cutting, com um cardápio para mandar embora toda a gordura corporal.

    Com 1,68 de altura, a fit girl chegou a 60 quilos e quase 25% de gordura corporal. Em 5 meses, com uma rotina alimentar adequada e exercícios, Raquel eliminou os 8 quilos extras e reduziu seu percentual de gordura corporal para 13%. Quando conseguiu emagrecer o que desejava, resolveu procurar uma nutricionista esportiva e um médico nutrólogo para ajudar na fase chamada bulking, com um cardápio rico em proteína para ganhar massa muscular. “As pessoas me perguntam se eu não sinto falta de comer chocolate, pizza e batata frita. Sinceramente, não mais, me acostumei. Claro que às vezes bate uma vontade de comer um bombom ou uma torta, mas tenho tantas receitas de doces saudáveis que me satisfazem!”, comenta Raquel. Foi nessa época que a blogueira criou uma conta no Instagram (@fitforlife_brasil) para compartilhar suas receitas saudáveis e o treino do dia a dia. Hoje, o seu perfil na rede social é um sucesso e quem virou inspiração a ser seguida é a própria Raquel.

    Treino para um braço de ferro
    A fit girl Raquel Uzai convidou o personal trainer Xande Negão (RJ) para deixar o seu treino de musculação ainda mais poderoso. De segunda e de quinta Raquel trabalha os membros inferiores, na quarta e no domingo os membros superiores. Sábado é o dia de trabalhar os glúteos. Já os abdominais ficam para quarta, sábado e domingo. As sessões de 20 minutos de aeróbica são reservadas para os domingos. O especialista comenta que a mudança no corpo de Raquel é visível: “Ela cresceu a região do glúteo e anterior e posterior de coxa. Além disso, a postura melhorou consideravelmente, devido aos exercícios corretivos para ombros, dorsal e abdômen. Os braços secaram bastante no geral, por isso dá a aparência de maior definição”, comenta Xande. 

    Com informações da Boa Forma

    segunda-feira, 28 de abril de 2014

    Frutas em Dieta para Emagrecer, até que Ponto isso é Correto?

    Frutas em Dieta para Emagrecer, até que Ponto isso é Correto? 
    Olá amigos do FISIculturismo.com.br, este mês resolvi falar sobre mais um assunto polêmico, que às vezes muitas pessoas tem isso como a verdade. Este artigo é em homenagem às pessoas que dia após dia vem me perguntar sobre as frutas.

    Sei que muitos irão discordar deste tema, pois há os defensores árduos das dietas das frutas. Muitas vezes absorvemos e ouvimos o que nos interessa, e o que vem de encontro às nossas tradições, contra aquilo que gostamos, rejeitamos e tentamos buscar algum lugar alguém que diga o contrário, mesmo que esta não seja a verdade, só para nos agradar.

    Normalmente, quando alguém vem me procurar para dicas de alimentação, seja algum aluno de personal ou não, dizendo que está fazendo uma dieta, que parou de comer besteiras, afirmando que não come mais pão, nada de glúten, farinha branca ou lactose, etc, mas que está comendo só fruta.

    E justifica essa opção como correta por ter visto em alguma revista, ou em algum programa de televisão, ou na internet, que alguém perdeu 7kg ou mais só ingerindo frutas. Ingerir frutas realmente emagrece?

    Bem, vamos iniciar com uma rápida explicação sobre as frutas e seu açúcar: frutose. O açúcar que todos abominam é a sacarose, é aquele que vem nos doces e confeitos, e ela é 50% glicose e 50% frutose. Mas o que há de mal nisso?

    O que estraga a sacarose é a glicose? Cito um trabalho realizado pelo Dr. Richard Johnson, onde foram estudados dois grupos de ratos. Ambos ingeriram a mesma quantidade de calorias. Porém, o grupo 1 ingeriu parte das calorias na forma de glicose e o grupo 2 na forma de frutose.

    Os ratos do grupo 2 (frutose) ganharam bem mais peso e armazenaram mais gordura visceral e no fígado, além haver aumento na pressão sanguínea e nos triglicerídeos presentes. Apenas diferenças no tipo de açúcar, implicaram nesses resultados. É como se o grupo 2 ingerisse só frutas e o grupo 1 glicose.

    A frutose promove o aumento da gordura abdominal (aquela indesejada pela maioria das pessoas). A frutose é metabolizada mais rápido que a glicose na forma de gorduras. Ela desregula os mecanismo do corpo de controlar o apetite, não estimula a insulina corretamente, impedindo a atuação correta do hormônio ghrelin e não estimula a leptina.

    Ghrelin e a leptina são peças-chave no controle da fome. Isso significa que a ingestão de frutose fará com que você coma mais e que também potencialize as suas chances de desenvolver insensibilidade à insulina. A frutose promove o aumento do “mau” colesterol (LDL) e a diminuição do “bom” colesterol (HDL), elevando também os triglicerídeos, pressão sanguínea e elevando os níveis de açúcar no sangue.

    Além disso, contribui para o desenvolvimento de Gota, por aumentar os níveis de ácido úrico no corpo. Em um estudo publicado em 2011, mulheres que bebiam 350 ml ou mais de suco de laranja por dia, duplicaram o risco de desenvolver Gota. As mulheres que bebiam apenas 175 ml de suco por dia, aumentaram em 41% as chances de desenvolver a condição.

    Resultados similares foram observados em homens também. Sucos, devido à retirada das fibras da fruta, são digeridos e absorvidos muito mais rapidamente do que as frutas ao natural, portanto, promovem muito mais o armazenamento de gordura e intensificam todas estas consequências da frutose.

    Sucos, principalmente para quem quer queimar gordura, devem ser considerados com muita cautela. Frutose tem sido considerada a “chave” para se ativar o armazenamento de gordura, sendo tema de um livro publicado bem recentemente: The Fat Switch, do Dr. Richard Johnson, que é médico há 25 anos e também pesquisador na Universidade do Colorado, nos EUA.

    Há outro problema causado pela frutose. Vamos entrar na tireóide, que produz dois hormônios, a tiroxina ou tetraiodotironina ou T4 e a triiodotironina ou T3. Na verdade, o hormônio ativo é o T3, justamente o hormônio produzido em menor quantidade pela tireóide, aproximadamente 20% da produção.

    Ao ser conduzido ao fígado, o T4 inativo sofre a ação da enzima específica (5-deiodase) e se transforma no hormônio ativo T3, o qual irá, entre outras ações já mencionadas, provocar a elevação da temperatura corporal e provocar a queima de gordura.

    Ocorre que essa conversão depende da presença de energia suficiente no fígado (ATP). A frutose rouba ATP do fígado e torna a conversão T4 mais difícil, portanto, maneirar nas frutas é muito conveniente.

    Então não devo ingerir frutas? As frutas contém vitaminas, minerais e fibras, porém, se você estiver em uma dieta para perda de peso, não é muito indicado a ingestão de frutas. Se for consumi-las, que seja pouco e de manhã, pois, elas causam picos de insulina, dificultando a produção de GH natural pelo organismo.

    O que pouca gente sabe é que nem todas as frutas se dão bem quando consumidas juntas. Isso porque as frutas ácidas requerem um tipo de suco gástrico para serem digeridas, enquanto as frutas doces requerem um outro tipo. Quando consumidas em conjunto, a digestão fica mais complicada.

