quarta-feira, 19 de julho de 2017

A whey nativa é a melhor fonte de proteína?


A whey nativa é um tipo de proteína ainda pouco popular mas que tem vindo a receber cada vez mais atenção, sobretudo devido ao seu perfil de aminoácidos e à sua velocidade de absorção.

Pode ser interessante conhecer a velocidade de absorção das proteínas pois o seu potencial para promover a síntese de proteína muscular parece parcialmente dependente da sua cinética de absorção e da sua composição de aminoácidos.
 
Em comparação com a proteína de soja e a caseína, sabe-se que a whey (soro de leite), é a que tem melhor solubilidade e a que é absorvida mais rapidamente.
 


No entanto, existem vários tipos de whey em virtude de existirem diferentes métodos de processamento desta proteína e, forma a determinar qual delas é absorvida de forma mais rápida, os investigadores de um estudo testaram a velocidade de absorção de 20 gramas de whey nativa (NW), whey concentrada 80 (WPC-80), whey hidrolisada (MPH), whey microparticulada (MWP) e proteína do leite.
 

Resultados:
  • A whey nativa induziu um aumento significativamente mais rápido e concentrações mais elevadas de leucina e poderá ter um maior potencial para estimular a síntese de proteína muscular do que outros suplementos de whey e proteína do leite.
  • A whey nativa também produziu os valores mais elevados de aminoácidos essenciais e de aminoácidos ramificados, principalmente devido à sua concentração mais elevada de leucina, que foi mais elevada do que todos os outros suplementos de proteína durante a primeira hora após a ingestão de proteína.
  • Todos os suplementos de proteína whey produziram aumentos mais rápidos e picos mais elevados dos valores plasmáticos de aminoácidos essenciais e aminoácidos ramificados do que a proteína de leite.
  • Não foram encontradas diferenças em termos de recuperação muscular e da recuperação da perfomance entre os diferentes suplementos de proteína, após um treino com pesos.(1)

Os investigadores sugerem que sejam realizados mais estudos que investiguem se as diferenças na cinética de aminoácidos e da leucina se traduzem numa maior sinalização anabólica intracelular, síntese de proteína muscular e hipertrofia muscular.

 

Quais as diferenças entre os vários tipos de whey?



O método de produção de alimentos e suplementos de proteína tem influência no perfil de aminoácidos, na sua cinética de absorção e possivelmente no seu potencial anabólico.
Proteína whey nativa: é produzida por filtração de leite não processado. Devido à filtração direta de leite crú, a proteína da whey nativa é mais intacta e “natural” em comparação com a whey concentrada. O seu perfil de aminoácidos também é ligeiramente diferente, com um teor mais elevado de leucina. Consequentemente, a whey nativa poderá ter características positivas para estimular a síntese de proteína muscular.

Proteína whey concentrada (WPC-80): é um subproduto da produção do queijo e, devido a isso, é sujeita ao calor e a um ambiente ácido, o que provoca alguma desnaturação das suas proteínas 

Whey hidrolisada: É produzida a partir de uma proteína whey concentrada, ou isolada, que é posteriormente exposta à ação de enzimas proteolíticas, originando uma mistura complexa de peptídeos de diferentes comprimentos e aminoácidos livres.

Whey microparticulada: Através do uso da filtração, calor e da aplicação de forças de cisalhamento, é possível converter proteína whey concentrada em proteínas microparticuladas, que são partículas muito pequenas com propriedades similares às das gotículas de gordura emulsionadas. Por esse motivo, as micropartículas de proteína do leite são frequentemente usadas como substituto da gordura em alguns alimentos.

 

Conclusão


Parece-nos interessante que a whey nativa tenha uma absorção mais rápida do que a whey hidrolisada, considerada por muitos a proteína de absorção mais rápida. A whey nativa é também a whey que contém níveis mais elevados de leucina, considerado o aminoácido mais importante para estimular a síntese de proteína muscular.

 
 
 
 
Infelizmente o preço da whey nativa também é significativamente mais elevado do que a whey concentrada e whey isolada, ainda assim, em várias lojas, é mais barata do que a whey hidrolisada.


De referir que o facto de velocidade de absorção mais rápida não significa necessariamente que uma proteína vá proporcionar uma maior síntese de proteína muscular ao final de várias horas, em comparação com uma proteína de absorção lenta.