    Frutas ácidas ou cítricas são aquelas como tangerina, morango, lima, limão, abacaxi e laranja. Já as doces são uvas, maçãs, pêras e pêssegos. As bananas são consideradas neutras.
                                                                         Até a próxima.   
    Fonte: FISIculturismo

    Educação também cabe na academia de ginástica

     Musculos
    Academia de ginástica é nada mais nada menos do que o retrato da sociedade e por isso mesmo é nela que encontramos os mais diversos tipos tais como as socialites, os gostosões, as peruas, os burgueses, os fofoqueiros e fofoqueiras, os metidos a machões, os tímidos, os desinibidos, os maníacos e porque não dizer também os chatos mal educados. Como todo lugar público deve haver normas de conduta determinada pela direção porque esperar pelo bom senso por vezes fica muito difícil.

    Tem o cara que se mete na série de todo mundo se achando o mais entendido. Se for mulher então, lá vai ele de peito estufado dar palpite na série dela. Existem formas mais educadas e sutis para começar um bom papo com uma mulher se é isso o pretendido. A maioria delas não gosta desse tipo de sujeito confiado. Geralmente elas são as mais fiéis às orientações do professor.


    Tem o sujeito que não sabe o número certo das suas roupas comprando sempre um ou dois números menores para destacar os músculos que ainda não tem. Nessa linha de pensamento não é difícil encontrar aqueles barulhentos na hora de levantar peso que não passa de pesinho. Pelos berros parece que estão pegando “duzentos quilos”. E não é só isso. Muitos deles ao terminar uma série deixam todo o material usado largado. Quem quiser que arrume! Durante a execução dos exercícios querem monopolizar o aparelho e isso não deixa de ser uma forma de prender a atenção de todos que estão ali inevitavelmente olhando para ele esperando a vez. Claro! Não sai dali sem antes dar uma espiadela no espelho para ver se o peitoral ou o bíceps cresceu e ainda deixou o aparelho todo suado e nojento. Isso quando não fica desfilando pela academia, sem a menor necessidade, com o cinto abdominal destinado somente aos fisiculturistas. Na roda de amigos o assunto é um só. Ele!

    Bom, o professor está lá para orientar, mas esse tipo nunca dá ouvido e acaba sempre aumentando o peso por conta própria. Geralmente são os que se machucam primeiro. Quando não estão fazendo nada sentam num aparelho jogando conversa fora que mais atrapalha do que ajuda.

    Nem “oito nem oitenta”. Tem o aluno que parece um desmemoriado. Pergunta a mesma coisa todo dia.

    Também não posso deixar de falar nas mulheres. Nada parece incomodar mais as outras do que aquela que só fala do filho ou dos serviços domésticos.

    Claro, em todo lugar tem as “peruas”, na academia também tem com seus comportamentos exagerados com suas bolsas, cabelo, sapato e tudo o mais, bem espalhafatoso. Geralmente são as mais divertidas, de bem com a vida e não incomodam ninguém. O problema é de quem ignorá-las.
     
    Também tem as socialites sempre presentes nas colunas sociais nem sempre peruas, mas precisam aparecer. Fazer exercício mesmo pode não ser o seu forte, mas se não for notada é o fim dos tempos.

    Infelizmente existem as de relacionamento difícil que chega à academia cheia de pose, largam o carro em qualquer lugar, fala com os empregados da academia como se fosse a patroa atrasa a mensalidade e se for cobrada, vira bicho!

    E as superprotetoras dos seus filhinhos? Tem pai que também é assim. Nas competições se o filho não ganha o culpado é o professor. Geralmente são pais que não dão o menor exemplo de hábitos de vida saudável. Muitos fumam, são sedentários e obesos. 
    Fonte:
    Fonte: Copacabana Runners


                                                                         

    Musculação, saúde e qualidade de vida


    Modalidade é a mais procurada em acadêmias

    Cada vez mais está sendo documentado em trabalhos científicos que a boa condição anatômica e funcional dos ossos, músculos e articulações são fundamentais para uma boa qualidade de vida. Essa condição é conhecida como saúde músculo-esquelética. Qualidades de aptidão como força, resistência e flexibilidade bem desenvolvidas permitem a realização confortável e segura dos esforços da vida diária, mesmo em situações de solicitação acentuada, como é o caso de muitas atividades profissionais. Pessoas idosas e sedentárias apresentam habitualmente processos progressivos de desgaste e enfraquecimento dos ossos, músculos e articulações, o que leva ao aparecimento de dores, pode chegar a impedir atividades tão suaves como caminhar, e aumenta o risco de quedas.
     
    Os melhores exercícios para estimular a integridade e função do sistema músculo-esquelético são os exercícios resistidos, geralmente realizados com pesos graduáveis, cuja prática é hoje conhecida como musculação. Além da grande eficiência, esses exercícios foram também identificados como os mais seguros para pessoas sedentárias ou debilitadas, em função da facilidade com que podem ser adaptados para qualquer condição de saúde. A musculação pode ser mais suave do que caminhar.
     
    Outro aspecto da saúde é a integridade cardiovascular: infartos, acidentes vasculares encefálicos, gangrenas e insuficiência de órgãos podem ocorrer quando os vasos sanguíneos apresentam processos degenerativos, representados na maioria das vezes pela aterosclerose. Qualquer tipo de atividade física contribui para evitar a aterosclerose por diminuir a incidência, ou facilitar o controle, das principais doenças que evoluem com degeneração vascular: hipertensão arterial, diabetes, obesidade e elevações sanguíneas do colesterol e dos triglicérides. Saúde cardiovascular não deve ser confundida com aptidão cardiovascular, que significa a capacidade do sistema cardiocirculatório manter função adequada para sustentar esforços contínuos como correr, pedalar e nadar. Esta é uma forma de condicionamento físico, que também estimula a saúde, mas não é uma necessidade para esse fim. As evidências científicas atuais demonstram que os exercícios resistidos também contribuem para promover saúde cardiovascular, como todo tipo de atividade física, e além de seguros, são importantes para melhorar a qualidade de vida das pessoas com doenças cardíacas.
     
    Atualmente a musculação é liberada até mesmo para crianças, com as devidas adaptações, visto que esforços máximos não são aconselhados e nem necessários. Bons profissionais adaptam a musculação para pessoas em todas as idades e em qualquer condição de saúde, desde que não haja contraindicação para exercícios físicos. A frequência mínima de treinamento para obtenção de resultados é duas vezes por semana. Para pessoas debilitadas, essa é a frquencia ideal.
     
    *Prof. Dr. José Maria Santarem é Médico Fisiatra, Reumatologista e Diretor do Instituto Biodelta de Musculação, Ensino e Pesquisa. 

    Fonte: Educação Fisica

    Ganhar massa muscular naturalmente: qual é o limite ?

     ganhar massa muscular naturalmente Ganhar massa muscular naturalmente: qual é o limite ?
    Frequentemente querem saber qual é o limite para ganhar massa muscular naturalmente. Ou seja, quão grande podemos ficar sem apelar para o uso de drogas ?

    Cutucando pela internet é possível encontrar toneladas de informações conflitantes. Algumas pessoas vão dizer que naturalmente não é possível sequer ficar com um corpo legal, enquanto outros acreditam cegamente que você pode ter o corpo que quiser naturalmente, basta ter dedicação.

    Quem está certo ?
    Infelizmente, nenhum dos dois. A verdade é algo entre um e outro.

    Ganhar massa muscular naturalmente

    A primeira coisa que devemos ter em mente é que é impossível saber com precisão quanta massa muscular podemos construir naturalmente. Enquanto podemos saber que é irreal chegar ao tamanho do Ronnie Coleman naturalmente, não é possível dizer com absoluta certeza quão grande você poderá ser sem o uso de drogas.

    Com isto dito, ficar se preocupando com o seu limite natural antes de ter mais de 5 anos de treino e dieta de verdade, é inútil. Se você começou a treinar a pouco tempo, não perca sequer um segundo pensando se você vai conseguir ter massa muscular suficiente para ficar “gigante”, se vai conseguir chegar lá rápido, se vai ter as proporções corretas, etc… Isto pode levá-lo rapidamente a expectativas irreais e destruição de motivação para treinar.

    A dura realidade é que, de um jeito ou de outro, você vai precisar treinar pesado, comer corretamente, e deixar o corpo crescer no seu devido tempo. E apesar de nem todos termos genéticas dos deuses, qualquer pessoa pode construir um corpo acima do comum se tiver paciência suficiente.
    Então, com isto lido e entendido, vamos centrar o artigo na proposta inicial…

    Qual é o limite para ganhar massa muscular naturalmente ?

    Não existem estudos que apresentem respostas definitivas para esta questão. E é justamente por isto que existem tantas opiniões mirabolantes por ai.
    Existem, porém, algumas fórmulas desenvolvidas pelos melhores treinadores envolvidos no esporte: Lyle McDonald, Alan Aragon, e Martin Berkhan.
    Estes caras já trabalharam com centenas de fisiculturistas e atletas da elite, e não falam apenas com base em um profundo compreendimento do corpo humano, mas também com base em resultados reais e vistos em seus cotidianos.
    Vamos ver o que eles têm a dizer sobre o assunto…

    Fórmula de Lyle McDonald

    Esta fórmula criada pelo Lyle é extremamente simples (Aplica-se apenas à homens)
    ANOS DE TREINO DE VERDADEGANHOS MUSCULARES POTENCIAIS
    19 a 11 quilos
    24 a 5 quilos
    32 a 3 quilos
    4+1 a 1,5 quilos
    De acordo com Lyle, tanto idade como condições iniciais poderão afetar os ganhos potenciais. Caras mais velhos poderão ganhar menos que caras mais novos, e caras magros poderão ganhar mais que a média. E outras pessoas simplesmente ganharão mais, ou menos devido a fatores como hormônios, genética em geral, e estilo de vida.

    Como você pode ver pela tabela, Lyle diz que é possível ganhar 18 a 22 quilos de músculo nos primeiros 4 a 5 anos de treino, e os ganhos são desprezíveis a partir disso.
    É válido lembrar que os anos são de treino verdadeiro, e não treino meia-boca. Pessoas que estiverem treinando errado por anos, quando começarem a treinar de verdade poderão ter os ganhos do ano 1 da tabela.

    Fórmula de Alan Aragon

    O modelo do Aragon aborda a questão de uma maneira diferente, mas os números acabam sendo semelhantes.
    CATEGORIAVELOCIDADE DO CRESCIMENTO
    INICIANTE1 a 1.5% do total do peso corporal por mês
    INTERMEDIÁRIO0.5 a 1% do total do peso corporal por mês
    AVANÇADO0.25 a 0.5% do total do peso corporal por mês
    De acordo com a formula, um iniciante pesando 70kg pode ganhar 0,7 a 1 quilo de massa muscular por mês, totalizando 8 a 12kg no primeiro ano.

    Considerando que a partir do segundo ano ele seja intermediário e pesando 80kg (exemplo), ele pode ganhar 0,4 a 0,8 quilos de massa muscular por mês, ou 4.8 a 9.6 no segundo ano.
    No terceiro ano, digamos que ele já avançado, e pesando 85kg, ele é capaz de ganhar até 5kg naquele ano, e a partir dai tendo ganhos bem menores.

    Fórmula de Martin Berkhan

    Martin desenvolveu esta fórmula observando as medidas e pesos de fisiculturistas profissionais, e provavelmente é a mais simples:
    Altura em centímetros – 100 = peso máximo em físico de competição (com 4 a 5% de gordura corporal)

    Ou seja, subtraindo a sua altura por cem, você tem uma estimativa do máximo que você poderia pesar em quilos tendo 4 a 5% de gordura, sem o uso de drogas. Exemplo: um cara com 180cm de altura poderia ter no máximo 80kg.

    Conclusão

    É válido ressaltar que este assunto pode gerar debates infinitos.
    Algumas pessoas simplesmente ignoram estas fórmulas porque elas simplesmente não levam em conta a motivação, trabalho duro, e consistência. Infelizmente, eu não posso concordar com elas. Minha própria experiência pessoal e treinando outras pessoas alinham com estas fórmulas.

    De qualquer forma, não perca a motivação. Apenas treine pesado, coma corretamente, e os resultados virão.

    As pessoas costumam ver fisiculturistas subindo ao palco pesando mais de 120kg trincados, e ficam tristes em saber que dificilmente terão mais de 80kg com 5% de gordura.
    Bem, 80kg com 5% é algo extraordinário para o padrão das academias. É corpo de capa de revista fitness.
    A não ser que você queira ter um corpo mutante de fisiculturista de elite, é muito possível conquistar o corpo dos seus sonhos naturalmente, basta saber que levará anos de treino pesado e alimentação correta para chegar lá.

    Concorda com as fórmulas ? Não ? Qual é o seu limite natural de acordo com elas ? 

     Com informações do Hipertrofia

    sábado, 26 de abril de 2014

    Musculação: mais saúde para o seu corpo

    Musculação mais saúde para o seu corpo 

    Ao contrário do que muitos pensam fazer atividade física com peso, como é o caso da musculação, é muito menos nocivo a saúde do que alguns exercícios com nomes difíceis que vemos nas academias.

    O trabalho com peso pode ser indicado para qualquer pessoa, respeitando a individualidade e os limites de cada um.

    Os exercícios com peso trazem ótimos resultados para já que fortalecem os músculos e proporcionam um equilíbrio mais acentuado do corpo, o que melhora a qualidade de vida de quem o pratica.

    A grande vantagem dos exercícios com peso é que eles se moldam de acordo com a capacidade individual e conforme os músculos vão se fortalecendo, a carga pode ser aumentada. Dessa forma, os músculos podem ser trabalhados separadamente ou em grupos musculares.

    Para quem quer tornear e modelar o corpo, o trabalho de musculação acaba sendo o melhor caminho para chegar ao corpo desejado com curvas delineadas e aquela rigidez apreciável eliminando a flacidez dos músculos.

    Fortalecer os músculos aumenta sua capacidade física, fazendo com que as tarefas do dia a dia se tornem mais fácil. 

    Fonte: Mais Equilibrio

    Bicampeã brasileira de bodybuilder é destaque

    Simone de Oliveira exibiu o corpo musculoso durante feira fitness realizada no Rio, na tarde da última  sexta-feira, 25.

    Simone de Oliveira, conhecida como Simoninha, impressionou a todos com o corpo musculoso, durante o "Arnold Classic Brasil", feira fitness internacional criada por Arnold Schwarzenegger que acontece desta sexta, 25, até domingo, 27, no Rio. A paranaense, que tem 36 anos e 1, 55m de altura, começou a transformar o corpo há três anos e é bicampeã brasileira overall de bodybuilder.