Fonte: Musculação.Net
 
 

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Como voltar a forma depois da gravidez? (4 pontos importantes)

Após a gravidez, há uma preocupação recorrente nas mulheres para retornar a forma antiga. Veja neste artigo, algumas maneiras de voltar a forma depois da gravidez!

 

Treino de musculação depois da gravidez retornar
A gravidez é uma fase que mexe e muito com todo o funcionamento do corpo. Por isso, ela gera uma série de reações, que levam tempo para que sejam absorvidas pelo organismo. Neste contexto, muitas mulheres, após darem a luz, tem dificuldades em voltar a forma.

Isso acontece por diversas razões e é preciso u trabalho específico e individualizado, para que tenhamos melhores resultados.

É preciso entender que o corpo da mulher, mesmo após o nascimento da criança, ainda demora algum tempo para voltar ao seu estado natural. Por isso, estas adaptações, devem ser levadas em conta no retorno aos treinos.

 

Treino após a gravidez, por onde começar?



Após o momento do parto, é muito importante que a mãe tome muito cuidado com sua saúde. Afinal, ela tem um ser indefeso que depende dela. Além disso, quanto antes ela recuperar seu peso e composição corporal, melhor.

Muitas mães engordam bastante durante a gestação. Isso, além de ser um risco para o feto, ainda aumenta consideravelmente a dificuldade para a obtenção de um retorno adequado as condições iniciais.

Além disso, ainda há o fato de que na maioria das vezes, a mãe está amamentando. Por isso, tanto o treino, quanto a dieta, precisam levar este ponto em conta.

Hoje, já sabemos que não é nem um pouco saudável, para a mãe que deu a luz, ficar muito tempo inativa. Após a recuperação do parto, seja ele cesariana ou normal, devemos iniciar um programa de atividade física.

Entenda que atividade física neste caso, não necessariamente é um treino. Caminhadas leves são a melhor forma de voltar a manter-se ativa. Por isso, é muito importante que o retorno aos treinos, seja leve e gradual.

Ao mesmo tempo, isso não significa que o treino precise ser, por meses, apenas uma caminhada leve. É importante, que após a recuperação total do parto (que muda de mulher para mulher), já iniciemos um trabalho mais estruturado de treino.

Isso vai fazer com que você consiga voltar a forma depois da gravidez, de forma muito mais rápida!


Elementos práticos do treino após a gravidez


1- Progressão de carga e de intensidade é muito importante
Para uma mulher, no período de pós-gravidez, é muito importante que haja uma progressão dos estímulos. Como disse acima, no primeiro momento, que compreende a primeira e segunda semana, geralmente, optamos por uma atividade leve. Muitas vezes, apenas de cunho aeróbico.

Depois desse período, com a liberação do médico, podemos iniciar um trabalho resistido. Porém, ainda com pouca carga e principalmente, com a intensidade adequada para a individualidade da mamãe.


2- Reeducação postural e reaprendizagem motora
Tendo como base que no geral, nos 3 últimos meses de gravidez a mamãe tem um aumento considerável do volume abdominal, precisamos reeducar a postura e principalmente, os movimentos.

Devido a circunferência abdominal maior, o centro de gravidade da grávida se desloca. Com isso, temos uma sobrecarga nos músculos da região lombar. Após a gravidez, é importante reeducar os movimentos, recuperar a mobilidade articular e a coordenação motora perdida. Portanto, no momento em que iniciamos os treinos resistidos, estas devem ser as prioridades. Ou seja, na grande maioria dos casos, a carga é irrelevante.


3- Melhora da força e da resistência
Um retorno ao treinamento, de uma mulher que teve bebê, precisa partir do básico. Resistência muscular e aeróbica e força, devem ser as qualidades físicas de base. Elas serão fundamentais para que o treino seja sustentável em longo prazo e que tenhamos um correto desenvolvimento muscular. Somando isso, ao item citado acima, teremos o período de base.

Para uma mulher que passou por um parto, tendo em vista o tempo de recuperação, precisa de 3 a 4 meses, de um treino de base. Isso pode variar de acordo com a idade, o nível de treinamento, a dieta e o histórico de saúde. Mas no geral, sem maiores complicações no processo, é este o prazo.