    Simoninha conta que como tem hipotireoidismo, sofre com os treinos: "É muito sacrificante malhar". Com 500 ml de silicone nos seios, a loira diz ainda, que seu corpo agrada tanto homens quanto mulheres: "Os homens gostam da parte superior, já as mulheres, gostam da minha bunda e das minhas pernas. Eu me adoro".

    A loira falou também sobre o que faz para manter a boa forma: "Minha alimentação é basicamente ovo, frango, peixe, carne vermelha. E só como de legumes brócolis, rúcula, alface e aspargo. Não como fruta de jeito nenhum e tomo suplementos de três em três horas. Diria duas coisas sobre a minha vida: superação e abstinência".


    As saradonas Gracyanne Barbosa e Graciella Carvalho também estiveram no evento. De shortinhos minúsculos e top, as morenas chamaram a atenção pelos corpos trabalhados em muitas horas de treino.


    Fonte: EGO

    sexta-feira, 25 de abril de 2014

    Fisiculturista de 24 anos morre com dengue hemorrágica em Corumbá

     
    Uma mulher, vítima de dengue hemorrágica, morreu na tarde de quarta(23) em Corumbá, a 419 quilômetros de Campo Grande. A fisiculturista Fernanda Mattas, de 24 anos, estava internada no CTI (Centro de Tratamento Intensivo do Hospital de Corumbá) desde terça- feira (22) em estado gravíssimo.

    Segundo o site Diário Corumbaense, Fernanda foi internada na semana passada na Santa Casa, com suspeitas de leishmaniose, mas exames comprovaram que ela estava com dengue.

    Ela saiu do hospital para poder prestar exames para um concurso público, porém o seu estado piorou, voltando ao CTI ontem. Ela morreu por volta das 16h30 de hoje.

    Neste ano, a Secretaria Estadual de Saúde confirmou três mortes por gripe A, causa pelo vírus influenza H1N1 no município. 

    Fonte: Difusora 1250

    Dia do Lixo: Vale Mesmo a Pena Fazê-lo?

    Dia do Lixo: Vale Mesmo a Pena Fazê-lo? 
    Muitos atletas e indivíduos que desejam queimar gordura há alguns anos, vêm beneficiando-se de uma estratégia um tanto quanto saborosa para obter resultado. Estas pessoas comem tudo o que quiserem em um dia da semana, inclusive doces, bolos e sorvetes, no famoso “Dia do Lixo”! Vamos analisar neste artigo os prós e os contras desta prática.

    Sabe-se que no início de um trabalho para redução da gordura corporal, os resultados são facilmente obtidos. Porém, esta facilidade vai desaparecendo com o decorrer das semanas, o que leva muitas pessoas menos persistentes a desistirem de seus objetivos. Isto ocorre devido a algumas adaptações orgânicas do metabolismo humano.

    Ao iniciar uma dieta com déficit calórico significativo, digamos de 1000 calorias por dia, você levaria cerca de 3,5 dias para perder 500 gramas de gordura corporal. Entretanto, a perda de peso seria mais rápida nos primeiros dias, sendo que a maior porcentagem dessa perda de peso seria devido à redução do carboidrato corporal e dos estoques de água a ele relacionados. Quando você restringe sua ingestão alimentar, o organismo utiliza suas reservas de energia para suprir suas necessidades. Essas reservas consistem dos estoques de gordura e de carboidrato. Mas a maior parte do carboidrato, armazenado na forma de glicogênio hepático e muscular, esgota-se em poucos dias. Em dietas, nas quais, a ingestão de carboidrato é bem reduzida, observa-se uma perda de peso ainda mais abrupta no início.

    Como um grama de gligogênio é armazenado com três gramas de água, uma perda significativa de peso pode ocorrer. Por exemplo, 300 gramas de glicogênio e mais o estoque de água correspondente (900 gramas), seriam responsáveis por uma perda de 1,2 quilos. Cerca de 70% da perda de peso durante os primeiros dias de dieta deve-se às perdas de água corporal. Cerca de 25% são provenientes dos estoques de gordura e 5% do tecido protéico.

    Deve-se ressaltar que às perdas de proteínas também são acompanhadas de perda hídrica, cerca de quatro a cinco gramas de água por grama de proteína. Entretanto, ao final da segunda semana de dieta, a perda de água corresponde a apenas 20% da perda de peso; uma redução 500 gramas nos custará agora 2800 calorias. No final da terceira semana, as perdas de água são mínimas. O déficit energético para perder 500 gramas de peso corporal se aproximará de 3500 calorias. Em essência, à medida que você avança com a dieta, as perdas de peso têm um custo calórico mais elevado, pois a perda de água é menor. Além disso, à medida que emagrece, você precisa de cada vez menos calorias para manter seu novo peso. Se você quiser continuar com o déficit calórico inicial, terá que ajustar sua ingestão calórica à medida que perde peso.

    Como se isto já não fosse o bastante, ocorre ainda em nosso organismo um fenômeno que nós chamamos de “metabolic slowdown”, ou seja, uma redução no gasto energético, devido principalmente à redução na taxa metabólica basal. Mediante uma redução na ingestão calórica por vários dias subseqüentes, o organismo humano, como uma forma de proteção à vida, reduz seu gasto energético. Isto advém dos primórdios da história humana na Terra, quando o homem experimentava longos períodos de fome devido à escassez de alimentos. E é aí que entra o “Dia do lixo”! Este, além de ser excelente no ponto de vista psicológico, ainda reduz a probabilidade da ocorrência desta redução metabólica, mantendo a perda de gordura corporal constante no decorrer das semanas posteriores.

    Mas, além disso, vamos ser sinceros, pois dificilmente alguém consegue ficar longe do doce ou bolo favorito por muito tempo. Portanto, ao invés de se fazer uma dieta duas semanas de forma ininterrupta e na terceira semana abandonar todo o trabalho por causa da lasanha ao molho branco da avó, o mais prudente é colocar regras nisto.

    Sem dúvida, um dos grandes vilões da maioria dos programas de redução da gordura corporal, são os famosos beliscos. O gordinho todo santo dia vai lá e come algum docinho ou salgadinho que não estava em sua dieta, mas em sua concepção isto não lhe trará nenhum problema, afinal, é só um! Porém, o que ocorre é que nosso amigo gordinho não consegue ter grandes resultados, pois seus beliscos vêm tornando-se cada vez mais freqüentes. Nestes casos bem típicos, o mais comum é por a culpa na tireóide, na academia ou no nutricionista.

    Uma das formas de resolver este problema é sem dúvida, estipular um dia na semana, normalmente o Domingo, no qual o indivíduo possa comer o que quiser e gostar, logicamente, sem grandes exageros. Costumamos orientar para nossos atletas e clientes que liberem a qualidade de seus alimentos, mas para sempre tomar cuidado com a quantidade! Porém, deve-se tomar cuidado para não tornar essa prática obsessiva. Já me deparei com casos de indivíduos que ficam programando as compras no supermercado a semana toda e quando chega o tão esperado “Dia do Lixo”, este come desesperadamente até passar grande parte de seu dia no banheiro! Devemos ainda deixar claro, que liberar a dieta, não significa comer feito um porco, mas sim ingerir algo em torno de 1000 calorias adicionais, o que para um ser civilizado, certamente já será o suficiente.