4- Dieta é fundamental
Para voltar a forma depois da gravidez, dieta é uma das bases. Além disso, a mãe precisa pensar também na questão da amamentação. Por isso, a dieta precisa ser baseada em alimentos de qualidade, com calorias que de fato, nutram o corpo.

Esta não é uma fase muito interessante para a ingestão de suplementos. Eles podem não ser muito saudáveis e prejudicar o leite materno. Quem vai definir se os suplementos são necessários ou não, é o médico e o nutricionista.


O treino para voltar a forma depois da gravidez é muito específico. É preciso neste momento, muito cuidado e paciência. Além disso, se o período de gravidez foi bem estruturado, a mulher se manteve ativa e com uma dieta equilibrada, este processo de retorno é muito mais fácil.


Treine sempre com a orientação de um bom profissional! Bons treinos! 




Fonte: Treino Mestre





A Motivação que Você Precisa está no Esporte?


A Motivação que Você Precisa está no Esporte?

Motivos corriqueiros como a falta de tempo, stress, compromissos do trabalho e demais tarefas do cotidiano te atrapalham na hora de manter o foco nas atividades físicas?

É comum grande parte desistir da boa forma quando estas circunstâncias se mostram presentes, é preciso força de vontade para continuar e persistência.

A motivação é um grande aliado na busca da saúde perfeita, e claro do corpo ideal. Não se preocupe com a pressão da mídia de ter um corpo escultural e das revistas de moda que pregam “a ditadura do corpo perfeito”. Tenha em mente qual a meta que deseja alcançar e molde seus hábitos de acordo com as suas necessidades.

O esporte auxilia os iniciantes e também atletas conhecidos a ter mais qualidade de vida, mas será que a motivação que você precisa está no Esporte?


Veja algumas dicas de motivação para lhe ajudar!

Qual o papel da Motivação?


Já estamos com dois meses de um ano novo e as promessas em relação à perda de peso, mais qualidade de vida, começar a praticar exercícios e tentar dietas miraculosas já começaram. Mas antes de decidir de fato iniciar estas tarefas, você irá precisar de alguma motivação.

Afinal o que é motivação? Uma força que nos impulsiona a realizar nossos objetivos com êxito, um mix de envolvimento emocional, físico e social que nos deixa seguir os fatores para conquistar o que almejamos.

Fica estabelecida a possibilidade de sonhar coisas impossíveis e de caminhar livremente em direção aos sonhos.

 

Quais são os fatores principais para darmos o Start?



Podemos reunir alguns aspectos que poderão nos ajudar a começar a praticar os exercícios, metas em curto e longo prazo que nos incentivarão a dar o Start necessário:

Fazer as atividades fisicas com prazer, por exemplo: se exercitar com amigos, escutar uma boa playlist, seguir perfis no instagram, assistir videos tutoriais no youtube . Isso ajuda muito mas depende 100% de você! Sair da nossa zona de conforto, ficar no sofá a toa está com nada, verdade?

 

Como traçar metas e correr atrás dos seus objetivos

  • Saber que os resultados aparecem com o tempo, tenha determinação e não espere efeitos mirabolantes de uma hora para outra!
  • Analise as estratégias, quais funcionaram no passado e quais não tiveram êxito.
  • Identifique os desafios e perspectivas para seguir em frente.
  • Organize a sua e rotina de treinos e defina a sua missão.

Superar as adversidades é uma das principais motivações para você começar – temos, como exemplo, o atleta olímpico Rafael Nadal – o tenista é um dos atletas mais determinados e perseverantes da atualidade. Não podemos nos esquecer do comprometimento dos atletas paraolímpicos que mesmo com suas limitações, mostram um show de determinação.

 

Quais dicas valem a pena lembrar ao se exercitar com motivação?




Algumas dicas podem lhe ajudar a ter motivação e continuar a realizar as atividades físicas com mais animação, são elas:

  • Sentimento de recompensa de que você está no caminho certo;
  • Todo o esforço será importante para melhorar a sua qualidade de vida, seja emocional, física ou social;
  • Contar com itens adequados para a sua atividade, materiais esportivos- roupas, tênis e acessórios que possam lhe ajudar a malhar com segurança que quando comprados;
  • Suplementação, que é um investimento alto mas importantíssimo para termos resultados bacanas. Vale a pena pesquisar suplementos em sites como Centauro, Suplementos Forma ou utilizando cupom para netshoes.
  • Ter autoconhecimento do seu corpo e suas limitações, é necessário ter cautela para evitar problemas de saúde.
  • O mais importante: para seguirmos motivados é necessário buscamos acompanhamento de um profissional que focará nos nossos objetivos e fará com que nos mantermos disciplinados.

Estes incentivos nos deixam mais perseverantes para continuar, mesmo com as adversidades do dia a dia, saber que seremos recompensados ao longo do tempo nos ajuda a manter a motivação no On.

Quando criamos o hábito de realizar exercícios físicos, nossa mente e corpo mudam para o bem estar, a motivação no esporte é uma das melhores maneiras para conquistar os nossos sonhos e garantir uma qualidade de vida melhor.




Não desista e siga em frente! Rumo as suas metas pessoais, tenha um bom profissional lhe orientando e mantenha o foco, você pode e merece ter uma qualidade de vida ainda melhor.
Não faltam motivos para começar! Qual sua ação para este ano?
 
 
 
 
 
Fonte: Pragmatismo Politico 

sexta-feira, 14 de julho de 2017

HIIT: aula curta e intensa para queimar gordura e mudar o corpo

HIIT: aula curta e intensa para queimar gordura e mudar o corpo



Se você deixar de checar suas redes sociais no celular a cada cinco minutos, se acordar um pouquinho mais cedo – ou dormir um pouquinho mais tarde –, se demorar menos para se arrumar para sair, pronto: já conseguiu os 30 minutos diários que podem mudar seu corpo. Sim, você só precisa de meia hora para fazer uma série eficiente de exercícios: são cinco minutos de aquecimento, 20 minutos do treino em si e mais cinco minutos de desaquecimento.


Chamada de HIIT (sigla em inglês para High Intensity Interval Training ou treinamento intervalado de alta intensidade), a modalidade é a grande estrela da temporada segundo o American College of Sports Medicine, a maior e mais importante organização sobre medicina esportiva e atividade física. Ela é perfeita para quem tem pouco tempo e quer uma atividade diferenciada para emagrecer, definir os músculos e melhorar o condicionamento. “Além de rápidos, os estímulos são de forte intensidade. Com isso, o HIIT provoca a diminuição da necessidade de oxigênio para o sistema aeróbio, acelerando o metabolismo por até duas horas após o término da aula. É uma excelente opção para ganhar massa musculare diminuir o percentual de gordura”, explica André Trombini, personal trainer da academia Bodytech, de São Paulo.


Pode ser feito por iniciantes, intermediárias e avançadas. “Cada uma segue o seu ritmo, cumprindo as séries por tempo ou por repetições. O que importa é não parar”, diz o treinador, que montou uma aula especialmente para BOA FORMA. Os resultados no corpo aparecem em até 60 dias. “A sensação de prazer e bem-estar, porém, é imediata”, completa Trombini. Pegue seu cronômetro e vem suar com a gente!

 

A aula que queima gordura


Você pode fazer a aula duas ou três vezes por semana, queimando entre 300 e 450 calorias em cada sessão. Aqueça 5 minutos pulando corda ou fazendo alongamento dinâmico. Em seguida, execute cada exercício por 30 segundos sem parar. Repita a rodada até completar os 20 minutos da aula. No final, volte à calma com um relaxamento de 5 minutos.


1. Flexão de braços e joelhos
Exercício HIIT
(Luciana Christovam/BOA FORMA)

a. De bruços, com mãos espalmadas, braços flexionados em ângulo de 90 graus, pernas unidas e estendidas e ponta dos pés apoiada no chão.
b. Com abdômen e glúteos contraídos, suba o corpo, estendendo os cotovelos, ao mesmo tempo que leva um dos joelhos em direção ao peito. Volte à posição inicial, flexionando os braços, e continue alternando as pernas na subida.