    Muitos ainda preocupam-se quando após o dia do lixo, observam um aumento significativo em seu peso corporal, achando inclusive que toda a semana de dieta foi perdida. Porém, a maior parte deste peso é composto por água, que provavelmente está ligada ao aumento dos estoques de carboidratos do organismo. Além disso, se a alimentação do dia foi rica em sódio, seus estoques de água extracelular também aumentaram. Retornando à dieta no dia seguinte, esta retenção hídrica será eliminada rapidamente. Outra questão a ser discutida é o fato de que em uma dieta hipocalórica, ocorre certa adaptação gástrica, ou seja, o apetite reduz consideravelmente, o que dificulta uma ingestão alimentar muito excessiva.

    Talvez a maior dificuldade para muitos com esta prática, seja retornar à dieta habitual no dia seguinte, mas em geral, se realizado de forma adequada, o “Dia do Lixo” só trará benefícios para aqueles que o fizerem. Um outro aspecto a ser considerado é que os mais comilões tendem a estender o “Dia do Lixo” de quinta-feira até domingo. Devemos deixar claro que desta forma, certamente os resultados serão comprometidos. Apenas um dia por semana já é o suficiente.

    Em dietas objetivando o ganho de massa muscular, o “Dia do Lixo” de uma forma adaptada também é interessante. Neste caso recomendamos que em um dia na semana, a ingestão de proteínas seja diminuída, elevando-se a ingestão de carboidratos. Observa-se com isto, um aumento na síntese protéica no momento em que se retorna com uma dieta mais rica em proteínas.

    Diversas estratégias devem ser testadas para tornar o processo de perda de gordura corporal o mais eficiente e menos agressivo possível ao organismo. A adesão ao “Dia do Lixo” tem se apresentado como uma prática simples e efetiva, desde que realizada de maneira consciente. Vários atletas sob nossa supervisão, vêm se beneficiado com esta prática, tendo excelentes resultados. Porém, a individualidade biológica deve sempre ser respeitada. Procure sempre a orientação de um nutricionista esportivo para não cometer erros!
      

    Fonte: Fisiculturismo

    5 Razões para pessoas obesas continuarem obesas

    cara obeso 5 Razões para pessoas obesas continuarem obesas 
    Basta uma pessoa falhar em perder peso, que desculpas como “genética ruim”, “metabolismo lento” e “tendência a engordar” são jogadas para todos os lados. Mas será mesmo que as principais causas para pessoas obesas falharem em seu objetivo são realmente questões de saúde e que nem sempre estão ao nosso alcance ? Talvez não. A seguir, veja as 5 razões mais comuns para as pessoas obesas continuarem obesas.

    1 – Péssimos hábitos alimentares

    Muitas pessoas estão tão acostumadas a comer porcarias, que já as consideram algo normal no seu cotidiano, principalmente quando estes hábitos são comuns no local onde moram ou são reforçados pelos seus familiares. O cidadão cresce comendo porcaria, fica cada vez mais obeso com o passar do tempo, e ainda acha que o problema é o seu “metabolismo lento”. Balela!

    2 – Compensar a dieta através de exercícios

    De uma maneira resumida, sem uma dieta visando a diminuição do consumo de calorias, não é possível perder peso. Você pode passar infinitas horas fazendo aeróbicos, esportes ou coisas do gênero, mas ainda assim é possível, em apenas uma refeição, ingerir todas calorias que foram gastas durante os exercícios. E o pior, as pessoas acham que os exercícios são a solução definitiva para a perda de peso, e por estarem dando duro na academia, pensam que comer lixo fora dela não terá problema.

    3 – Falta de auto-controle

    Algumas pessoas simplesmente não conseguem, ou não tem a devida força de vontade, de se controlarem . Estas pessoas sempre estão cometendo pequenos abusos alimentares, e sempre se escondendo atras de desculpas como: “semana que vem eu como menos”, “só isso não vai afetar a dieta”, “semana que vem eu treino mais que o comum”. Enquanto isso, o pensamento de que o estado atual é causado por outros fatores permanece. Balela again. Todos esses pequenos abusos somados, são a real razão do problema.

    4 – Buscar atalhos

    As pessoas estão sempre procurando atalhos para facilitar a perda de gordura, e gastam uma quantidade significativa de energia e tempo nesta tarefa, que se fossem empregadas no real objetivo já seria algo acima da média e o suficiente para gerar resultados. Assim como para qualquer coisa na vida, não existe atalhos que facilitem a perda de gordura, ao menos sem o devido esforço, dedicação e consistência. Portanto, não perca tempo, paciência, e principalmente dinheiro na busca pelo “segredo milagroso para perda de gordura”.

    5 – Prioridades incorretas

    As pessoas querem emagrecer e ter um corpo bonito o suficiente para exibir socialmente, mas não querem alterar suas prioridades, ou seja, não querem perder tempo contando calorias (pois deve ser muito chato, trabalhoso ou é balela), não querem acordar uma hora mais cedo para treinar pesado na academia, assistir menos TV, cortar a churrasquinho regado a cerveja no fim de semana, e por ai vai.
    Fazer isto e ainda esperar perda de peso é o mesmo que esperar que Deus abra as nuvens e jogue um milagre direto no seu colo, e o problema é que estas mesmas pessoas continuam pensando que o excesso de peso é causado por algum problema que está fora do controle delas.

    Mas então, o que podemos fazer ?

    As razões listadas acima são instruções reversas que se forem evitadas, poderão ajudar e muito na perda de peso. De qualquer forma, se você não entendeu a mensagem, aí vai um guia prático:
    1. Observe seus hábitos alimentares, o que você come e quantas vezes repete as mesmas refeições. Não seria possível criar hábitos mais saudáveis ?
    2. A dieta deve ser a base do seu plano para perda de peso. Não é possível compensar uma dieta ruim através de excesso de exercícios.
    3. Falta de controle é o tendão de aquiles de qualquer pessoa querendo perder peso. Isto é normal, e acontece para todas as pessoas que estão com o mesmo problema. Nenhuma desculpa para fugir da dieta é compreensível.
    4. Não perca tempo buscando formas milagrosas para perder peso. Se fosse fácil, todo mundo seria magro, mas não é isto que vemos nas ruas. Foque-se no trabalho duro e esqueça os atalhos.
    5. Se você realmente quer mudar o corpo, isto deve ser sua prioridade mais alta. Não é possível conquistar algo importante para si, sem que não seja necessário abrir mão de outras coisas.
    Se você ainda acha que o culpado é o seu metabolismo ou algo do tipo, leia isto antes: Você não consegue emagrecer por causa do seu metabolismo lento ? 

    Fonte: Hipertrofia

    quarta-feira, 23 de abril de 2014

    Musculação reduz risco de diabetes em mulheres, diz estudo

      
    (Foto: Mulher Malhada)
    Mulheres que fazem musculação reduzem o risco de desenvolverem diabetes, de acordo com um estudo feito por cientistas da Faculdade de Medicina de Harvard.

    O estudo acompanhou cerca de 100 mil enfermeiras americanas por um período de oito anos.
    Levantar pesos, fazer flexões ou exercícios similares de resistência muscular foram relacionados a um risco mais baixo de diabetes, concluíram os pesquisadores.

    No que diz respeito especificamente à diabetes, os benefícios da musculação superaram os do exercício aeróbico.

    Mulheres que fazem pelo menos 150 minutos por semana de exercícios aeróbicos e ao menos uma hora também por semana de musculação tiveram a redução mais significativa (no risco de diabetes), se comparada com mulheres sedentárias.

    Elas reduziram em um terço as chances de desenvolverem diabetes 2.
    Especialistas já sabiam que a prática exercícios aeróbicos regularmente - tais como corrida ou natação - ajuda na diminuição do risco de se desenvolver esse tipo de diabetes.

    O estudo de Harvard sugere, no entanto, que musculação e exercícios de resistência sejam adicionados à rotina para garantir uma maior proteção.
    Amortecedor

    Os pesquisadores afirmaram que o estudo não é perfeito - entrevistaram apenas enfermeiras, em sua maioria de etnia caucasiana, e levaram em conta apenas os dados que as mulheres lhes passavam, sem poder checá-los.

    No entanto, eles disseram que os resultados são compatíveis com outras pesquisas que analisaram esses quesitos em grupos de homens.

    Eles acreditam que uma massa muscular mais desenvolvida funciona como um amortecedor contra diabetes.
    Isso porque o diabetes do tipo 2 se desenvolve quando células que produzem insulina passam a funcionar mal ou quando a insulina produzida não age como deveria.

    A insulina permite ao corpo usar o açúcar como energia e armazenar qualquer excesso nos músculos e no fígado.

    Assim, o excesso de peso pode aumentar o risco de uma pessoa em desenvolver a doença.
    De acordo com o instituto britânico Diabetes UK, se você está acima do peso, a cada quilo perdido, você, reduz o risco de ter esse tipo de diabetes em 15%.
    'Apesar das limitações envolvidas, a pesquisa destaca a mensagem de que ter um estilo de vida saudável e ativo pode ajudar a reduzir o risco de se ter diabetes 2', disse o médico Richard Elliot, porta-voz do instituto.

    'Temos certeza de que o melhor jeito de reduzir o risco desse tipo de diabetes é manter um peso saudável se alimentando de maneira saudável, com uma dieta balanceada e com atividade física regular. Agora no começo do ano, muita gente está em busca de maneiras de perder peso. Nossa recomendação é que encontrem uma atividade física que gostem, assim é mais fácil se manter motivado.'

    Arnold Classic Brasil voltará ao Rio de Janeiro em abril de 2014

     

    Pelo segundo ano consecutivo, de 25 a 27 de abril de 2014, o Rio sediará o Arnold Classic Brasil, maior evento multiesportivo do mundo, idealizado pelo ator, político e ex-fisiculturista Arnold Schwarzenegger. O evento abrange a maior feira de nutrição esportiva, lutas, performance e de fitness do país, além de apresentar diversas competições com modalidades olímpicas e não olímpicas. Depois da primeira edição em 2013, o evento cresceu e precisou ir para um local maior: o Riocentro.

    Com investimento de R$ 8 milhões, o Arnold Classic Brasil estima atrair mais de 70 mil visitantes, reunir cinco mil atletas e gerar cerca de R$ 80 milhões em negócios. É esperado para a feira um público bastante diversificado: lojistas de suplemento alimentar e material esportivo, nutricionistas, médicos do esporte, farmácias, atletas, professores e alunos de Educação Física, empresários do setor e praticantes de atividades físicas.

    A feira contará com a participação de mais de 150 expositores. Nos estandes, será possível encontrar suplementos alimentares, equipamentos de musculação e fitness, acessórios de ginástica e de lutas, vestuário, calçados esportivos etc.

    “O Arnold Classic Brasil foi um divisor de águas no setor de Nutrição Esportiva no Brasil. Além de atrair grande volume de público já familiarizado com o tema, o evento permitiu a divulgação de esportes ainda pouco conhecidos como Pole Dance, Luta de Braço, Powerlifting, Strongman e Bodybuilding PRO, trazendo mais uma vez os melhores atletas do mundo. O sucesso foi tanto que conseguimos superar em mais de 40% a meta inicial de público e em 20% a de negócios gerados”, comemora Ana Paula Leal, diretora da Savaget, empresa organizadora do evento junto com a Excalibur.

    “Cresceremos em espaço, em conforto para o visitante, em tranquilidade para o lojista, que terá um horário diferenciado, inclusão de modalidades esportivas novas, ou seja, três pavilhões com muitas novidades no Riocentro, além de inúmeras competições externas e uma convenção para mil participantes”, completa Ana Paula.
     
    A feira leva o nome de Arnold Schwarzenegger, que construiu seu nome como fisiculturista (Foto divulgação)

    Dentro da feira estão previstas mais de 25 competições esportivas. Entre elas, modalidades como Bodybuilding Profissional e Amador (Fisiculturismo), Strongman Profissional e Amador, Luta de Braço, Levantamento Olímpico, MMA, Corrida de Rua, Bike Indoor, Pole Dance, Natação e Surf. As competições acontecerão simultaneamente no Riocentro, Citibank Hall e em outros locais da região. Participarão do evento atletas amadores e profissionais de diversos países.

    Em paralelo à feira, nos dias 26 e 27 de abril haverá um congresso técnico para os profissionais de Educação Física, Nutrição, MMA, Bodybuilders e demais amantes do esporte. Serão palestras com temas específicos, que contarão com módulos como nutrição esportiva e clínica, treinamento de força, preparação física para MMA, corrida de rua, Bodybuilding e gestão de lojas de suplementos. A previsão é a de que as palestras durem entre 50 minutos e 2 horas, de acordo com o módulo. O congresso acontecerá no hotel Windsor Barra, Rio de Janeiro.
    Serviço:
    Data: 25 a 27 de abril de 2014
    Local: Riocentro Av. Salvador Allende, 6555 na Barra da Tijuca
    Horário: 25 e 26 | sexta e sábado
    Profissionais do setor: das 10h às 13h
    Visitantes: das 13h às 20h
    27 (domingo)
    Visitantes e Profissionais do setor: das 10h às 18h 

    Fonte: Tatame

    segunda-feira, 21 de abril de 2014

    A Páscoa já passou e acabou o descanço

     
    VOLTAMOS A NOSSA ROTINA HABITUAL COMO TODO DIA E CLARO QUE NÃO DEVEMOS ESQUECER DE CONTINUAR DE CUIDAR DA NOSSA SAÚDE E MANTENDO O TREINO EM DIA PARA EVITAR MALES!

    ENTÃO VAMOS MALHAR GALERA HARDCORE!?

    Por que vale a pena cortar o açúcar a partir de agora

    Além de afastar uma das causas da obesidade, reduzir a quantidade de doce pode dar mais disposição, afastar doenças e melhorar o paladar
    açúcar
    Segundo a OMS, consumo de açúcar deve ser de até 5% das calorias de uma dieta de 2.000 kcal, por dia
    São Paulo – Já pensou em como seria sua vida sem açúcar? Apesar de, para muita gente, esse cenário ser um tanto assustador, o quadro pode não ser tão terrível quanto se pode imaginar. O livro “Year of No Sugar”, lançado recentemte pela americana Eve Schaub, conta a experiência vivida por ela, o marido e suas duas filhas, em que passaram um ano inteiro sem consumir açúcar, mel e alimentos com o doce adicionado artificialmente.