2. Agachamento com salto
Exercício HIIT
(Luciana Christovam/BOA FORMA)

a. De pé, mãos na nuca, costas alinhadas, pernas ligeiramente afastadas, desça até as coxas ficarem paralelas ao chão.
b. Salte o mais alto que conseguir. O movimento é contínuo, sem pausa entre uma fase e outra.

3. Rotação diagonal
Exercício HIIT
(Luciana Christovam/BOA FORMA)

a. De pé, com pés paralelos, pernas abertas na largura dos quadris. Segure uma medice ball e faça uma leve rotação do tronco ao mesmo tempo que leva os braços estendidos acima da cabeça.
b. Flexione os joelhos e gire para o outro lado, abaixando os braços. Repita o movimento continuamente, alternando o lado na metade da série. Essa rotação trabalha braços, pernas e core.


4. Prancha frontal com deslocamento lateral
exercício hiit
(Luciana Cristhovam/BOA FORMA)

De bruços, com as mãos espalmadas, braços estendidos e abertos na largura dos ombros, ponta dos pés apoiada no chão. Com o abdômen e os glúteos contraídos, faça o deslocamento lateral, levando um braço e depois o outro, juntando-os no mesmo espaço, com as pernas acompanhando o movimento. Use uma “escada de chão” ou faça a marcação no solo com giz, por exemplo.


5. Burpee
Exercício HIIT
(Luciana Christovam/BOA FORMA)

a. Em posição de flexão de braços (mãos espalmadas, braços estendidos e abertos na largura dos ombros, pontas dos pés apoiadas no chão).
b. Dê um impulso e traga as pernas em direção ao peito, até ficar de cócoras, com as mãos no solo.
c. Em seguida, salte com as mãos apoiadas na nuca. Aterrisse e volte à posição inicial, de barriga para baixo. O movimento é contínuo, sem pausa entre uma fase e outra.


6. Escada de agilidade
Exercício HIIT
(Luciana Christovam/BOA FORMA)


a. De pé, pernas paralelas, braços ao longo do corpo. Entre com uma das pernas em um dos espaços da escada de agilidade, flexionando levemente o joelho da frente e levantando a perna de trás, fazendo a rotação do tronco – como se fosse um jogo de capoeira. Os braços acompanham o ritmo, se movendo para o lado da perna que toca o solo.
b. Volte ao início, de pé.
c. Repita o jogo de pernas do outro lado. O movimento é contínuo, sem pausa entre uma fase e outra.




Fonte: Boa Forma 

quinta-feira, 13 de julho de 2017

6 hábitos alimentares que são fundamentais para um atleta

Todos nós sabemos que um atleta, independentemente da modalidade que disputa, precisa de uma dieta alinhada para que tenha um melhor desempenho. Veja neste artigo, 6 hábitos que os atletas precisam manter em sua dieta! 

 

6 hábitos alimentares que são fundamentais para um atleta

Ser atleta não é para qualquer um. Uma rotina extenuante de treinos, pressão por desempenho e busca constante por melhoria fazem parte de sua rotina. Neste sentido, todo atleta, independentemente de sua modalidade, precisa de bons hábitos alimentares. 

Muitos deles, são determinantes para o sucesso em seu esporte (como é o caso do fisiculturismo, por exemplo).

Estes hábitos, seguem as particularidades de cada esporte. Um levantador de peso, por exemplo, terá hábitos bem diferentes de alimentação do que um maratonista. Porém, no conceito base, muitos hábitos dos atletas são iguais.

Por isso, é importante buscar tirar disso, o que se enquadra de fato em nossa realidade. Com isso, teremos resultados muito melhores em nossos treinos. Veja agora, 6 hábitos fundamentais para qualquer atleta e que podemos utilizar em nosso dia a dia para termos melhores resultados! 

Hábitos alimentares de atletas, as 6 bases!


É importante entender alguns pontos antes de entrarmos nos 6 hábitos principais. Um atleta é alguém que vive para seu esporte. Ele tem uma rotina toda baseada na busca por melhores resultados e desempenho. Por isso, quando falo em hábitos de atletas, temos que entender que nem todos se aplicam totalmente a nossa rotina.

Um atleta tem um gasto calórico muito mais acentuado e um metabolismo muito mais rápido. Por isso, eles têm estratégias de dieta específicas. Para quem não é atleta, deve pegar apenas o que é de fato importante para sua individualidade, com o acompanhamento de um bom profissional. Aliás, dieta sempre precisa do acompanhamento de um bom nutricionista! Veja agora, os 6 hábitos alimentares dos atletas.