    Isso significou uma mudança radical nos hábitos da família, já que a maior parte dos itens dos supermercados continham alguma quantidade de açúcar em sua fórmula. Até mesmo comidas salgadas vinham com o ingrediente, como bacon, biscoitos, papinha para bebês e molhos para salada. A saída adotada foi preencher o cardápio com mais vegetais frescos (esse açúcar era permitido) e verificar, rótulo por rótulo, tudo que ia para o carrinho.

    O esforço, no entanto, foi recompensador. Ao se livrarem do “vício”, aos poucos, todos passaram a se sentir melhor, com mais disposição e menos problemas de saúde. De acordo com reportagem publicada no site da revista Time, numa ocasião em que se permitiram comer uma sobremesa, para comemorar o aniversário do marido, Eve não conseguiu terminar de comer e ainda ficou com dor de cabeça por conta da doçura exagerada.

    Essa mudança no paladar é real. De acordo com a nutricionista Claudia Coelho, esse sentido fica acostumado ao hábito alimentar e, ao consumirem muito açúcar, as pessoas têm cada vez mais necessidade de comer doces. Ao interromper o consumo e, mais tarde, voltar ao costume, o corpo sofre em vários sentidos. “Depois que se torna um hábito comer os alimentos com menos açúcar, é muito difícil voltar a consumir os muito doces. Outro fator é o funcionamento intestinal, que pode ficar mais descompensado quando você volta a consumir açúcar em excesso”, afirma.

    Mas, se voltar a comer açúcar causa tantos incômodos, porque valeria a pena parar, em primeiro lugar? Segundo Claudia, como esse ingrediente é um carboidrato simples, ele é rapidamente incorporado pelo organismo. Há pesquisas que relacionam o excesso de açúcar à hiperatividade, ao déficit de atenção e à sobrecarga do pâncreas (produtor de insulina, hormônio que disponibiliza açúcar para as células). “Se consumido sem controle, pode causar ou agravar patologias preexistentes, além da obesidade. Mas o pior de tudo é o fato de não conter nenhum outro nutriente”, diz.

    Recentemente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) reduziu o valor recomendado de açúcar de 10% para 5% de uma dieta de 2.000 calorias diárias. Isso equivale a cerca de 20 gramas, ou cinco colheres de chá. Uma lata de refrigerante, por exemplo, já é o dobro do indicado, pois pode ter até 40 gramas de açúcar.

    Antes de pensar que substituir todo o açúcar de mesa (cristal ou refinado) pelos adoçantes artificiais (edulcorantes), Claudia afirma que eles são mais recomendados para diabéticos e, ainda, com restrições. “Os edulcorantes artificiais não são absorvidos e metabolizados pelo nosso corpo e, mesmo não representando incremento nas calorias da dieta, prefiro usar moderação, tentar educar o paladar para sabores menos intensos”, diz.

    Moderação foi a palavra de ordem para a família de Eve Schaub, que, depois de um ano radical sem açúcar, voltou a consumir os alimentos adoçados com mais controle. Para quem está disposto a encarar a empreitada, um bom começo é cortar a adição de açúcar de mesa, substituindo-o por frutas secas e mel, já que é mais difícil eliminar os itens industrializados da rotina. Nos momentos de dificuldade, alguns alimentos ricos em aminoácidos como o triptofano (banana e o grão de bico, por exemplo) são bons aliados, pois reduzem a compulsão por doces. 

    Fonte: Musculação Ectomorfo

    quinta-feira, 17 de abril de 2014

    UFC demite Ronny Markes, Renée Forte, Thiago Bodão e Rafaello Trator


    Quarteto brasileiro não faz mais parte da lista de lutadores do Ultimate

     

    Ronny Markes x Yoel Romero UFC MMA (Foto: Getty Images) 

    Ronny Markes (esquerda) foi demitido do UFC nesta semana (Foto: Getty Images)

    A barca passou para os brasileiros no UFC. Quatro lutadores foram demitidos nesta semana pela organização. De acordo com o site americano "MMA Fighting", Ronny Markes, Thiago Bodão e Rafaello Trator não fazem mais parte do Ultimate. O Combate.com também apurou que Renée Forte é outro que foi dispensado.

    Ronny Markes venceu seus três primeiros duelos pelo UFC, mas vinha de duas derrotas consecutivas por nocaute, contra Yoel Romero e Thiago Marreta. O peso-médio da Nova União soltou um comunicado agradecendo amigos e familiares e garantiu que saberá recomeçar do zero sua carreira no MMA.

    - Não me dou por vencido, pois nasci na guerra e sei lutar. Nunca vi derrota em perder e nunca me senti fracassado em não ganhar. Como havia citado antes em uma outra publicação, sei começar zero, essa é uma das minhas melhores habilidades. Sei de onde eu saí e onde posso chegar - escreveu.


    Thiago Bodão participou da primeira edição do TUF Brasil e estreou no UFC nocauteando Leonardo Macarrão. Porém, nos dois combates seguintes, acabou derrotado por nocaute, contra Omari Akhmedov, e finalização, contra Kenny Robertson.

    A situação de Rafaello Trator era ainda mais delicada. Nas últimas cinco lutas, o brasileiro perdeu quatro vezes, contra Gleison Tibau, Yves Edwards, Edson Barboza e Erik Koch, vencendo apenas Yoislandy Izquierdo.

    Já Renée Forte, que também foi um dos participantes da primeira edição do TUF Brasil, perdeu na estreia no Ultimate para Serginho Moraes, mas se recuperou ao vencer Terry Etim. Depois, acabou sofrendo reveses contra John Makdessi e Francisco Trevino, sendo demitido da organização.