1- Refeições alinhadas a sua real necessidade
Este ponto é muito importante. Dentro dos hábitos alimentares dos atletas, há um ponto muito claro: sua dieta é sempre alinhada de acordo com as necessidades individuais dele.

Como já citamos anteriormente, um fisiculturista tem necessidades diferentes do que um maratonista ou uma ginasta. Por isso, toda a dieta do atleta é pensada em suas necessidades. Além disso, de acordo com o momento da periodização ou a sequência de competições modifica diretamente a forma como a dieta e os hábitos alimentares acontecem.

Trazendo isso para sua realidade, é importante entender que dieta é baseada em estratégia. Por isso, sua dieta não pode ser sempre, em todas as situações, igual. É preciso que você busque uma estratégia para momentos específicos.

Por exemplo, em um treino para o emagrecimento tem diferentes momentos e estratégias em termos de dieta. O mesmo acontece para a hipertrofia. Alternar a ingestão calórica e principalmente, a forma como os nutrientes são ofertados ao metabolismo, faz toda a diferença.

Porém, para que isso seja uma estratégia de sucesso, precisamos de adaptações, de acordo com a rotina e os treinos.

2- Ingerir quantidades ideais dos alimentos certos
Se tem um ponto que faz a diferença na deita de um atleta (e na sua), é ingerir os alimentos adequados, com a quantidade ideal. Por exemplo, não adianta você ingerir proteínas de boa qualidade, se a quantidade for muito baixa. Da mesma forma, também não adianta comer carboidratos de boa qualidade, mas em excesso.

Outro ponto importante, dentro dos hábitos alimentares dos atletas, é a distribuição dos nutrientes no decorrer do dia. De pouco irá adiantar você ingerir alimentos de boa qualidade no almoço, mas no restante do dia, comer calorias vazias.

Neste ponto, é muito importante em seus hábitos alimentares, seguir este padrão. Comer bem, nas quantidades indicadas e principalmente, nas quantidades corretas e em todas as refeições ao longo do dia. Somente desta maneira, poderemos ofertar ao organismo, os nutrientes que ele precisa.

Em suas estratégias diárias, você pode ajustar, juntamente com seu nutricionista, formas de otimizar isso. Separar, durante o dia, a forma como os nutrientes serão ingeridos. Neste ponto, sua individualidade deve ser a base. Nem todas as pessoas conseguem comer clara de ovo no café da manhã, por exemplo.

Nestes casos, seja com alimentos, seja com suplementos, precisamos encontrar formas de oferecer ao corpo, as quantidades ideais de nutrientes. Lembre-se, dieta é estratégia!

3- Comer apenas proteínas e carboidratos de boa qualidade
Todos os nutrientes são de suma importância na dieta de um atleta. Porém, carboidratos e proteínas são os que impactam diretamente no desempenho e nos resultados. Por isso, um dos hábitos dos atletas é justamente, comer apenas proteínas e carboidratos de boa qualidade.

Ao fazer isso, nas quantidades certas, você terá grande parte do sucesso de sua dieta, conquistada.

A razão para isso é bastante simples. Se os carboidratos são os principais alimentos provedores de energia para o treino e para algumas reações do organismo, eles precisam ser ingeridos com base em alimentos de qualidade.

No caso das proteínas, temos a questão da absorção. Se você não ingerir proteínas de alto valor biológico, não terá como ter sucesso em sua dieta.

Lembre-se que no que se refere aos hábitos alimentares para melhorar seus resultados em seus treinos, nada é tão importante quanto ingerir alimentos com real valor nutricional. As chamadas calorias vazias são um problema para qualquer dieta. Evite-as ao máximo em seus hábitos alimentares.

4- Ingerir alimentos ricos em micronutrientes
Os micronutrientes são os nutrientes presentes em frutas, verduras, legumes e outros. São basicamente, as vitaminas e minerais. Eles são fundamentais para o desempenho humano. Isso, devido ao fato de que eles estão diretamente ligados a forma como os macronutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras) são metabolizados.

Além disso, os micronutrientes ainda regulam todas as demais funções do organismo. Por isso, um dos principais hábitos alimentares dos atletas, é ingerir com constância, alimentos que sejam ricos em micronutrientes. Eles serão de fundamental importância para que todas as funções do corpo estejam reguladas da melhor forma possível.

Neste cenário, você precisa em sua dieta, da ingestão de tais nutrientes. Caso contrário, em algum ponto, seu desempenho e os resultados em geral, serão duramente prejudicados.


5- Beber bastante água
Sendo a água o principal solvente das diversas substancias de nosso corpo (nutrientes, alguns hormônios, etc.), ela é fundamental para o desempenho. Haja visto, os efeitos altamente negativos que a desidratação traz para a produção de força e a resistência. Por isso, o hábito de beber bastante água, é fundamental para os atletas.

No seu caso, você precisa ingerir água durante todo o dia. Não se limite aos famosos 2 litros. Este é um parâmetro geral, mas que não se enquadra em qualquer situação. Muitas vezes, precisamos de muito mais do que isso para manter o corpo realmente hidratado.

6- Ingerir suplementos de boa qualidade e apenas quando necessário
Suplementos são importantes em muitos casos. Nem sempre conseguimos atingir a quantidade de nutrientes que precisamos para manter um bom resultado na dieta. O que entra em termos de hábitos dos atletas, é que eles ingerem apenas suplementos de boa qualidade e que são realmente necessários.

Nem todas as pessoas precisam de suplementos. É muito importante que você mantenha bons critérios para isso. Quando eles são necessários, sempre opte por produtos de boa qualidade.

Há muitas opções boas no mercado, basta você consultar bons profissionais e buscar entender o que realmente cada suplemento faz. Com isso, você poderá entender o que precisa e principalmente, usar principalmente algo que vai impactar nos resultados!


Estes são alguns dos hábitos que os atletas têm em relação a sua dieta. Se você conseguir usar estes hábitos em seu dia a dia, com toda a certeza terá muito mais resultados! Bons treinos! 



Fonte: Treino Mestre

terça-feira, 11 de julho de 2017

Saiba quais erros evitar na hora de malhar o abdome

 
Saiba quais erros evitar na hora de malhar o abdome

A região do abdome é uma das mais visadas quando se trata de exercícios físicos. Seja bem definida ou apenas “retinha” a barriga é o ponto fraco de muito frequentador de academia e muitos não sabem como malhar o abdome.

Perder gordura e ganhar força no core são objetivos frequentes, bem como os famosos “gominhos”. Mas muitos erros podem comprometer o trabalho nessa área.


Veja alguns equívocos:

Falta de resistência


Abdominais são músculos como os peitorais, então porque não treiná-los da mesma maneira? Séries intermináveis de abdominais não vão evoluir muito, assim como apenas flexão de braço não faz de ninguém um Arnold Schwarznegger.

Não tenha medo de adicionar pesos aos exercícios abdominais, com repetições de no máximo 12 ou 15 vezes.

Pouca atenção à região na hora de malhar o abdome

malhar o abdome

Como dito antes, abdominais são músculos como quaisquer outros. Se a ideia é deixá-lo duros e bem definidos, a intensidade do treinamento deve ser tão grande quanto a dedicada às outras áreas do corpo.

Outra vantagem de dedicar mais tempo a essa região é que ela conecta a parte de baixo e de cima do corpo – beneficiar o core é beneficiar o corpo todo.

Devagar e sempre

abdome

Os exercícios para a região devem ser compostos de repetições lentas e controladas. Preste muito atenção em toda a extensão do movimento, com um último esforço no final do movimento.

Repetições rápidas para finalizar o treino rapidamente não vão fazer nada além de sobrecarregar a região. Isso pode criar risco de lesão, impedindo que você continue a malhar o abdome.

Não esqueça do baixo ventre

abdominais


Os exercícios que mais beneficiam a região do abdome e core são os que concentram tensão na parte inferior, abaixo do umbigo.

Exercícios com levantamento de pernas (curvadas ou retas) . Variações de abdominais para além do tradicional, além dos cruzados, desenvolvem os músculos oblíquos e intercostais.




Fonte: Malhar Bem







Arquivo do blog