    Fonte: G!/UFC

    terça-feira, 15 de abril de 2014

    10 Erros que as pessoas cometem em nome da saúde


    Comer três vezes por dia, não abusar da gordura e fazer exercícios. Isso parece ser o suficiente para uma vida saudável. Mas preocupar-se com a saúde pode ser uma tarefa bem mais difícil do que se imagina. Por isso, se você deu uma escapadinha da vida saudável, não se preocupe: você não está sozinho. Para ajudar, a SUPER reuniu 10 erros bem comuns cometidos por quem quer cuidar da saúde e acaba fazendo o contrário.
    1. Deixar o sono em segundo plano
    A ideia: Quem pratica exercícios regularmente e se alimenta bem pode se dar ao luxo de dormir algumas horinhas a menos.
    Na prática: A maioria das pessoas precisa de pelo menos sete horas de sono para manter o corpo em funcionamento – e isso não é um exagero. A ciência já provou que dormir pouco pode desencadear uma série de problemas de saúde, como pressão alta, depressão, diabetes e diminuição da resposta do sistema imunológico a vacinas, além de afetar a memória, desacelerar o metabolismo, diminuir a criatividade e prejudicar o aprendizado. Uma vida saudável começa na cama, com uma boa noite de sono.
    2. Apostar todas as fichas na academia
    A ideia: Para manter uma boa saúde e um corpo saudável, basta pegar pesado nos exercícios. Certo?
    Na prática: Errado. Estudos mostram que fazer exercícios regularmente ajuda o sistema imunológico, melhora o humor e dá mais energia. Mas não adianta exagerar nos pesos. Se o consumo de calorias ingeridas diariamente não diminuir, correr uma maratona na esteira não vai levar você a lugar algum. E outra. Malhar geralmente abre o apetite – e aquele pedaço de pizza vai ficar ainda mais apetitoso. Portanto, aliar exercícios ao planejamento nutricional é importante para garantir um bom resultado – seja ele perder peso, ou ganhar músculos.
    Além disso, é importante ter limites: pegar pesado demais na malhação pode provocar fadiga, dificuldades para dormir, dores musculares e diminuição da imunidade. O ideal é procurar um profissional que ajude a avaliar o melhor programa de exercícios e de alimentação, mantendo um equilíbrio entre o que é consumido e o que é gasto nas atividades diárias.
    3. Ignorar as informações nutricionais
    A ideia: Parece tudo muito simples – alimentos naturais são melhores que os não-naturais; tudo que tem menos calorias é mais saudável; orgânico é sempre melhor que industrializado.
    Na prática: Você viu essas afirmações em algum lugar, mas certamente não foi na tabela de informações nutricionais. Se você checar os outros dados que vêm nas embalagens, vai perceber que eles revelam bem mais do que o número de calorias por porção.
    Um dos mais ignorados (e mais alarmantes) é o sódio, ligado ao aparecimento de doenças como hipertensão, problemas do coração e doenças renais que estão entre os principais problemas de saúde pública do Brasil segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O Ministério da Saúde e a Organização Mundial de Saúde recomendam que o consumo diário de sódio não ultrapasse 2.000 miligramas. Achou muito? Um pãozinho francês tem, em média, 320 mg de sódio. Não por acaso, a Anvisa publicou um Guia de Boas Práticas, que orienta a diminuição gradativa da substância nesse e em outros 15 alimentos.
    4. Pensar que alimentos orgânicos são sempre mais saudáveis
    A ideia: Você vê a plaquinha com a palavra “orgânico” e já consegue visualizar aquele tomate em uma fazenda distante, sendo plantado e cultivado com imenso cuidado para preservar todos os nutrientes.
    Na prática: Pesquisadores da Universidade de Stanford mostraram que não há muita diferença entre os alimentos orgânicos e os convencionais. Ou seja, nada de tomates saltitantes. Produtos orgânicos são, por definição, cultivados sem o uso de produtos químicos, como fertilizantes e pesticidas – os infames agrotóxicos, que podem fazer mal.
    “Mas os alimentos orgânicos serão saudáveis se consumidos dentro de uma dieta balanceada, como acontece com os demais alimentos”, afirma Luana Caroline dos Santos, professora do curso de Nutrição da UFMG. Ela explica que valem as mesmas regras: se tubérculos e cereais convencionais devem ser consumidos com moderação, o mesmo se aplica às suas versões sem pesticidas. Ou seja, não adianta nada se entupir de batata-frita ~orgânica~.
    5. Adiar os exames de rotina
    A ideia: Quem se alimenta bem, faz exercícios e não fuma não precisa ir ao médico com frequência – afinal, já está fazendo tudo que deveria ser feito.
    Na prática: Deixar para ir ao médico somente quando se está doente ou sentindo dores é uma péssima decisão, mesmo para quem mantém hábitos saudáveis. Fazer checkups anuais e buscar conselhos médicos para manter a saúde do corpo é a melhor opção e ajuda a prevenir e diagnosticar o desenvolvimento de doenças em sua fase inicial.
    6. Montar sua própria dieta
    A ideia: Emagrecer é fácil – é só cortar carboidratos, doces e carnes para ver a mágica acontecer.
    Na prática: Não existem fórmulas pré-estabelecidas para o emagrecimento – e, caso existissem, com certeza não incluiriam a exclusão de grupos alimentares inteiros do cardápio. “O grupo de cereais, que inclui pães e arroz, é geralmente o primeiro a ser cortado em dietas – e isso é um erro. Estes alimentos são importantes fontes de energia e não devem deixar de ser consumidos”, explica a nutricionista Aline Cristine Souza Lopes.
    A ideia é manter uma alimentação variada, “colorida” e bem balanceada que inclua leite e seus derivados – importantíssimas fontes de cálcio -, os nutrientes, as vitaminas e minerais – ricos em fibras e importantes para regular a digestão e fortalecer o sistema imunológico -, proteínas e, com moderação, as gorduras e açúcares.
    7. Acreditar que salada é sempre a melhor opção
    A ideia: Almoçar um prato de salada é sempre melhor do que optar por um hambúrguer.
    Na prática: Nem sempre. Em restaurantes, a lógica é às vezes é colocada à prova – quem opta pelo lado verde do menu pode não estar fazendo a escolha mais saudável. Não se deixe enganar pela montanha de alface: uma salada acompanhada por frango frito, croûtons (aqueles pedacinhos de pão, fritos ou assados e não muito saudáveis), maionese ou outros temperos, pode ser muito mais prejudicial à saúde do que um sanduíche leve.
    8. Substituir a água por outras bebidas
    A ideia: Para manter o corpo hidratado, consumir refrigerantes, sucos e outras bebidas é tão eficiente quanto ingerir água.
    Na prática: A água não possui conservante, corante, aromatizante e outros vários componentes que podem ser nocivos à saúde, principalmente se consumidos em excesso. Além de causar sensação de saciedade, ela dá ao corpo energia, protege o sistema imunológico e ajuda a previnir dores de cabeça e musculares. Está com sede? Beba água.
    9. Consumir doses grandes de vitaminas e suplementos
    A ideia: O corpo precisa de vitaminas – e elas são vendidas em potinhos. Uma receita fácil para se tornar saudável, não é?
    Na prática: Mesmo se tratando de substâncias necessárias para o bom funcionamento de nosso organismo, o consumo de vitaminas e suplementos alimentares sem orientação médica está longe de ser a opção recomendada. Na verdade, é uma escolha desnecessária na maioria dos casos.
    Vitaminas e minerais podem ser obtidos diariamente através do consumo de alimentos. Segundo a nutricionista Aline Cristine Souza Lopes, “a primeira alternativa deve ser sempre a alimentação balanceada – ela é á capaz de suprir plenamente as necessidades do organismo”. O uso de suplementos só é recomendado em casos extremos de deficiências nutricionais e um médico deve ser consultado para avaliação das necessidades específicas do paciente.
    10. Esquecer que saúde é um processo
    A ideia: Ser saudável significa perder peso – e este é um objetivo conquistado com muito suor e pouco churrasco.
    Na prática: Saúde não é medida nos ponteiros da balança. “Muitas vezes as pessoas adotam dietas da moda para se adequarem, de forma imediata, a um padrão. Mas uma vida saudável não é ditada por uma fórmula. É um estilo de vida”, defende a nutricionista Luana dos Santos. Isso significa que não são os números – de calorias cortadas, de quilos a serem perdidos, ou de quilômetros corridos – que vão determinar a qualidade de vida.
    O termo que se costuma usar para denominar a lista de alimentos e hábitos que melhor atendem às necessidades do organismo é “plano alimentar”. O nome já entrega: a ideia é que manter-se saudável depende de um planejamento duradouro e pensado em longo prazo. E, para que ele dure, é preciso que esteja alinhado a atitudes que possam se tornar hábitos – nada de receitas milagrosas.
    Consultoria: Aline Cristine Souza Lopes, nutricionista, doutora em Saúde Pública pela UFMG e consultora do Nutrition Research; Luana Caroline dos Santos, doutora em Saúde Pública pela USP e professora do curso de Nutrição da UFMG. 

    Fonte: Dicas de Musculação

    Arquivo do blog